Oréade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Herbert James Draper - Halcyone (1915).jpg
Alcíone, por Draper (1915)
Ninfas

Oréades, na mitologia grega, eram um tipo específico de ninfas que habitavam e protegiam as montanhas, as cavernas e as grutas. Elas não eram imortais, porém tinham vida muito longa e não envelheciam. Tinham ainda o dom de curar, profetizar e nutrir. Em geral, não se destacavam individualmente.

O termo é usado por Ovídio na lenda de Erisictão: Ceres usou uma oréade para trazer a Fome, que habitava lugares desolados, para amaldiçoar Erisictão[1] .

Eco era uma oréade que foi privada do dom da fala pela deusa Hera e, desde então, foi condenada a repetir os sons que são produzidos em montanhas e grutas.

Referências

  1. Ovídio, Metamorfoses, VIII, 777-798