Ornithoptera alexandrae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaOrnithoptera alexandrae
Em cima a fêmea, e em baixo o macho da espécie. A imagem não representa os indivíduos em escala real de tamanho.

Em cima a fêmea, e em baixo o macho da espécie. A imagem não representa os indivíduos em escala real de tamanho.
Estado de conservação
Status iucn3.1 EN pt.svg
Em perigo
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Lepidoptera
Família: Papilionidae
Género: Ornithoptera
Espécie: O. alexandrae
Nome binomial
Ornithoptera alexandrae
Rothschild, 1907

Ornithoptera alexandrae é uma espécie de borboleta endêmica das florestas da Papua-Nova Guiné.[1] É comumente descrita como sendo a maior espécie de borboleta do mundo, cujas fêmeas alcançam facilmente mais de 27 centímetros de envergadura.[2]

A espécie foi nomeada em 1907 pelo barão Lionel Walter Rothschild, em honra à rainha Alexandra, esposa de Eduardo VII do Reino Unido. O primeiro europeu a descobrir a espécie foi Albert Stewart Meek, em 1906, empregado por Walter Rothschild para coletar espécimes para a história natural de Papua-Nova Guiné. Embora a primeira amostra tenha sido capturada com a ajuda de uma espingarda de pequeno porte, Meek logo descobriu as lagartas da borboleta e criou a maior parte dos primeiros espécimes.

Embora a maioria das autoridades hoje classifiquem esta espécie como pertencente ao gênero Ornithoptera, anteriormente, era descrita como gênero Troides ou Aethoptera. Em 2001, o lepidopterista Gilles Deslisle propôs colocá-la em seu próprio subgênero (que alguns escritores têm tratado como um gênero), sendo proposto originalmente o nome Zeunera, mas este é um homônimo (com Zeunera piton, 1936), e seu substituto acabou sendo Straatmana.[3]

Descrição[editar | editar código-fonte]

As fêmeas possuem asas marrons com manchas brancas e um corpo de cor creme com uma pequena mancha vermelha em seu tórax. Já foram encontradas fêmeas com uma envergadura de 31 centímetros (12,2 polegadas), um comprimento de corpo de 8 centímetros (3,2 polegadas) e uma massa corporal de até 12 gramas (0,42 onças) - todas essas medições incomuns para uma borboleta.

Os machos, por sua vez, são menores que as fêmeas, tendo asas menos amplas, de cor marrom, com manchas azul e verde iridescente, além de um abdômen com forte coloração amarela. A envergadura dos machos chega aproximadamente a 20 centímetros, porém é mais comum encontrar exemplares com envergadura de 16 centímetros.[4]

Referências

  1. Página oficial da "World Wide Fund for Nature" (em inglês), no artigo: "New Guinea invertebrates - So many species, so many questions". Acessado em 17 de Setembro de 2011.
  2. Página do "Natural History Museum" (em inglês), no artigo: "Ornithoptera alexandrae (Queen Alexandra’s birdwing)". Acessado em 17 de Setembro de 2011.
  3. Deslisle, G. (2007) "Straatmana: a remplacement name for the subgenus Zeunera Deslisle 2001 (Lep. Papilionidae)" Lambillionea (Brussels) N° 2 vol 1 & 2, Junho de 2007, p. 238
  4. "Earth's Endangered Creatures" (em inglês), no artigo: "Queen Alexandra's Birdwing Butterfly". Acessado em 17 de Setembro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]