Orquestra Sinfônica de Melbourne

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Orquestra Sinfônica de Melbourne se apresentando no Classical Spectacular de 2005

A Orquestra Sinfônica de Melbourne (Melbourne Symphony Orchestra) é uma orquestra da cidade de Melbourne, na Austrália. A orquestra conta com financiamento do Governo do Estado de Victoria, através da Arts Victoria, do Departamento do Premiê e do Governo Federal Australiano, através do Conselho Australiano, e tem suporte de empresas privadas e doadores. Conta atualmente (em 2005) com 100 músicos permanentes e seu Maestro-Chefe e diretor artístico é Oleg Caetani, que assumiu o posto em janeiro de 2005.

Melbourne tem a mais longa história de música orquestral de todas as cidades australianas e é a mais antiga orquestra profissional da Autrália, celebrou seu centenário em 2007.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro concerto foi feito em 11 de dezembro de 1906 sob a condução de Alberto Zelman, fundador da orquestra, que mais tarde se tornou o primeiro maestro australiano a conduzir a Filarmônica de Berlim e a Orquestra Filarmônica de Londres. Em 1934, a orquestra começou a fazer parte da Corporação de Orquestras de Rádio Australiana. Em 1949 a orquestra mudou seu nome para Orquestra Sinfônica Victoriana. Em 1965 teve seu nome modificado, novamente, para Orquestra Sinfônica de Melbourne.

O maestro que mais tempo ficou a frente da orquestra foi Hiroyuki Iwaki (1974 - 1997), que foi nomeado Maestro Laureado em 1989, permanecendo com o título até sua morte, em 2006. Em 1923, Bertha Jorgensen tornou-se a primeira mulher a comentar uma orquestra profissinal, na Austrália, e ela conduziu a orquestra por 50 anos, tornando-se a mulher a conduzir uma orquestra por mais tempo, em toda a história.

Oleg Caetani foi o maestro de 2005 até 2008. Em março de 2008 teve seu contrato estendido até o fim de 2010[1] . Entretanto, seu contrato foi cancelado em Outubro de 2009. Em Setembro de 2009 Tadaaki Otaka foi apontado como maestro convidado principal, começando em 2010[2] . Entretanto, os papéis foram acelerados e Otaka assumiu o posto no fim de 2009.

A Orquestra foi a primeira australiana a fazer turnê por outros continentes, e o primeiro lugar a tocar foi no Carnegie Hall, em Nova Iorque, em 1970[3] . Fez turnês pelos Estados Unidos, Japão, Canadá, Coreia, Europa (2000, 2007), China (2002), São Petersburgo, Rússia (2003) e Japão (2005). Em Janeiro de 2000, sob a batuta de Markus Stenz, representou a Austrália no Festival dos Cinco Continentes nas Ilhas Canárias, ao lado de orquestras como Filarmônica de Berlim e Filarmônica de Nova Iorque. Em 2007 a orquestra embarcou numa segunda turnê pela Europa, visitando cinco países da Espanha (Castellon, Barcelona, Zaragoza, Pamplona e Madri), Paris, Berlim e Milão.

A Orquestra atravessou o repertório contemporâneo pop e rock em inúmeras ocasiões. Em 1986 tocou ao lado de Elton John, culminando no álbum: Live in Australia with the Melbourne Symphony Orchestra. Em 1989, John Farnham comandou o DVD Classic Jack Live.

Maestros[editar | editar código-fonte]

Orquestra Sinfônica de Melbourne se apresentando no Classical Spectacular de 2005
  • Alberto Zelman (1906-1927)
  • Fritz Hart (1927-1932)
  • Fritz Hart, Bernard Heinze (1932-1937, joint chief conductors)
  • Bernard Heinze (1937-1950; Sir Bernard from 1949)
  • Alceo Galliera (1950-1951)
  • Juan José Castro (1952-1953)
  • Walter Susskind (1953-1955)
  • Kurt Wöss (1956-1959)
  • Georges Tzipine (1960-1965)
  • Willem van Otterloo (1967-1970)
  • Fritz Rieger (1971-1972)
  • Hiroyuki Iwaki (1974-1997)
  • Markus Stenz (1998-2004)
  • Oleg Caetani (2005-2009)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Melbourne's Chief Conductor Extends Contract Melbourne Symphony Orchestra (31 março 2008). Página visitada em 2009-05-08.
  2. Robin Usher (2009-09-22). Big names and big changes as MSO looks forward The Age.. Página visitada em 2009-10-15.
  3. Raymond Ericson (1970-11-12). Australians Give First Concert Here: The Melbourne Symphony Led by van Otterloo The New York Times.. Página visitada em 2009-10-15.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]