Oliveira dos Brejinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Oliveira dos Brejinhos é um município brasileiro do estado da Bahia, na micro-região de Boquira. O município situa-se a 550 m de altitude e tem 23.831 habitantes dos quais 6.584 residem na area urbana , numa área total de 3 586,7 km².

Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Município de Oliveira dos Brejinhos
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação Não disponível
Gentílico brejinhense
Prefeito(a) Cleriston Uaide Reis Guedes Pereira (Ferrugem)
(2013–2016)
Localização
Localização de Oliveira dos Brejinhos
Localização de Oliveira dos Brejinhos na Bahia
Oliveira dos Brejinhos está localizado em: Brasil
Oliveira dos Brejinhos
Localização de Oliveira dos Brejinhos no Brasil
12° 19' 01" S 42° 53' 45" O12° 19' 01" S 42° 53' 45" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Centro-Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Boquira IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Ibotirama, Boquira, Paratinga, Morpará, Brotas de Macaúbas e Ibitiara
Distância até a capital 590 km km
Características geográficas
Área 3 563,908 km² [2]
População 23 839 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 6,69 hab./km²
Clima Tropical, Seco
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,554 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 67 570,870 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 883,21 IBGE/2008[5]
Página oficial

Historia[editar | editar código-fonte]

O povoamento de Oliveira dos Brejinhos se deu praticamente na década de 40 do século XVII e se chamou primeiramente Brejos e foi inicialmente ocupada pelas famílias Brito, Maia, Vale e Borges.

Os habitantes dos Brejos nos primeiros anos eram conhecidos como os brejeiros e cultivavam feijão, arroz, cana e mandioca. Havia também dois engenhos produzindo melado e rapadura, duas casas de farinha de mandioca, dez teares e dois carros de boi.

Brejo Grande estagnou depois da peste, voltando a ordem crescente no início do século XIX com a chegada das famílias Reis, Ramos, Cunha e Pereira. Estas famílias, duas décadas mais tarde, tornaram-se comerciantes e fizeram prosperar a produção agrícola durante todo o século XIX. Neste período, o crescimento de Brejo Grande não foi além de duas praças localizadas à margem do riacho da Cana Brava e outra meia dúzia de casas salteadas. A maioria da população habitava em localidades vizinhas.

Na década de vinte, do século XIX, o padre Custódio havia construído uma capela na localidade de Coité, no sul do município, sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição. Tendo-se formado a localidade dos Brejos e, com seu rápido crescimento, padre Custódio juntou-se a Victória T. Torres e à população dos brejos e, juntos, construíram a igreja de Nossa Senhora da Conceição. Em seguida, trouxeram as imagens da capela do Coité para a igreja dos Brejos.

Na década de sessenta, do século XIX, o capitão José Manoel Teixeira Leite foi a Portugal. Ao retornar a Brejo Grande, foi até Santo Antônio do Urubu pedir junto ao conselho da freguesia, a mudança da denominação de Brejo Grande para Brejo Grande de Oliveira, em homenagem ao Monte das Oliveiras de Portugal. Mas o novo nome só foi confirmado em 1865.

Em 1865, José Manuel Teixeira Leite, proprietário da Fazenda Brejinho (ou Brejo), erigiu uma capela sob a invocação de Nossa Senhora da Oliveira ou das Oliveiras. Em 1880, Brejo Grande de Oliveira foi elevado à categoria de freguesia com a denominação de Oliveira dos Brejinhos, nome dado por José Manoel e de acordo com a vontade da população, tendo sido desmembrada da freguesia de Urubu (Paratinga).

Em 1891, o arraial de Brejinhos foi elevado à vila e criado o município de Oliveira dos Brejinhos.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Distrito criado com a denominação de Oliveira dos Brejinhos, pela Lei Provincial n.º 1980, de 25-07-1880, subordinado ao município de Urubu.
Elevado à categoria de vila com a denominação de Oliveira dos Brejinhos, pelo Ato de n.º 405, de 01-06-1891, desmembrado do município de Urubu. Sede na antiga povoação de Oliveira dos Brejinhos. Constituído do distrito sede. Instalada em 17-08-1891.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a vila é constituída do distrito sede.
Assim permanecendo nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920.
Pelos Decretos Estaduais n.ºs 7.455, e 7.479, de 08-07-1931, por este último decreto, o território do município de Oliveira dos Brejinho foi anexado ao município de Brotas, como simples distrito.
Elevado à categoria de município com a denominação de Oliveira dos Brejinhos, pelo Decreto n.º 8.620, de 30-08-1933, desmembrado do município de Brotas. Sede no antigo distrito de Oliveira dos Brejinhos. Constituído do distrito sede. Reinstalada em 10-09-1933.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 2 distritos: Oliveira dos Brejinhos e Corrente.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 4 distritos: Oliveira dos Brejinhos, Brejo Grande, Corrente e Quixabá.
Pelo Decreto Estadual n.º 11.089, de 30-11-1938, o distrito de Corrente tomou a denominação de Bom Sossêgo.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 4 distritos: Oliveira dos Brejinhos, Bom Sossêgo (ex-Corrente), Brejo Grande e Quixabá.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 141, de 31-12-1943, retificado pelo Decreto Estadual n.º 12.978, de 01-06-1944, o distrito de Brejo Grande passou a denominar-se Ipuçaba.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: Oliveira dos Brejinhos, Bom Sossêgo (ex-Corrente), Ipuçaba (ex-Brejo Grande) e Quixabá.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
Pela Lei Estadual n.º 1.722, de 16-07-1962, desmembra do município de Oliveira dos Brejinhos, o distrito de Quixabá, para constituir o novo de Morpará.
Em divisão territorial datada 31-XII-1963, o município é constituído de 3 distritos: Oliveira dos Brejinhos, Bom Sossego e Ipuçaba.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Economia[editar | editar código-fonte]

A produção minerária principal é o quartzo, com diversas utilidades, principalmente na formatação de fios ópticos. O mármore imperial também é encontrado nesto município, sendo que a produção é exportada para a Europa, principalmente para a Itália e Países Baixos.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 24 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.