Orlando Ramón Agosti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Orlando Ramón Agosti (San Andrés de Giles, 24 de agosto de 1924 - Buenos Aires, 7 de outubro de 1997) foi um militar argentino, membro da primeira junta militar que governou seu país após o golpe de estado que destituiu a presidente María Estela Martínez de Perón, em 24 de março de 1974.[1] [2]

Foi comandante da Força Aérea Argentina desde 18 de dezembro de 1975 até 25 de janeiro de 1979,[3] sendo antecedido por Héctor Luis Fautario [4] e sucedido por Omar Domingo Rubens Graffigna.[5]

Julgado durante o governo de Raúl Alfonsín, Agostí foi declarado culpado em oito casos de tortura, sendo sentenciado a três anos e nove meses de prisão.[1] [2]

Referências

  1. a b La Nación, Miércoles 08 de octubre de 1997, Murió el ex brigadier Orlando R. Agosti [em linha]
  2. a b Clarín, Edición Miércoles 08.10.1997, Murió Orlando Ramón Agosti [em linha]
  3. Força Aérea Argentina, Dezembro [em linha]
  4. Força Aérea Argentina, Maio [em linha]
  5. Força Aérea Argentina, Janeiro [em linha]


Precedido por
Héctor Luis Fautario
Comandante de la Fuerza Aérea Argentina
19751979
Sucedido por
Omar Domingo Rubens Graffigna



Precedido por
Isabelita Perón
Governo da Argentina

Junta Militar:
Jorge Rafael Videla (exército)
Emilio Massera (marinha)
Orlando Ramón Agosti (aeronáutica)
24 de março de 1974 - 29 de março de 1974

Sucedido por
Jorge Rafael Videla
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.