Os Trapalhões e o Rei do Futebol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Os Trapalhões e o Rei do Futebol
Os Trapalhões e o Rei do Futebol.jpg
 Brasil
1986 • cor • 74 min 
Direção Carlos Manga
Roteiro Aguinaldo Silva
Ricardo Linhares
Elenco Renato Aragão
Pelé
Dedé Santana
Mussum
Zacarias
José Lewgoy
Género comédia
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Os Trapalhões e o Rei do Futebol é um filme brasileiro de 1986, do gênero comédia infantil, dirigido por Carlos Manga e estrelado pela trupe humorística Os Trapalhões.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na acirrada disputa pelo poder no Independência Futebol Clube, o roupeiro Cardeal acaba sendo escolhido ao acaso para treinar a equipe de futebol. Com seus métodos revolucionários de treinamento, o time encontra o caminho das vitórias. Mas os bons resultados acabam atrapalhado os planos dos dirigentes.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o


Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Os Trapalhões e o Rei do Futebol foi o último filme dirigido por Carlos Manga.
  • Teve um público aproximado de 3.650.000 espectadores[1] .
  • Certa vez o comediante mexicano Roberto Gómez Bolaños, conhecido no Brasil por ser o criador e protagonista de Chaves e Chapolin, recebeu uma ligação do próprio Pelé perguntando se Chespirito gostaria de gravar um filme com ele. Chespirito, mesmo sendo extremamente fã de Pelé e do Futebol, recusou o convite. Algum tempo depois surgiu o filme Os Trapalhões e o Rei do Futebol[2] . Na dublagem brasileira de Chaves, o protagonista Chaves ganhou na dublagem brasileira um bordão que ficou marcado e bastante conhecido, por insatisfação ao filme que Chaves estava assistindo no cinema, dizendo que "Teria sido melhor ir ver o filme do Pelé" (no original, El Chanfle, filme idealizado por Chespirito com o elenco de suas séries, mas sem ligação com elas), em referência ao filme Os Trapalhões e o Rei do Futebol.
  • Dos onze integrantes do elenco principal do filme, apenas Pelé, Luiza Brunet e os trapalhões Didi e Dedé ainda estão vivos.
  • Luiza Brunet foi substituida em algumas cenas pela atriz Roberta Portella quando precisou viajar para fora do Brasil a fim de realizar um ensaio fotografico.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]