Olodum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Olodum
O Olodum nas ruas do Pelourinho, em Salvador, Bahia.
Informação geral
Origem Salvador, BA
País  Brasil
Gênero(s) Axé, Reggae, Samba-reggae
Período em atividade 1979 (35 anos) - atualmente
Afiliação(ões) Daniela Mercury, Margareth Menezes, Simone, Paul Simon, Michael Jackson, Afro Reggae
Página oficial Site oficial
Ex-integrantes Neguinho do Samba
Germano Meneghel
Lázaro

O Olodum é um bloco-afro do carnaval da cidade do Salvador na Bahia. Foi fundado em 25 de abril de 1979 durante o período carnavalesco como opção de lazer aos moradores do Maciel-Pelourinho, garantindo-lhes assim, o direito de brincarem o carnaval em um bloco e de forma organizada. É uma Organização não Governamental (ONG) do movimento negro brasileiro.[1] Tem sua sede localizada no Centro Histórico, onde costuma mais se apresentar e seu diretor é João Jorge.[2]

Desenvolve ações de combate à discriminação social, estimula a auto-estima e o orgulho dos afro-brasileiros, defende e luta para assegurar os direitos civis e humanos das pessoas marginalizadas, na Bahia e no Brasil.

Banda Olodum[editar | editar código-fonte]

Fundado como bloco afro carnavalesco em Salvador no ano de 1979, a Banda Olodum é atualmente um grupo cultural, considerado uma organização não-governamental reconhecida como de utilidade pública pelo governo do estado da Bahia. Depois da estréia no carnaval de 1980, a banda conquistou quase dois mil associados e passou a abordar temas históricos relativos às culturas africana e brasileira. O primeiro LP da banda foi chamado de "Egito, Madagascar" e foi gravado em 1987, ele estourou na Bahia com a música "Faraó", a ideia desse LP foi homenagear as raízes do grupo e mostrar ao Brasil a Mamma Africa, e também apresentar como surgiu o grupo (do batuque as influências dos Deuses africanos). Pouco depois, o Olodum passou a ser conhecido internacionalmente como grupo de percussão afro-brasileira e excursionou por muitos países da Europa, o Japão e e quase toda América do Sul. Em 1988, Simone gravou “Me ama mô”, ao vivo, no Pelourinho, com a participação de Neguinho do Samba e Olodum, faixa que integra o disco Simone (1989). Um dos momentos de maior exposição do grupo foi em 1990, quando o mesmo participou da faixa "The Obvious Child", do disco de Paul Simon, "The Rhythm of the Saints", cujo videoclipe foi gravado no Pelourinho e exibido em mais de cem países. Depois desse fato o Olodum gravou com outros músicos consagrados internacionalmente e nacionalmente, como Wayne Shorter, Michael Jackson, Jimmy Cliff, Herbie Hancock e Caetano Veloso, divulgando ao mundo a mistura de ritmos que inclui batuques africanos, reggae, samba e ritmos latinos. Paralelamente ao sucesso artístico, a banda Olodum participa de movimentos sociais contra o racismo e pelos direitos civis e humanos.

Em 13 de junho de 2011, o ex-vocalista e compositor do Olodum Germano Meneghel, autor de sucessos como "Avisa lá", "Vem, Meu Amor", "Alegria Geral" e a postuma "Várias Queixas", foi encontrado morto em sua casa. As causas da morte ainda são desconhecidas.[3]

Integrantes do Olodum nas ruas do Centro Histórico de Salvador, 2010.

Fundadores[editar | editar código-fonte]

  • Florisvaldo Fagundes de Oliveira
  • Carlos Alberto Conceição do Nascimento
  • Geraldo Miranda
  • José Carlos Conceição do Nascimento
  • José Luiz Souza Almeida
  • Francisco Carlos Souza Almeida
  • Antônio Jorge Souza Almeida
  • Edson Santos da Cruz
  • Patrick Santos

Samba-Reggae[editar | editar código-fonte]

Neguinho do Samba e Mestre Jackson, foram os regentes da Banda, e responsaveis pela criação do Ritmo “Samba-Reggae” que deram ao Olodum os maiores sucessos musicais ate hoje.

Bando de Teatro[editar | editar código-fonte]

O Bando de Teatro Olodum é um grupo teatral que foi criado vinculado ao bloco-afro, formado por atores negros em 1990.

Com o passar dos anos, o Bando de Teatro Olodum se desvinculou do bloco-afro, e passou a residir no Teatro Vila Velha. Graças à ocupação do Bando, o espaço foi revitalizado, em 1994 começou a ser reformado, e em 1998, reinaugurado. O Bando está no Teatro Vila Velha até hoje e por ele passaram grandes nomes, como o ator Lázaro Ramos, por exemplo.

Focado nas questões do negro brasileiro em seus diversos aspectos, o Bando, como é mais comumente chamado, desenvolve uma linguagem própria em um formato de Teatro Experimental Negro.

Escola Olodum[editar | editar código-fonte]

A Escola Olodum tem como missão o desenvolvimento da cidadania e preservação da cultura negra, oferecendo um saber afro brasileiro e novas formas de conhecimentos adicionais àqueles adquiridos no sistema formal de ensino.

Esse projeto pioneiro de educação popular afro brasileiro teve origem no projeto Rufar dos Tambores, desenvolvido em 1984, pelo Olodum, composto de aulas gratuita de percussão de bloco afro, e dos cursos afro - brasileiros de curta duração.

Inicialmente visava atender uma solicitação da comunidade do Maciel/Pelourinho para que fosse formada uma banda de percussão integrada por crianças e adolescentes do bairro.

Eles viviam em situação de risco e vulnerabilidade social e sem perspectivas de integrar-se socialmente por conta do estigma marginal que na época existia contra os moradores da área.

Referência nacional e internacional[editar | editar código-fonte]

A Bandeira da Etiópia influenciou as cores do Pan-africanismo, que por sua vez, deram origem às cores do Olodum.

A Escola Olodum tornou-se um espaço real de participação e expressão da comunidade negra. É hoje uma referência nacional e internacional pela inovação no trabalho com arte, educação e pluralidade cultural.

Estimulou o surgimento de iniciativas similares, como:

E em Salvador:

  • Bagunçaco
  • Pracatum
  • Escola Mãe Hilda
  • Instituto AraKetu
  • Projeto Axé

Em 1990, o Olodum participou da faixa "The Obvious Child", do disco de Paul Simon, "The Rhythm of the Saints", cujo videoclipe foi gravado no Pelourinho e exibido em mais de cem países. Este momento levou o Olodum à fama e reconhecimento mundial.

Em 1996, o cantor pop Michael Jackson gravou junto ao Olodum a canção They Don't Care About Us. O clipe desta, filmado na Favela Santa Marta, no Rio de Janeiro, e no Pelourinho, em Salvador, consolidou a fama mundial do já conhecido Olodum. Desde então o grupo faz diversas turnês pelo exterior.[4] [5] [6]

Relação com a Seleção brasileira[editar | editar código-fonte]

O Olodum tem uma relação especial com a Seleção Brasileira de Futebol, onde sempre costuma se apresentar nos jogos no Pelourinho, animando os torcedores presentes. Essa relação tem mais de 24 anos.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum
1987 Egito Madagáscar
1989 Olodum 10 Anos
1990 Da Atlântida à Bahia
1993 Movimento
1994 Menino Dourado
1995 Filhos do Sol
1997 Da Alta à Bahia
Liberdade
1999 Popularidade
2002 Olodum Pela Vida
2005 Roma Negra
Pela Vida

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum
1997 Live at the Montreux Jazz Festival
2005 25 Anos de Samba Reggae: Ao Vivo

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

Ano Álbum
1994 10 Anos - Do Deserto do Saara ao Nordeste Brasileiro
2000 A Música do Olodum - 20 Anos
2008 Nova Série - Olodum

Referências

  1. Maria do Carmo Andrade. Artigo sobre Olodum, Fundação Joaquim Nabuco.
  2. Bahia Econômica.
  3. Correio 24 Horas.
  4. G1
  5. R7
  6. Bahia Notícias

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Olodum