On the Road

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
On the Road
Pela Estrada Fora (PT)
Pé na Estrada (BR)
Autor (es) Jack Kerouac
Idioma Inglês
País  Estados Unidos
Género Romance
Editora Viking Press
Lançamento 5 de setembro de 1957
ISBN 978-0-14-118267-4
Edição portuguesa
Tradução H. Santos Carvalho
Editora Ulisseia
Lançamento 1960
Páginas 403
Edição brasileira
Tradução Eduardo Bueno
Editora L&PM Editores
Lançamento 2004 (edição de bolso, 384 pág.)
2012 (edição normal, 296 pág.)
ISBN 978-85-254-2667-3
Cronologia
Último
Último
The Town and the City
The Subterraneans
Próximo
Próximo

On the Road (no Brasil, lançado como Pé na Estrada; em Portugal, Pela Estrada Fora) um livro do escritor estadunidense Jack Kerouac. Considerada a obra-prima de Kerouac, um dos principais expoentes da geração beatnik dos Estados Unidos, sendo uma grande influência para a juventude dos anos 60, que colocava a mochila nas costas e botava o pé na estrada. Foi lançado nos Estados Unidos da América pela primeira vez em 1957.

Em abril de 1951, entorpecido por benzedrina e café e inspirado pelo jazz, Jack Kerouac escreveu a primeira versão do que viria a ser On the Road. Kerouac escrevia em prosa espontânea, como ele chamava: uma técnica parecida com a do fluxo de consciência. O manuscrito original foi rejeitado por diversas editoras, mas em 1957, On the Road foi finalmente publicado, após inúmeras alterações exigidas pelos editores. O livro, de inspiração autobiográfica, descreve as viagens através dos Estados Unidos e México de Sal Paradise (Jack Kerouac) e Dean Moriarty (Neal Cassady).

On the Road – que no Brasil ganhou o título de Pé na estrada e tem tradução de Eduardo Bueno – exemplificou para o mundo aquilo que ficou conhecido como a "geração beatnik" e fez com que Kerouac se transformasse em um dos mais controversos e famosos escritores de seu tempo – embora em vida tenha tido mais sucesso de público do que de crítica e embora rejeitasse o título de "pai dos beatniks".

Ao cruzar os Estados Unidos de carro, Sal Paradise e Dean Moriarty empreenderam a viagem que todos os jovens um dia sonharam em fazer, repleta de sexo, drogas, álcool e, acima de tudo, liberdade. Ao contar a história de como os dois amigos atravessaram os Estados Unidos, em inúmeras idas e vindas que incluíram uma incursão ao México, Kerouac inaugurou um novo tipo de prosa, que funciona como uma trilha sonora interna ao livro, que vai se desprendendo das palavras, das frases, dos blocos de texto. Essa escrita que tem o ritmo das ruas une a realidade ao sonho, transformando o que era uma viagem em uma busca espiritual.

Na década de 90, o diretor e produtor Francis Ford Coppola ensaiou um projeto para um filme, que acabou se concretizando em 2012, levado às telas pelo diretor brasileiro Walter Salles. Mais de meio século depois do lançamento do livro, os leitores poderão conhecer a versão para o cinema do grito libertário de Jack Kerouac.

Em 2003, o escritor Dodô Azevedo e a fotógrafa Luiza Leite refizeram a rota percorrida por Kerouac e produziram um livro onde avaliam o legado da obra do escritor para o século XXI. O Livro chama-se Fé na Estrada.

Adaptação cinematográfica[editar | editar código-fonte]

O diretor brasileiro Walter Salles, de Central do Brasil e Diários de Motocicleta, adaptou On the Road para o cinema e seu filme concorre à Palma de Ouro no Festival de Cannes. A estreia de Na estrada no Brasil está prevista para o dia 13 de julho.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: On the Road
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.