Os Mulheres Negras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os Mulheres Negras
Informação geral
Origem São Paulo
País Brasil
Gênero(s) Pop
Gravadora(s) independente
Página oficial http://www.reverbnation.com/osmulheresnegras
Integrantes
André Abujamra, Mauricio Pereira

Os Mulheres Negras[1] é uma banda brasileira originada na década de 1980[2] .

Formada por André Abujamra e Maurício Pereira, a banda se intitulava "a terceira menor big band do mundo". O grupo gravou os álbuns Música e Ciência em 1988 e Música Serve pra Isso em 1990.

Em 2010 Mauricio e André voltam a trabalhar juntos, e a banda retorna à cena musical.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Os Mulheres Negras era formado por dois homens brancos. Os paulistas André Abujamra[3] (voz, guitarra e teclados) e Maurício Pereira[4] (voz e sax) costumavam apresentar-se com sobretudos e chapéus-coco de palha, e se autodenominavam “a terceira menor big band do mundo”. A música era feita com letras irreverentes e equipamentos eletrônicos (samplers, sintetizadores e bateria eletrônica) que os faziam soar como uma orquestra. Mistura de gêneros, paródia, tecnologia e humor, reinterpretando um universo de chavões pop. André e Maurício se conheceram em 1984, durante um curso de percussão africana. Formaram o Mulheres no ano seguinte. Foram tidos como representantes da vanguarda paulista dos anos 70, ao lado de Premeditando o Breque e Grupo Rumo. Unidos, mostraram sua música em vários shows no circuito alternativo de São Paulo. As apresentações performáticas e improvisadas caíram nas graças de um público que sabia suas músicas de cor antes mesmo de serem gravadas em vinil. O primeiro disco, "Música e Ciência" (lançado em dezembro de 1988), abrangia funk, lambada, baião, punk e bossa nova em letras recheadas de referências aos Beatles, Villa-Lobos e Peppino di Capri, entre outros, e tinha como marca registrada o humor. Nesse meio tempo, André Abujamra, filho do diretor de teatro Antônio Abujamra, compôs trilhas sonoras para teatro e televisão. No segundo disco, "Música Serve Para Isso" (que chegou às lojas em 8 de novembro de 1990), as piadas e gags foram suavizadas, refrões foram criados e mais ritmo acrescentado, numa tentativa de apresentar um modelo mais radiofônico. Em 1991, cada um foi para um lado, mas continuaram colaborando musicalmente. Em conjunto, nesse intervalo em que o Mulheres não existiu, foram parceiros na trilha do programa de TV "Castelo Ra-Tim-Bum", e na trilha do filme do mesmo nome, participaram em discos um do outro, e assim por diante.

Em 2001 os discos dos Mulheres, originalmente lançados em vinil pela gravadora Warner nos anos 80, foram relançados em CD, e a banda realizou uma série de shows pelo Brasil.

Em outubro de 2010 retornaram oficialmente num show em Curitiba, para o aniversário de 12 anos do Programa de rádio Radiocaos[5] .

Discografia[editar | editar código-fonte]

MÚSICA SERVE PRA ISSO[6] 1990 WEA 670.9257

Faixas

1 Música serve pra isso

2 Martim

3 Guembô

4 Só tetele

5 John

6 Só quero um xodó

7 Cabeludas

8 Etiópia mirim

9 Imbarueri

10 Judith

11 A lavadeira, o varal e a saudade

12 Monstros japoneses

13 Common uncommunicability

MÚSICA E CIÊNCIA[7] 1988 WEA 670.4237

1 Orelhão

2 Método

3 Sub [Yellow submarine]

4 Summertime

5 Feridas

6 3 músicas coladas [Peter Gun]

7 Purquá mecê

8 Eu vi

9 19:30

10 Elza

11 Milho

12 Gambá

13 Lobos p/ crianças

14 Samba do avião

15 Mãoscolorida

16 Xarope, a levada

Referências

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.