Onã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Onã, ou Onan, é um personagem bíblico do Antigo Testamento, mencionado no livro de Gênesis como o segundo filho de Judá e, portanto, um dos netos do patriarca Jacó[1] .

Er, o primogénito de Judá, segundo a Bíblia, era mau e teria sido executado por Deus por um motivo não mencionado[1] .

Como Er não tinha deixado descêndencia, Judá mandou que Onã, seu segundo filho, realizasse o casamento de cunhado (também chamado de casamento levirato) com Tamar, viúva de Er (Gênesis 38:6-8). Assim, se tivessem um filho, a herança de primogénito lhe pertenceria como herdeiro legal de Er. Porém, se não tivesse um herdeiro, Onã ficaria com a herança de primogénito[1] .

Em Gênesis 38:9 lê-se o versículo completo "Onã, porém, soube que esta descendência não havia de ser para ele; e aconteceu que, quando possuía a mulher de seu irmão, derramava o sêmen na terra, para não dar descendência a seu irmão." Segundo muitos estudiosos a causa porque Deus o matou foi por "não dar descendência a seu irmão" e não pelo método em si.[2]

Ao ter relações sexuais com Tamar, a Bíblia diz que Onã "desperdiçou o seu esperma na terra" ou seja, não a inseminou, jogando dessa forma fora seu esperma em um coito interrompido, conduta essa que aborreceu a Deus que tirou sua vida (Génesis 38:9-10)[1] .

Outro Onã também citado em Gênesis, foi um chefe horeu, filho de Sobal. [3] [4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d OS FILHOS DE JUDÁ, Interpretação de Genesis 38 por R David Jones
  2. Alan Dershowitz, The Genesis of Justice
  3. Gênesis 36:23
  4. 1 Crônicas 1:40

Ligações externas[editar | editar código-fonte]