Orquestra Sinfônica de Baltimore

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Orquestra Sinfônica de Baltimore é a maior orquestra sinfônica americana, baseada em Baltimore. A orquestra fez história em setembro de 2007, quando a maestrina Marin Alsop conduziu o concerto inaugural como a décima segunda diretora musical da orquestra, sendo a primeira mulher a conduzir a maior orquestra norte-americana.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 1916, a Orquestra Sinfônica de Baltimore é a única maior orquestra americana, originalmente estabelecida como do governo municipal. Reorganizada como instituição privada em 1942, ela ainda mantém relações com o governo e com a comunidade da cidade, como também é o estado de Maryland. A história moderna é datada a partir de 1965, quando patrono artístico de Baltimore, Joseph Meyerhoff, tornou-se presidente da orquestra, ele ocupou a posição por dezoito anos. Meyerhoff apontou o maestro Sergiu Comissiona como diretor musical, juntos, eles criaram uma instituição artística.

Com o apontamento de David Zinman como diretor musical em 1985, a reputação da orquestra aumentou muito, tanto nacionalmente como internacionalmente. Em 1987 a orquestra fez uma turnê pela Europa, sendo muito aclamada pelo público e crítica. Foi a primeira orquestra, em onze anos, a fazer uma turnê pela União Soviética. Em 1994 a Orquestra fez performances pelo Leste Asiático. Foram feitas outras turnês pela Europa, em 2001, pelo Japão em 2002 e novamente pela Europa em 2005.

Concert Hall[editar | editar código-fonte]

O Joseph Meyerhoff Symphony Hall tem sido a casa da Orquestra Sinfônica de Baltimore desde sua abertura, em 16 de Setembro de 1982. Nomeado com o nome do filântropo e antigo presidente da orquestra, Joseph Meyerhoff. Tem 2.443 lugares. A segunda casa da orquestra tem 1.976 lugares, e chama-se Music Center no Strathmore. Com a inauguração do centro, em Fevereiro de 2005, a orquestra tornou-se a primeira orquestra com duas casas em áreas metropolitanas destintas. São feitas trinta e cinco performances nessa segunda casa.

Gravações[editar | editar código-fonte]

  • 1987 - Barber and Britten, cello concertos David Zinman, BSO, cellist Yo-Yo Ma, Sony Classical*
  • 1994 - The New York Album, David Zinman, BSO, cellist Yo-Yo Ma*
  • 1997 - Leonard Bernstein’s symphonic dance works, David Zinman, BSO, London
  • 1997 - George Gershwin and Maurice Ravel’s piano concertos, BSO, pianist Hélène Grimaud, Erato Disques
  • 1997 - Samuel Barber and William Walton’s violin concertos, David Zinman, BSO, violinist Joshua Bell, London+
  • 1999 - Leonard Bernstein's Serenade and Beethoven's Violin Concerto, David Zinman, BSO, Violinist Hilary Hahn, Sony Classical+
  • 2000 - Adolphus Hailstork’s I Will Lift Up Mine Eyes, Daniel Hege, BSO, Morgan State University Choir
  • 2007 - Igor Stravinsky's The Rite of Spring, Marin Alsop, Peabody Symphony Orchestra, BSO, iTunes online distribution live-concert recording.
  • 2007 - John Corigliano's Concerto for Violin and Orchestra, "The Red Violin." Music Director Designate Marin Alsop, BSO, Violinist Joshua Bell, Sony/BMG Classical label
  • 2008 - Antonín Dvořák's Symphony No. 9 "From the New World" and Symphonic Variations, BSO and Marin Alsop, Naxos label

Diretores musicais[editar | editar código-fonte]