Oliver Grau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2011).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Grau in transmediale 2010.

Oliver Grau (*24.10.1965) é alemão, formado em História da Arte e Teoria das Mídias. Seus estudos e trabalho concentram-se em ciência da imagem, modernidade e arte midiática, além de cultura do século XIX e arte italiana renascentista.

Vida[editar | editar código-fonte]

Oliver Grau é professor de Ciência da Imagem e diretor do Departamento de Ciência da Imagem na Universidade do Danúbio em Krems, Áustria.

Publicações recentes:

  • Arte virtual: da ilusão à imersão (EDUNESP, 2007)
  • Mediale Emotionen (Fischer, 2005)
  • MediaArtHistories (MIT-Press, 2007)
  • Imagery in the 21st Century (MIT-Press, 2011)

Oliver Grau é convidado para ministrar palestras em diversos países;[1] já recebeu vários prêmios [2] e produziu várias publicações em inglês, espanhol, português, sérvio, macedônio, esloveno, coreano, chinês. Suas principais áreas de pesquisa são história da arte midiática, imersão (realidade virtual) e emoções, bem como história, ideia e cultura da telepresença e da vida artificial.

O livro Arte virtual, que recebeu mais de 50 resenhas, foi a primeira obra a apresentar uma comparação histórica em teoria da imersão entre imagem e espectador, assim como uma análise sistemática da trilogia artista/obra/espectador em termos de arte digital. A pesquisa está ligada ao novo modelo de uma história evolutiva das ilusões midiáticas que resulta, por um lado, de uma relativa dependência dos novos potenciais sensoriais de sugestão e, por outro, da força variável de alienação do espectador (competência midiática).

Grau concebeu novas ferramentas científicas para as humanidades/humanidades digitais; dirigiu o projeto “Immersive Art” da Fundação de Pesquisa Alemã (DFG), cuja equipe, em 1998, começou a desenvolver o primeiro arquivo internacional de arte digital escrito numa plataforma de fonte aberta,[3] localizada na Universidade do Danúbio, em Krems, Áustria. Desde então Oliver Grau tem dado seguimento a inúmeros projetos decorrentes. Desde 2000 a Base de Dados de Arte Virtual (DVA), o primeiro arquivo on-line que transmite regularmente documentos em vídeo. Desde 2005 Oliver Grau gerencia a base de dados da Coleção de Gravuras do Mosteiro Beneditino de Göttweig, a maior coleção particular de gravuras da Áustria, que conta com 30 000 obras, de Albrecht Dürer a Gustav Klimt.

Oliver Grau desenvolveu novos currículos internacionais para as ciências da imagem: o mestrado MediaArtHistories, programas acadêmicos em Gerenciamento de Coleções Digitais e Design de Exposições, Competências Visuais e o mestrado em Ciência da Imagem.[4] Além disso, com as Danube Telelectures, um novo formato interativo de palestras e debates é transmitido ao mundo todo.

Após seus estudos em Hamburgo, Siena e Berlim, e seu doutorado, Oliver Grau lecionou na Universidade Humboldt de Berlim, foi professor-convidado em diversos laboratórios de pesquisa no Japão e nos EUA, e depois de seu pós-doutorado, em 2003, foi docente em diversas universidades internacionais. Também atuou como consultor de periódicos profissionais internacionais e diferentes associações.

Oliver Grau coordena diferentes conferências.[5] Desde 2002 procura unir pesquisa sobre arte midiática e sua história, presente em várias áreas e, com isso, acabou sendo diretor-fundador da Refresh! Primeira Conferência Internacional sobre História da Arte Midiática, Ciência e Tecnologia, que aconteceu em Banff, em 2005 (2007 em Berlim, 2009 em Melbourne, 2011 em Liverpool). Obras resultantes dessas conferências são MediaArtHistories (MIT-Press, 2007) e o arquivo on-line mediaarthistory.org.

Entre suas premiações e distinções estão: Jovem Acadêmico, pela Academia de Ciências de Berlim-Brandenburgo e Academia Alemã de Ciências Leopoldina, em 2001; em 2002, premiado pela InterNationes/Goethe Institute; em 2003, Book of the Month, da Scientific American; em 2003, bolsa de pesquisa do Centro de Estudos Ítalo-Alemão Villa Vigoni; em 2004, Media Award, da Universidade Humboldt.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Oliver Grau (Ed.): Imagery in the 21st Century. MIT-Press, Cambridge 2011. Mit Beiträgen von James Elkins, Eduardo Kac, Peter Weibel, Lev Manovich, Olaf Breitbach, Martin Kemp, Sean Cubitt, Christa Sommerer, Marie Luise Angerer, Wendy Chun und anderen.
  • Oliver Grau (Ed.): Истории на медиумската уметност (Media Art Histories, Macedonian Translation), Генекс, Кочани, 2009
  • Oliver Grau: Lembrem a Fantasmagoria! Polìtidca da Ilusào do Sèculo XVIII e sua vida apòs a morte Multimìdia, In: Diana Domingues: Arte, Ciència e Technologia (Media Art Histories, Portuguese Translation), Sao Paulo, Editora Unesp: 2009
  • Oliver Grau (Ed.): Virtuelna umetnost, (Virtual Art: From Illusion to Immersion, Serbian Translation), Beograd: Clio, 2008
  • Oliver Grau: Media art needs Histories and Archives (Korean Translation), In: The 5th Seoul international Media Art Biennale, conference proceedings, Seoul: 2008
  • Oliver Grau: Intermedijske etap navidezne resni`cnosti v 20. stoletju: Umetnost kot navdih evolucije medijev (Intermedia Stages of Virtual Reality in the Twentieth Century: Art as Inspiration of Evolving Media, Slovenian Translation), In: Mojca Zlokarnik: Likovne Besede, Ljubljana, Janus: 2008
  • Oliver Grau (Ed.): Media Art Histories, MIT Press/Leonardo Books, 2007.
  • Oliver Grau (Ed.): Virtual Art: From Illusion to Immersion, (Chinese Translation), Tsinghua University Press 2006
  • Oliver Grau (Ed. a.o.): Mediale Emotionen. Zur Lenkung von Gefühlen durch Bild und Sound Fischer, Frankfurt/Main 2005.
  • Oliver Grau: Arte Virtual. Da Ilusào à imersào (Virtual Art, Portuguese Translation), Sao Paulo, Editora Unesp: 2005
  • Oliver Grau: Virtual Art: From Illusion to Immersion, MIT Press/Leonardo Books, 2003.
  • Oliver Grau: The Database of Virtual Art: For an expanded concept of documentation, in: ICHIM, Ecole du Louvre, Ministere de la Culture et de la Communication, Proceedings, Paris 2003, S. 2-15.
  • Oliver Grau: Telepräsenz: Zu Genealogie und Epistemologie von Interaktion und Simulation, in: Peter Gendolla u.a. (Hg.): Formen interaktiver Medienkunst. Geschichte, Tendenzen, Utopien, Frankfurt/Main: Suhrkamp 2001, S. 39-63.
  • Oliver Grau: Zwischen Bildsuggestion und Distanzgewinn, in: Klaus Sachs-Hombach und Klaus Rehkamper (Ed.): Vom Realismus der Bilder: Interdisziplinare Forschungen zur Semantik bildlicher Darstellungsformen, Magdeburg: Scriptum-Verl. 2000, S. 213-227.
  • Oliver Grau: New Images from Life, in: Ryszard Kluszczińsky (Hg.): Art Inquiry. Recherches sur les Arts, Volume II (XI), Lodž 2000, S. 7-25.
  • Oliver Grau: Hingabe an das Nichts: Der Cyberspace zwischen Utopie, Ökonomie und Kunst in: Medien. Kunst.Passagen, Nr. 4, 1994, p. 17-30.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. * Denmark, Aarhus, University of Aarhus, 16.-17.09.2010, invited lecture
    • China, Hong Kong City University, School for Creative Media, Renewing Knowledge Structures For Digital
    • Humanities, 11.8.2010, Invited Lecture
    • Great Britain, London, EVA, British Computer Society, Covent Garden, 05.-07.07.2010, Keynote
    • Russia, Moskau, Museum Garage, Center for Contemporary Culture, , 23.05.2010, invited lecture
    • London: University of Westminster, Visual Culture Studies in Europe, 05.02.2010, Keynote
    • Colombia, Universidad Nacional de Colombia, Escuela de Artes Plásticas, Bogota, Internationale Conference, INTERMEDIOS - SOCIEDAD Y TRANSPARENCIA, 09.-11.09.2009, Keynote
  2. Premiações e distinções estão:
    • em 2001, Jovem Acadêmico, pela Academia de Ciências de Berlim-Brandenburgo e Academia Alemã de Ciências Leopoldina;
    • em 2002, premiado pela InterNationes/Goethe Institute;
    • em 2003, Book of the Month, da Scientific American;
    • em 2003, bolsa de pesquisa do Centro de Estudos Ítalo-Alemão Villa Vigoni;
    • em 2004, Media Award, da Universidade Humboldt.
  3. Database of Virtual Art,
  4. Department for Image Science: http://www.donau-uni.ac.at/en/department/bildwissenschaft/index.php
  5. Conferências:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]