Orquestra Sinfônica de Chicago

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chicago Orchestra Hall

A Orquestra Sinfônica de Chicago ou Orquestra Sinfónica de Chicago é uma orquestra sinfônica americana baseada em Chicago, Illinois, Estados Unidos. É uma das cinco orquestras americanas referidas como "Big Five"[1] , ou seja, as cinco melhores do país. Fundada em 1897, a Sinfônica tem o Orchestra Hall de Chicago como residência e apresenta sua temporada de verão em Ravinia Festival. O Diretor Musical é Riccardo Muti, que começou seus trabalho em 2010.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1897, Charles Norman Fay, um homem de negócios de Chicago, convidou Theodore Thomas para fundar uma orquestra em Chicago. Conduzida por Theodore Thomas, sob o nome de Orquestra de Chicago, a orquestra apresentou sua primeira temporada em 16 de Outubro de 1891 no Auditorium Theatre. É uma das mais antigas orquestras dos Estados Unidos ainda em atividade, ao lado da Filarmônica de Nova Iorque, da Orquestra Sinfônica de Boston e da Orquestra Sinfônica de Saint Louis.

O Orchestra Hall, agora parte do Symphony Center, foi desenhado pelo arquiteto de Chicago, Daniel H. Burnham e completado em 1904. O Maestro Homas serviu como Diretor Musical por treze anos, até sua morte repentina. Logo após a inauguração da nova residência, ela foi dedicada ao maestro. A orquestra renomeou para Orquestra Theodore Thomas em 1905 e atualmente, o Orchestra Hall ainda mantém a faixada com os dizeres: "Theodore Thomas Orchestra Hall".

Em 1905, Frederick Stock tornou-se Diretor Musical, posto que ocupou até sua morte em 1942. A orquestra mudou de nome para Orquestra Sinfônica de Chicago em 1913. Outros Diretores Musicais incluem: Désiré Defauw, Artur Rodzinski, Rafael Kubelík, Fritz Reiner, Jean Martinon, Sir Georg Solti e Daniel Barenboim.

Maestro Barenboim renunciou ao seu cargo em 2006, para dar foco a sua carreira na Europa, com a Orquestra Estatal de Berlim, Ópera Estatal de Berlim, o Teatro alla Scala de Milão e a Orquestra Divan do Ocidente e Oriente. Após Barenboim, a orquestra nomeou Bernard Haitink para o cargo da Maestro Residente e Pierre Boulez para o cargo de Maestro Emérito[2] .

Em maio de 2008 a Presidente da Associação da Orquestra Sinfônica de Chicago, Deborah Rutter, anunciou que a orquestra nomeou Riccardo Mutti para ser o décimo Diretor Musical, com um contrato inicial de 5 anos[3] .

A Orquestra também apresentou-se com renomados maestros convidados, incluindo Richard Strauss, John Williams, Arnold Schoenberg, Sergei Prokofiev, Sergei Rachmaninov, Maurice Ravel, Edward Elgar, Aaron Copland, Leonard Slatkin, André Previn, Michael Tilson Thomas, Leonard Bernstein, Leopold Stokowski, Erich Kunzel, Morton Gould, Erich Leinsdorf, Walter Hendl, Eugene Ormandy, George Szell e Charles Münch.

Atualmente, os três Maestros Convidados Residentes da orquestra são Carlo Maria Giulini, Claudio Abbado e Pierre Boulez.

Festival de Ravínia[editar | editar código-fonte]

A Orquestra mantém uma residência em Ravínia, o Highland Park, em Illinoius. Sua primeira performance no Parque de Ravínia aconteceu na segunda temporada da orquestra, em novembro de 1905 e continuou apresentando-se lá até agosto de 1931, até a Grande Depressão. A Orquestra inaugurou a primeira temporada do Festival de Ravínia em agosto de 1936 fazendo dele sua residência de verão desde então.

Muitos maestros fizeram suas estreias com a Sinfônica em Ravínia e outros tornaram-se Diretores Artísticos, incluindo: Seiji Ozawa (1964-1968), James Levine (1973-1993) e Christoph Eschenbach (1995-2003). Desde 2005, James Conlon é o Diretor Musical do Festival.

Gravações e Transmissões[editar | editar código-fonte]

A Orquestra tem uma discografia com mais de 900 gravações. Suas gravações receberam mais de sessenta Grammy Awards da Academia Nacional de Gravações de Artes e Ciência.

Em uma viagem por Nova Iorque, em maio de 1916, Frederick Stock e a Orquestra gravaram a Marcha de Casamento de A Midsummer Night's Dreams de Felix Mendehlsson. Stock e a Orquestra fizeram numerosas gravações para a Columbia Records e para a RCA Victor. A primeira gravação não-acústica da orquestra foi feita pela RCA Victor em 1928, incluindo uma performance de In Springtime de Karl Goldmark. Stock continuou gravando com a orquestra até o ano de sua morte, em 1942.

Em 1951, Rafael Kubelík fez sua primeira gravação moderna com a Orquestra, no Orchestra Hall, para Mercury.

Em março de 1954, Fritz Reiner fez sua primeira gravação estéreo com a Orquestra, novamente no Orchestra Hall, para a RCA Victor, incluindo performances de dois poemas sinfônicos de Richard Strauss: Ein Heldenleben e Also Sprach Zarathusta. Reiner continuou gravando com a orquestra para a RCA até 1962. Jean Martinon também gravou com a Orquestra para a RCA Victor durante a década de 1960.

Sir Georg Solti gravou primeiramente para a Decca, incluindo séries de Gustav Mahler. Muitas das gravações com Daniel Barenboim foram feitas para Teldec.

A primeira transmissão por rádio da Orquestra aconteceu em 1925. E eles vem apresentando-se assim desde então, exceto durante a Segunda Guerra Mundial e entre outubro de 2002 e abril de 2007.

A Orquestra começou a aparecer em séries de TV na WGN-TV, começando em 1953. No começo da década de 1950 fez sua primeira gravação em videotape, chamada Music from Chicago, conduzido por Fritz Reiner e outros maestros convidados, incluindo Arthur Fiedler, George Szell, Pierre Monteux e Charles Münch. Georg Solti também conduziu uma série de concertos com a Orquestra na década de 1970 na PBS.

Em 2007, a Orquestra formou sua própria gravadora, a CSO Resound.

Diretores Musicais e Maestros[editar | editar código-fonte]

Honras e Prêmios[editar | editar código-fonte]

As gravações da Orquestra renderam sessenta Grammy. Bernard Haitink, Maestro Residente, ganhou dois Grammy, incluindo um pela gravação da Quarta Sinfonia de Dmitri Shostakovich. Pierre Boulez, Maestro Emérito e Maestro Convidado Residente ganhou 26 Grammy, incluindo oito com a Orquestra e o Coro. Boulez foi um dos maestros a mais receber prêmios com a orquestra, junto com Alison Krauss (vinte e seis), atrás de Georg Solti (trinta e um) e Quincy Jones (trinta e sete).

Grammy Award por Melhor Álbum Clássico[editar | editar código-fonte]

Grammy Award pela Melhor Performance Orquestral[editar | editar código-fonte]

Grammy Award por Melhor Performance Coral[editar | editar código-fonte]

Grammy Award pelo Maestro Solista com Orquestra[editar | editar código-fonte]

Grammy Award por Melhor Performance Vocal[editar | editar código-fonte]

Grammy Award por Melhor Gravação de Ópera[editar | editar código-fonte]

Grammy Award por Melhor Composição Clássica Contemporânea[editar | editar código-fonte]

Grammy Award por Melhor Álbum[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Michael Walsh (1983-04-25). Which U.S. Orchestras are Best?. Time. Página visitada em 2008-03-26.
  2. Você deve especificar url = ao usar a
    Predefinição:Citar web. Parâmetros disponíveis:

    {{citar web
    |url =             |ano =
    |titulo =          |mes =
    |acessodata =      |formato =
    |acessodiames =    |obra =
    |acessomesdia =    |publicado =
    |acessoano =       |paginas =
    |autor =           |lingua =
    |ultimo =          |doi =
    |primeiro =        |arquivourl =
    |autorlink =       |arquivodata =
    |coautores =       |citacao =
    |data =
    }}
    

. Chicago Symphony Orchestra (2006-04-27). Página visitada em 2007-03-21.