Operação Ópera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Operação Ópera
Parte do Conflito árabe-israelense
OsirakLocation.gif
Mapa do ataque
Data 7 de junho de 1981
Local Bagdá, Iraque
Desfecho O reator foi destruído
Combatentes
 Israel Flag of Iraq (1991-2004).svg Iraque
Baixas
Não houve baixas 10 soldados iraquianos mortos
1 civil francês morto

Operação Ópera (Codenome: Babilónia ou Ofra, Hebraico: אופרה) foi um ataque aéreo israelense surpresa, realizado em 7 de junho de 1981, que destruiu um reator nuclear em construção à 17 km (10,5 milhas) a sudeste de Bagdá, Iraque.

Em 1976, o Iraque adquiriu um reator nuclear classe "Osiris" da França. Embora o Iraque e a França sustentassem que o reator, chamado de Osirak pelos franceses, era destinado para a pesquisa científica pacífica, os israelenses viram o reator com suspeita, e disseram que ele havia sido projetado para fabricar armas nucleares.

Em 7 de junho de 1981, um vôo de aeronaves de caça F-16A da Força Aérea Israelense, com uma escolta de F-15As, bombardeou e danificou severamente o reator de Osirak. Israel alegou que agiu em defesa própria, e que o reator tinha "menos de um mês para ir" antes de "poder ter se tornado crítico. Dez soldados iraquianos e um civil francês foram mortos. O ataque ocorreu cerca de três semanas antes das eleições para o Knesset.

O ataque foi fortemente criticado em todo o mundo, e Israel foi repreendido pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas e a Assembléia Geral, em duas resoluções distintas. A destruição de Osirak tem sido citada como um exemplo de um ataque preventivo nos estudos contemporâneos sobre o direito internacional.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]