Oliver Wolcott Gibbs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oliver Wolcott Gibbs
Química
Nacionalidade Estados Unidos Estadunidense
Nascimento 21 de fevereiro de 1822
Local Nova Iorque
Morte 9 de dezembro de 1908 (86 anos)
Atividade
Campo(s) Química
Instituições Universidade Harvard

Oliver Wolcott Gibbs (Nova Iorque, 21 de fevereiro de 18229 de dezembro de 1908) foi um químico estadunidense.

É conhecido por ter executado a primeira análise eletrogravimétrica, i.é. as reduções de íons de cobre e níquel a seus respectivos metais.[1] [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Oliver Wolcott Gibbs nasceu em Nova Iorque, em 1822, filho de George e Laura Gibbs. Seu pai, o coronel George Gibbs, foi um mineralogista; o mineral gibbsita recebeu seu nome, e sua coleção foi comprada pelo Yale College. Oliver foi o irmão mais velho de Alfred Gibbs, que tornou-se general brigadeiro do Exército da União durante a Guerra de Secessão.[3] Matriculado no Columbia College (atual Universidade Columbia) em 1837, Wolcott (ele suprimiu o nome "Oliver" anteriormente) graduou-se em 1841. Assistente de Robert Hare na Universidade da Pensilvânia por diversos meses, foi depois para o Columbia University College of Physicians and Surgeons, qualificando-se como doutor em medicina em 1845. Saindo dos Estados Unidos, Gibbs estudou na Alemanha com Karl Friedrich August Rammelsberg, Heinrich Rose e Justus von Liebig, e em Paris com Auguste Laurent, Jean-Baptiste Dumas e Henri Victor Regnault.

Retornou aos Estados Unidos em 1848, tornando-se no mesmo ano professor de química da Free Academy, atual City College of New York. Gibbs foi candidato a professor de ciências físicas na Universidade Columbia, mas sua inscrição foi rejeitada por ele ser unitarista.[4]

Gibbs tornou-se professor Rumford da Universidade Harvard em 1863, onde permaneceu até retirar-se em 1887 como professor emeritus. Foi então para Newport (Rhode Island), onde trabalhou em torno de uma década em seu laboratório particular.

As pesquisas de Gibbs foram principalmente em química inorgânica e analítica, especialmente cobalto-aminas, metais platina e ácidos complexos. Publicou diversos artigos relacionados à espectroscopia e à medição de comprimentos de onda. Foi um excelente professor, que publicou muitos artigos em periódicos científicos.[5]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gibbs, W.. (1864). "On the electrolytic precipitation of copper and nickel as a method of analysis". Zeitschrift für analytische Chemie 3: 334 pp..
  2. Gibbs, W.. (1865). "On the electrolytic precipitation of copper and nickel as a method of analysis". American Journal of Science 39: 64–65 pp..
  3. Warner, Ezra J. Generals in Blue: Lives of the Union Commanders. Baton Rouge: Louisiana State University Press, 1964. ISBN 0-8071-0822-7. P. 172.
  4. The Wolcott Gibbs Affair at Columbia, 1854. Página visitada em 21 de janeiro de 2012.
  5. Clarke, Frank Wigglesworth. (1909). "Wolcott Gibbs Memorial Lecture". Journal of the Chemical Society 95: 1299–1312 pp..
  6. United States. Architect of the Capitol. Art in the United States Capitol. Washington, DC: US Government Printing Office, 1978. 350–351 pp. OCLC 2181271
  7. The Wolcott Gibbs Memorial Laboratory by Prof. T.W. Richards. [S.l.: s.n.]. Harvard alumni bulletin, Harvard Alumni Association, Associated Harvard Clubs. 15, 1, Sept. 25, 1912, pp. 424-429
  8. William N. Lipscomb. by István Hargittai, Candid Science III, More Conversations with Famous Chemists (pp. 19-27).

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) químico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.