On Her Majesty's Secret Service

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
On Her Majesty's Secret Service
007 - Ao Serviço de Sua Majestade (PT)
007 - A Serviço Secreto de Sua Majestade (BR)
 Reino Unido
1969 • cor • 136 min 
Direção Peter R. Hunt
Produção Harry Saltzman
Albert R. Broccoli
Roteiro Richard Maibaum
Simon Raven
Elenco George Lazenby
Diana Rigg
Telly Savalas
Gabriele Ferzetti
Ilse Steppat
Género Acção
Idioma Inglês, alemão
Música John Barry
Direção de arte Robert W. Laing
Direção de fotografia Michael Reed
Figurino Marjory Cornelius
Edição John Glen
Estúdio EON Productions
Distribuição Metro-Goldwyn-Mayer
United Artists
Cronologia
Último
Último
You Only Live Twice (1967)
Diamonds Are Forever (1971)
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

On Her Majesty's Secret Service é um filme britânico de acção, aventura, drama, romance, thriller e espionagem de 1969, o sexto da série 007, conhecido em Portugal por 007 - Ao Serviço De Sua Majestade e 007 - A Serviço Secreto de Sua Majestade no Brasil. O actor australiano George Lazenby interpreta Bond pela primeira e única vez substituindo Sean Connery, que voltaria em Diamonds are Forever. O editor dos filmes anteriores, Peter R. Hunt, pediu aos produtores Harry Saltzman e Albert R. Broccoli para dirigir a realização do filme.

James Bond tem de deter Blofeld, que planeia lançar uma praga através de raparigas chamadas Anjos da Morte a não ser que as suas exigências sejam satisfeitas. Bond conhece Teresa di Vincezo e apaixona-se por ela, acabando por se casar.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Bond está a viajar pela costa portuguesa e, de repente, depara com uma mulher num Mercury Cougar a ultrapassá-lo. James persegue-o, vê o carro estacionado na berma e vê uma rapariga a tentar suicidar-se no mar. Bond interrompe o acto e salva-a apresentando-se. Após lutar com dois homens numa cena dramática, Bond vê a rapariga fugir no seu Cougar e diz a seguinte frase para a câmera referindo-se a Sean Connery:

Isto nunca aconteceu ao outro tipo. (This never happened to the other fellow)

Após a sequência dos títulos, Bond vai a um hotel do Estoril cujo gerente afirma que o proprietário do Cougar é Condessa Teresa "Tracy" di Vincezo. À noite, desloca-se para o casino. Lá, a mesma Tracy faz uma aposta que não pode pagar. O agente pagando sua dívida e a rapariga agradece convidando-o a deslocar ao seu quarto. No quarto, Bond encontra um capanga, e após lutar volta para seus aposentos, onde encontra a condessa.

No dia seguinte, Tracy sai do hotel. Bond abre a gaveta ao seu lado e repara que Tracy pagou-lhe a dívida completamente. Mais tarde é apanhado por quatro homens, incluindo o agressor do dia anterior, e levado a Marc-Ange Draco, chefe da Unione Corse, a máfia corsa. Draco afirma que é o pai de Tracy explica-lhe que ela teve um passado terrível e gostaria que Bond se casasse com ela como terapia. Bond recusa a proposta de um milhão de libras, mas aceita um romance com Tracy se Draco revelar onde está Ernst Stavro Blofeld, chefe da SPECTRE.

Bond regressa ao MI6. M não está contente com o seu desaparecimento e diz que o agente está fora do caso. Bond chateia-se e, através de uma carta enviada por Miss Moneypenny, apresenta a demissão. Porém, a secretária altera as palavras para uma licença para duas semanas. O agente regressa a Portugal para o aniversário de Draco. Tracy descobre que Bond e o seu pai haviam feito um acordo só para que ela se casasse com o agente em troca de informações. O pai dá-as a Bond e este inicia um grande romance com Tracy. Draco diz que existe uma conexão entre Blofeld e uma empresa de advogados em Berna, Suíça.

Tracy, Bond e Draco dirigem-se para a capital helvética e o agente assalta secretamente o cofre de um escritório da empresa. Descobre que Blofeld quer provar a sua ligação sanguínea de Conde Balthazar de Bleuchamp através de Sir Hilary Bray do Colégio de Armas de Londres. Bond regressa a Londres a pedir autorização para voltar a actuar na missão, e conhecer Bray.

Se passando por Bray, Bond chega a Piz Gloria na Suíça, onde Blofeld instalou um centro de pesquisa. Lá Bond conhece as dez raparigas, "Os Anjos da Morte", que participam num tratamento anti-alergénico. Ao dormir com uma das pacientes, Ruby, Bond descobre que Blofeld passa uma fita de hipnose para lavagem cerebral. Bond tenta persuadir Blofeld para fora da Suíça (com a intenção de prendê-lo), o que leva-o a perceber que Bray não é quem diz ser. Bond é capturado por Irma Bunt, aliada de Blofeld, e o inimigo explica o seu plano de guerra bacteriológica, que usará os Anjos da Morte para lançar germes que esterilizarão animais e vegetais quando estas voltarem para casa.

Bond é preso na sala das máquinas do teleférico, mas escapa esquiando, sendo perseguido por Blofeld e seus agentes até à cidade de Mürren. Lá Bond reencontra Tracy, que está à sua procura. Os dois fogem até uma estalagem e lá Bond declara o seu amor pela condessa, e pede-a em casamento. Na manhã seguinte Blofeld tenta matar o casal com uma avalanche provocada, e captura Tracy.

Bond regressa ao MI6 e vê que M não quer avançar com a missão. O agente então pede ajuda a Draco para destruir Piz Gloria, impedindo Blofeld de transmitir suas ordens do plano de Blofeld para os Anjos da Morte. Após a destruição do centro, Blofeld escapa num bobsleigh, e Bond persegue-o. Blofeld acaba pendurado pelo pescoço entre dois ramos.

De regresso a Portugal, Bond e Tracy casam-se no Ribatejo num ambiente de festa. Os dois partem e dirigem-se à Serra da Arrábida. Na estrada, os dois são alcançados por um Mercedes com Blofeld e Bunt, que dispara contra o carro matando Tracy. Bond fica desolado. Um polícia dirige-se ao carro e o agente diz que está tudo bem, que Tracy está apenas a dormir.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Piz Gloria.

Nos últimos cinco filmes, Sean Connery interpretou o agente mais famoso do mundo: James Bond. Durante as filmagens de You Only Live Twice, o actor decide despedir-se da série. Os produtores estão perante um desafio: encontrar outro actor para o agente. Ian Fleming escreveu o livro homónimo durante a produção de Dr. No e torna-se um sucesso após a publicação em 1963. Após o fim do contrato de Connery com a Universal Artists, muitos pensaram que seria o fim de Bond mas os produtores mostraram que isso seria mentira.

Após Goldfinger os produtores queriam filmar esta película; mas após o fim do escândalo de plágio contra Kevin McClory decidiram filmar Thunderball em primeiro lugar. On Her Majesty's Secret Service seria o próximo, mas devido às condições atmosféricas na Suíça, You Only Live Twice foi filmado no lugar deste, adiando este filme para o ano de 1969. Peter Hunt, que foi o editor dos últimos cinco filmes e o director da segunda unidade de You Only Live Twice, estava a terminar de realizar Chitty Chitty Bang Bang e decide que não quer editar mais pedindo aos produtores a direcção deste filme. Hunt decide manter o argumento próximo do livro original. A principal diferença neste filme é que Bond não tem engenhos de Q e os cenário são muito mais realistas ao contrário dos anteriores. As procuras por um lugar do laboratório de Blofeld iniciam-se na Suíça, nos Alpes.

Mas os produtores têm um maior problema: encontrar um novo actor para interpretar 007. Hunt vê um anúncio dos chocolates Fry e repara que a pessoa que interpreta a personagem principal podia interpretar Bond. Trata-se de George Lazenby, um antigo vendedor de automóveis austrialiano e que se tornou modelo em Inglaterra. Porém, Lazenby não era actor mas mesmo assim quis interpretar o agente. As dificuldades começam na maneira de andar e na forte pronúncia australiana. Diana Rigg foi contactada e pediram-na para testar Lazenby. Rigg achou que ele seria um bom actor para interpretar o agente secreto. Após a escolha, os produtores têm que escolher ainda outro actor para Blofeld e decidiram que Telly Savalas iria interpretar o papel. Para a aliada de Blofeld, Brunt, é atribuído o papel a Ilsa Steppat.

A 21 de Outubro de 1968, as filmagens começam em Piz Gloria, na Suíça. As cenas provaram ser difíceis de filmar dada a altitude, a atitude de Lazenby e as condições atmosféricas. Para filmar as cenas de perseguição na neve foram utilizadas imagens captadas por esquiadores profissionais enquanto desciam a montanha (o principal, Willy Bogner, filmava descendo de costas ou com a câmera entre as pernas), e outras com um sistema novo desenvolvido pelo cameraman Johnny Jordan (que participara da luta de helicópteros em You Only Live Twice), em que ele era preso a uma rede, erguida por um helicóptero, assim podendo filmar em um ângulo de 360º. Em Dezembro, a equipa regressa aos estúdios da Pinewood enquanto que outra unidade fica na Suíça para filmar a sequência na pista de bobsleigh que fora encerrada. As cenas de avalanche foram conseguidas com duas filmagens: uma com explosões anuais feitas pelo exército suíço para evitar a acumulação de neve, e outra criada pela equipa de efeitos visuais. O efeito da avalanche sobre as personagens foi conseguido com um truque óptico.

A 21 de Março de 1969, aconteceu aquilo que muitos fãs nunca pensaram que poderia acontecer: Bond declara o seu amor perante Tracy e pede-lhe em casamento. No fim do mês de Abril, a primeira unidade viaja até Portugal, para o Zambujal, perto de Setúbal para filmar o casamento entre outras cenas. Os portugueses decoraram o próprio carro de Bond. A 13 de Maio é filmada a sequência inicial da luta na costa portuguesa e mais tarde, o assassino da personagem Teresa. Esta cena final devia ser usada para introduzir o próximo filme Diamonds Are Forever.

Durante o fim da produção, o agente de George Lazenby convenceu o actor de que Bond seria um personagem ultrapassado nos anos 70, e assim Lazenby descartou um contrato para sete filmes.[1]

Música[editar | editar código-fonte]

John Barry compôs a trilha sonora. Ao contrário dos filmes anteriores, a música-tema é instrumental, porque Barry achou que o título do filme só poderia ser incluído se fosse uma composição operática no estilo de Gilbert e Sullivan.

Barry também compôs "We Have All the Time in the World" com o letrista Hal David (parceiro regular de Burt Bacharach), cantada por Louis Armstrong. Ouvida nas cenas de romance de Bond e Tracy, a canção foi a última gravação de Armstrong.

Local das filmagens[editar | editar código-fonte]

O filme foi filmado nos seguintes locais:

Recepção[editar | editar código-fonte]

A estreia foi marcada para 18 de Dezembro de 1969. Apesar de filmado em Portugal, o filme, bem como os anteriores, nunca foi estreado no país dado o regime político que vigorava na altura.

Apesar de On Her Majesty's Secret Service ter faturado menos do que o antecessor You Only Live Twice, este filme foi um sucesso financeiro, com 87 milhões de dólares nas bilheteiras mundiais,[2] tornando-se o segundo filme mais visto do ano atrás de Butch Cassidy and the Sundance Kid.[3]

Referências

  1. Toda a secção Produção foi baseada no documentário Inside On Her Majesty's Secret Service do DVD de Edição Especial Ao Serviço de Sua Majestade de registo n.º 156/2000 da Inspecção-Geral das Actividades Culturais - Portugal.
  2. On Her Majesty's Secret Service - The Numbers
  3. Bilheteiras de 1969

Ligações externas[editar | editar código-fonte]