Omofório

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arcebispo maior Sviatoslav Shevchuk da Igreja Greco-Católica Ucraniana. As cinco barras horizontais em seu omofório representam sua posição como cabeça de uma igreja do Rito Oriental

Omofório (do grego ōmophórion, da junção do prefixo grego ōmo-, que significa "ombro" com o sufixo -phorion do grego tardio, derivado do grego phérein "carregar"[1] , significando "que cobre/se carrega sobre os ombros"[2] ) é uma vestimenta litúrgica usada por bispos das igrejas seguidoras do rito oriental. É uma faixa de tecido, originalmente , decorada com cruzes e vestida pelos bispos abaixo do pescoço, à volta dos ombros[2] durante os rituais litúrgicos.[3]

Simbologia[editar | editar código-fonte]

É o correspondente, nas igrejas do rito oriental, ao pálio do rito latino. Entretanto, ao contrário do pálio, que só pode ser vestido por arcebispos, o omofório é usado por todos os bispos. Por ser uma faixa, difere do pálio moderno, que é uma vestimenta circular posta sobre os ombros, mas assemelha-se ao pálio romano original. Notadamente, o omofório foi provavelmente a origem do pálio.[4]

O omofório faz parte da simbologia do Bom Pastor, ao representar a ovelha perdida tomada sobre os ombros. É um símbolo da autoridade espiritual do bispo.[5] Usualmente, quando se quer dizer que determinada instituição (paróquia, monastério, clérigo etc.) está sob jurisdição de determinado bispo ou episcopado, fala-se que a tal instituição está sob o omofório do bispo.[6]

Origens[editar | editar código-fonte]

Isidoro de Pelúsio dá testemunho de que o omofório já era utilizado como vestimenta litúrgica episcopal por volta de 400. Feito de lã, o omofório já representava à época o dever pastoral do bispo. Um livro alexandrino intitulado "Crônicas do Mundo", do século V, já apresentava o omofório em suas miniaturas. A tábua de mármore de Trier também representa a veste, assim como afrescos dos séculos VII e VIII. Nestes afrescos, os omofórios representados são basicamente idênticos aos atuais.[4]

Várias teorias foram propostas para a origem do omofório. Provavelmente o omofório episcopal originou-se do omofório civil, uma vestimenta de uso geral da Antiguidade Clássica. Os bispos podem ter introduzido uma nova vestimenta litúrgica, dando-lhe o nome de omofório. Também é possível que os bispos tenho adotado o omofório como um ornamento comum, sem significado especial que, com o tempo, associou-se à ideia do episcopado e, por fim, adquiriu o papel de um emblema episcopal.[4]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. omophorion. Dictionary.com. Página visitada em 20 de março de 2011.
  2. a b Omophorion. AllWords.com. Página visitada em 20 de março de 2011.
  3. Omophorion. Oxford Dictionary of the Christian Church. Oxford University Press in answers.com (2006). Página visitada em 20 de março de 2011.
  4. a b c Braun, Joseph (1913). "Pallium". Enciclopédia Católica. Nova Iorque: Robert Appleton Company. Consultado em 20 de março de 2011. 
  5. Omophorion. [1]. Página visitada em 20 de março de 2011.
  6. Michael (17 de fevereiro de 2011). Most ancient of all mysteries: the Great Omophor. All of Creation Rejoices. Página visitada em 20 de março de 2011.