Ordonho Bermudes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ordonho Bermudes
Cônjuge Fronilde Pais
Descendência
Ver descendência
Pai Bermudo II de Leão
Nascimento Galiza
Morte 1042

Ordonho Bermudes (em espanhol: Ordoño Bermúdez; morto em 1042) foi um dos filhos bastardos de Bermudo II, rei de Leão, e possivelmente sua mãe era membro da nobreza galega segundo se depreende dum documento do Mosteiro de Samos onde os descendentes de Ordonho e os Vela-Ovequiz compartilham uma herança basada numa linea consaguinitatis.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sua primeira aparição na ocumentação foi em 1001 quando confirmou um litígio entre o conde galego Rodrigo Romaniz e Jimena Jimenez. Em 1024 confirmou como o mordomo-mor de seu irmão o rei Afonso V. Após a morte do rei Afonso em Viseu em 1028, Ordonho foi o mordomo-mor de seu sobrinho, o rei Bermudo III tal como indicado num documento de 1029. Foi membro proeminente da Cúria Régia pelo menos até o ano 1032.[2]

Matrimónio e descêndencia[editar | editar código-fonte]

Mosteiro de São Julião de Samos onde os descendentes de Ordonho compartilham uma herança.

Ordonho e sua esposa, Fronilde Pais, filha do conde rebelde Paio Rodrigues e de Gotina Fernandes de Cea, esta última a filha do conde Fernando Bermudes,[3] foram os genearcas da linhagem dos Ordonhes galegos. Em 1042, Ordonho e Fronilde fizeram uma doação ao Mosteiro de Santa Maria Virgen de Leão juntamente com "...filiis nostris Ueremundo Ordoniz, Sanctio Ordoniz et Fredenando Ordoniz et Xemena Ordoniz". Eles também tinham outros três filhos que já estavam mortos nesse ano: Afonso, Pelayo e Oveco. Os sete filhos foram:[4]

  • Bermudo Ordonhes, casado com Sancha Eris.
  • Afonso Ordonhes (m. antes de 1042), conde.
  • Pelayo Ordonhes (m. antes de 1042), esposo de Corexia e pai de Marina Pais, freira.
  • Sancho Ordonhes (m. ca. 1080), conde, casado com Onecca Ovequiz, filha do conde Oveco Bermudez e de Elvira Soares. Teve vários filhos, entre eles, o conde Oveco Sanches e Fronilde Sanches, a esposa de Nuno Velasques, que foram os pais do conde Afonso Nunes de Celanova e outros filhos.
  • Fernando Ordonhes (m. ca. 1059), casado com Fronilde Guterres, filha do conde Guterre Afonso.
  • Oveco Ordonhes (m. antes de 1042).
  • Jimena Ordonhes (morta antes de 1074) foi a primeira esposa do conde Munio Rodrigues, filho do conde Rodrigo Romaniz e a condessa Elvira Rodrigues, que depois de enviuvar de Jimena, contraiu matrimónio com Ilduara Velasques.[5] [6]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Salazar y Acha, Jaime de. (1989). "Los descendientes del conde Ero Fernández, fundador de Monasterio de Santa María de Ferreira de Pallares" (em espanhol). El Museo de Pontevedra (43): 67-86. ISSN 0210-7791.
  • Sánchez Candeira, Alfonso. In: Rosa Montero Tejada (edición patrocinada por Fundación BBV, Fundación Ramón Areces, Caja Madrid Fundación). Castilla y León en el siglo X, estudio del reinado de Fernando I (em espanhol). Madrid: Real Academia de la Historia, 1999. ISBN 978-84-8951241-2.
  • Torres Sevilla-Quiñones de León, Margarita Cecilia. Linajes nobiliarios de León y Castilla: Siglos IX-XIII (em espanhol). Salamanca: Junta de Castilla y León, Consejería de educación y cultura, 1999. ISBN 84-7846-781-5.
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Espanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.