Operação Bagration

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Operação Bagration
Segunda Guerra Mundial
194407 abandoned german vehicles belarus (revised).jpg
Equipamentos militares alemães abandonados aos soviéticos na Bielorrússia após a retirada das tropas da região.
Data 22 de junho a 19 de agosto 1944
Local  Bielorrússia
Desfecho Vitória soviética; destruição quase completa do exército alemão na região
Combatentes
 União Soviética
 Polônia
Flag of German Reich (1935–1945).svg Alemanha Nazista
Flag of Hungary (1920–1946).svg Reino da Hungria
Comandantes
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Georgy Zhukov
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Aleksandr Vasilevsky
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Hovhannes Bagramyan
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Ivan Chernyakhovsky
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Konstantin Rokossovsky
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Georgiy Zakharov
Flag of German Reich (1935–1945).svg Ernst Busch (até 28 de junho)
Flag of German Reich (1935–1945).svg Walter Model (Grupo de Exércitos Centro)
Flag of German Reich (1935–1945).svg Hans Jordan (9º Exército)
Flag of German Reich (1935–1945).svg Georg-Hans Reinhardt (3º Exército Panzer)
Flag of German Reich (1935–1945).svg Kurt von Tippelskirch (4º Exército)
Flag of German Reich (1935–1945).svgWalter Weiss (2º Exército)
Forças
2 331 700 soldados soviéticos
79 900 poloneses
2 715 tanques[1]
24 363 armas pesadas[2]
5 327 aeronaves[3]
486 493 soldados[4]
118 tanques[5]
2 589 armas pesadas[6]
602 aeronaves[7]
Baixas
180 040 mortos ou desaparecidos
590 848 feridos ou doentes
770 888 perdas totais[8] [9]

2 957 armas pesadas perdidas[10]
822 aeronaves abatidas[11]
Fontes soviéticas:[12]
381 000 mortos
158 480 capturados
Isayev:[13]
500 000 baixas
Zaloga:
300 000-350 000 mortos ou desaparecidos (incluindo 150 000 capturados)[14]
Frieser:
26 397 mortos
109 776 feridos
262 929 desaparecidos ou capturados
399 102 perdas totais[details][15]

Operação Bagration (em russo: Oперация Багратион, Operatsiya Bagration) foi o codinome para a Ofensiva Bielorrussa na Segunda Guerra Mundial, que retirou completamente as tropas alemãs da República Socialista Soviética da Bielorrússia e Polônia oriental entre 22 de junho e 19 de agosto de 1944.

A operação recebeu este nome em homenagem ao príncipe Pyotr Bagration, general das forças russas que foi ferido mortalmente na Batalha de Borodino.

A ação resultou na quase completa destruição do Grupo de Exércitos Centro e três de seus componentes: 4.º Exército, 9.º Exército e 9.° Exército Panzer. O resultado, foi "a derrota mais calamitosa" do exército da Alemanha na Segunda Guerra Mundial.[16]

Foi um triunfo militar soviético, devido ao movimento coordenado da ofensiva em todas as frentes e operações para enganar o inimigo até a ofensiva geral, no verão de 1944. Apesar do grande número de forças envolvidas na operação, o inimigo não sabia onde e nem quando seria a operação.[carece de fontes?]

Após a batalha, o exército alemão havia perdido cerca de 25% de todas as forças na Frente Oriental e não se recuperou da excecional baixa em homens e material. Perdas de oficiais nazistas: 9 generais mortos, 22 capturados, 1 perdido e 2 cometeram suicídio. Ao final da operação o "Grupo de Exércitos Central" foi quase completamente destruído. Perdas materiais: 2000 tanques e 57000 veículos. Além de cerca de 400 mil mortos.

Perdas do lado soviético: 2957 tanques e 2447 peças de artilharia, 822 aeronaves. Perdas humanas: 180.040 mortos e desaparecidos e 590848 feridos.

Durante a ofensiva de dois meses, o Exército Vermelho sofreu 25% das perdas da Wehrmacht, liberando inúmeras cidades e alcançando um impressionante sucesso. Para demonstrar a vitória à outros países, cerca de 50 mil prisioneiros de guerra alemães capturado à leste de Minsk, marcharam cerca de 90 minutos pelas ruas de Moscou, e após isso as ruas foram deliberadamente lavadas com água e sabão.[carece de fontes?]

Referências

  1. (Frieser 2007, p. 534)
  2. (Frieser 2007, p. 534)
  3. (Glantz & House 1995, p. 201)
  4. (Frieser 2007, p. 531)
  5. (Frieser 2007, p. 534)
  6. (Frieser 2007, p. 534)
  7. (Frieser 2007, p. 534)
  8. (Bergstrom 2008, p. 82)
  9. (Glantz & House 1995, p. 298)
  10. (Krivosheev 1997, p. 371)
  11. (Krivosheev 1997, p. 203)
  12. Glantz&Oreinstein 2004, p. 176.
  13. Алексей Исаев. [Цена Победы. Операция «Багратион» http://echo.msk.ru/programs/victory/612713-echo/]// Эхо Москвы. 17.08.2009
  14. Zaloga 1996, p. 71
  15. Frieser p. 593–594
  16. Zaloga, Bagration 1944: The Destruction of Army Group Centre, 7.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Frieser, Karl-Heinz. Das Deutsche Reich und der Zweite Weltkrieg - Vol. 8: Karl-Heinz Frieser, Klaus Schmider, Klaus Schönherr, Gerhard Schreiber, Kristián Ungváry, Bernd Wegner: Die Ostfront 1943/44 - Der Krieg im Osten und an den Nebenfronten (em ). Munique: Deutsche Verlags-Anstalt, 2007. ISBN 978-3-421-06235-2.
  • Krivosheev, G.F.. Soviet Casualties and Combat Losses in the Twentieth Century (em ). Londres: Greenhill Books, 1997. ISBN 1-85367-280-7.
  • Glantz, David M.; House, Jonathan. When Titans Clashed: How the Red Army Stopped Hitler (em ). Lawrence, Kansas: University Press of Kansas, 1997. ISBN 0-7006-0899-0.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Operação Bagration