Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
thumGrande Colar da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul

A Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul é uma comenda que o presidente do Brasil atribui a personalidades estrangeiras.

Foi criada como Ordem Imperial do Cruzeiro do Sul em 1 de dezembro de 1822 por Dom Pedro I, menos de três meses após a independência, como símbolo do poder imperial. A comenda foi abolida com a primeira constituição republicana em 1891 e restabelecida com sua atual denominação em 5 de dezembro de 1932 pelo presidente Getúlio Vargas.

A Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul já foi atribuída a personalidades como Alain Prost, Chiara Lubich, Dwight D. Eisenhower, Rainha Elizabeth II, Yuri Gagarin, Amália Rodrigues o ditador peruano Alberto Fujimori e o líder guerrilheiro Ernesto Che Guevara.

Diferenças das ordens[editar | editar código-fonte]

Elizabeth II do Reino Unido exibe o "Grande Colar" e a placa da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul. (Foto: Ricardo Stuckert/PR, 2006)

A diferença entre a ordem imperial e a republicana está no fato de que a Imperial Ordem do Cruzeiro destinava-se a dignitários brasileiros e estrangeiros, já a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul ficou restrita a personalidades estrangeiras. Sua concessão ou ato de conceder dá-se por decreto presidencial, configurando-se um ato de relações exteriores. É a mais alta condecoração brasileira atribuída a cidadãos estrangeiros.

Na verdade, é uma forma do governo brasileiro reverenciar estrangeiros que realizem grandes feitos para o país.

Descrição[editar | editar código-fonte]

As estrelas da Ordem Imperial do Cruzeiro do Sul e da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul

É assim descrita, conforme o decreto presidencial:

A insígnia da Ordem é uma estrela de cinco braços esmaltados de branco e orlados de prata dourada, assentada sobre uma coroa e encimada por uma grinalda, ambas feitas de folhas de fumo e café, tendo, no centro, em campo azul celeste, a constelação do Cruzeiro do Sul, esmaltada de branco e, na circunferência, em círculo azul ferrete, a legenda Benemerentium Premium[1] em ouro polido. No reverso a efígie da República, em ouro com a legenda "República Federativa do Brasil" (Art. 2º do Regulamento).

Conselho[editar | editar código-fonte]

O Conselho é constituído conforme regulamento, é quem escolhe a personalidade que irá receber a Ordem em reunião presidida pelo presidente da República e nesta preenche-se um formulário sobre o qual cada Conselheiro dá seu parecer e grau da concessão da Comenda.

Componentes do Conselho da Ordem[editar | editar código-fonte]

  • Grão-Mestre (mais alta designação): Presidente da República
  • Chanceler da Ordem (assemelha-se ao vice-grão-mestre): Ministro de Estado das Relações Exteriores
Membros do Conselho (conselheiros)
  • Ministro de Estado da Defesa
  • Secretário-Geral das Relações Exteriores
  • Secretário do Conselho (equivalente ao secretário-geral): Chefe do Cerimonial do Ministério das Relações Exteriores
  • Chancelaria da Ordem (é quem organiza o cerimonial de entrega e festejos): Cerimonial do Ministério das Relações Exteriores

Graus[editar | editar código-fonte]

Conforme o Capítulo I do regulamento, a Ordem compreende os seguintes graus:

  • Grande-Colar
  • Grã-Cruz
  • Grande-Oficial
  • Comendador
  • Oficial
  • Cavaleiro

Pela ordem de importância, sendo o Grande colar o de maior grau e o Cavaleiro o de menor grau.

Barretes
Order of the Southern Cross Knight (Brazil) Ribbon.png
Cavaleiro
Order of the Southern Cross Officer (Brazil) Ribbon.png
Oficial
Order of the Southern Cross Commander (Brazil) Ribbon.png
Comendador
Order of the Southern Cross Grand Officer (Brazil) Ribbon.png
Grande Oficial
Order of the Southern Cross Grand Collar Ribbon.png
Grã-Cruz
Order of the Southern Cross Grand Collar Ribbon.png
Grande Collar

Comendadores do Grande Collar[editar | editar código-fonte]

Presidente da Syria Bashar al-Assad usando "Grande Collar" da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, acompanhado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, June 30, 2010

Referências