Ordem do Crisântemo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ordem do Crisântemo
Dai-kun'i kikka-shō
Colar da Ordem do Crisântemo
Classificação
País  Japão
Outorgante Imperador do Japão
Criação 1876
Tipo Ordem de cavalaria
Descritivo Concedida por serviços à Família Imperial e ao Japão
Agraciamento Realeza, civis, militares
Condição Ativa
Histórico
Primeira concessão 1877
Última concessão 2012
Póstuma sim
Premiados Relação dos agraciados
Hierarquia
Superior à Ordem da Paulownia
Imagem complementar Order Chrysantemum Sash.svg
Observação Faixa

A Suprema Ordem do Crisântemo (大勲位菊花章, daikun'i kikkashō) é a condecoração mais importante do Japão. Foi criada em 1876 pelo Imperador Meiji, o Colar, porém, foi acrescentado em 1888. A Ordem do Crisântemo possui algumas notoriedades, tais como o fato de possuir apenas uma classe e de ser concedida também postumamente. Tradicionalmente, desde 1928, aos agraciados em vida concede-se o "Grande Cordão", deixando para as concessões póstumas somente o "Colar" . O único em vida a portar o "Colar" é o Imperador, por sua vez, o soberano da Ordem.

Além da Família imperial, 50 cidadãos japoneses foram agraciados com esta condecoração. Até hoje o único brasileiro a receber tal condecoração foi o ex-Ministro de Minas e Energia Eliezer Batista, pai do magnata brasileiro, Eike Batista. Outra exceção é a Rainha Elizabeth II, que recebeu tanto o "Colar", em 1962, quanto o "Grande Cordão", em 1971.

Agraciados[editar | editar código-fonte]

Em vida[editar | editar código-fonte]

Colar
Grande Cordão
Ícone de esboço Este artigo sobre o Japão é um esboço relacionado ao Projeto Ásia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.