Osasco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Município de Osasco
"Osasco, Cidade trabalho"
Igreja Matriz de Santo Antônio; Osasco a partir do Viaduto Reinaldo de Oliveira; Museu Dimitri Sensaud de Lavaud; Teatro Municipal de Osasco; Monumento do Trabalhador;Vista parcial de Osasco, a partir do bairro do Rochdale.

Igreja Matriz de Santo Antônio; Osasco a partir do Viaduto Reinaldo de Oliveira; Museu Dimitri Sensaud de Lavaud; Teatro Municipal de Osasco; Monumento do Trabalhador;Vista parcial de Osasco, a partir do bairro do Rochdale.
Bandeira de Osasco
Brasão de Osasco
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 19 de Fevereiro
Fundação 19 de fevereiro de 1962 (52 anos)[1]
Gentílico osasquense
Lema Urbs labor
"Cidade trabalho"
Prefeito(a) Jorge Lapas (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Osasco
Localização de Osasco em São Paulo
Osasco está localizado em: Brasil
Osasco
Localização de Osasco no Brasil
23° 31' 58" S 46° 47' 31" O23° 31' 58" S 46° 47' 31" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Metropolitana de São Paulo IBGE/2008 [2]
Microrregião Osasco IBGE/2008 [2]
Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes
Distância até a capital 18 km[3]
Características geográficas
Área 64,935 km² (SP: 617º BR: 5402º)[4]
População 691 652 hab. (SP: 6º SE: 11° BR:26°) –  estimativa populacional - IBGE/2013[5]
Densidade 10 651,45 hab./km²
Altitude 740 a 1.009 m
Clima subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,776 (SP: 83°BR: 168°) – alto PNUD/2010 [6]
Gini Aumento0,530 (SP: º) – est. 2010[7]
PIB R$ Aumento36,389,080,000 mil (SP: 4° Estável BR: 12º Estável) – IBGE/2010[8]
PIB per capita R$ 54 403,24 IBGE/2010[9]
Página oficial
Prefeitura www.osasco.sp.gov.br

Osasco (pronúncia AFI[o'zasku]) é um município brasileiro localizado na Zona Oeste da região metropolitana da capital paulista. Criado como um bairro da capital paulista no final do século 19, tornou-se município emancipado em 1962.[10] Possui importante atividade econômica nos setores industrial, comercial e de serviços, sendo uma das mais ricas e populosas cidades do estado de São Paulo.

Igreja Matriz de Santo Antônio

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O primeiro nome, estabelecido pelo bandeirante Raposo Tavares, foi Vila Quitaúna, originado da língua tupi.[carece de fontes?] O nome Osasco foi originalmente dado à estação ferroviária ao redor da qual a cidade cresceu. A estação foi construída em 1895 por Antonio Agù, considerado o fundador da cidade, e o nome foi dado em homenagem à sua cidade natal de Osasch na Itália, na região do Piemonte.[11] Com o tempo a região em volta da estação ferroviária também passou a ser conhecida por Osasco. Não se sabe o significado da palavra Osasch no dialeto piemontês falado na região de Osasch, mas especula-se que venha de Asc, um termo do latim[carece de fontes?] ao qual ainda não foi possível estabelecer um significado.

História[editar | editar código-fonte]

No período do Pré-Descobrimento, inúmeras tribos indígenas do tronco tupi-guarani habitavam a região onde hoje se situa Osasco.[12]

Bandeirante Antônio Raposo Tavares (ao centro), em obra de Teodoro Braga.

O primeiro núcleo de povoamento de colonizadores foi a vila de Quitaúna, fundada no século XVII em plena época do Brasil Colônia, onde residiu o bandeirante Antônio Raposo Tavares, que supostamente estaria enterrado no local. A vila de Quitaúna foi esvaziada no século XVIII com a descoberta do ouro em Minas Gerais. [carece de fontes?]

Sensaud de Lavaud em seu avião em Osasco.
Antonio Giuseppe Agù
Estação de Osasco em 1910

Durante a época do Império, na região onde hoje se situa Osasco e em seus arredores existiam vários sítios e chácaras. Próximo às margens do Rio Tietê, no século XIX, havia uma aldeia de pescadores e também grandes fazendas. Já no final do Império uma delas foi vendida ao italiano Antonio Agù e outra ao português Manuel Rodrigues, dois imigrantes que começam a história da cidade.[13]

No início do período Republicano Antonio Agù já era proprietário de vários negócios e terras na região. Em 1887 comprou uma gleba de terra no quilômetro 16 da Estrada de Ferro Sorocabana. Por volta de 1890, resolveu ampliar sua pequena olaria e convidou para sócio o Barão Demetri Sensaud de Lavaud. A olaria que fabricava tijolos e telhas passou a produzir também tubos e cerâmicas, dando origem à primeira indústria da cidade.[13] Após outras iniciativas, em 1895 Antonio Agù construiu a estação ferroviária, erguendo várias casas nos arredores para abrigar os operários que chegavam para realizar a obra.[13] Os dirigentes da estrada de ferro quiseram batizar a estação com o nome do principal empreendedor da região, mas Antonio Agù pediu que a homenagem não fosse dada a ele e sim à sua vila natal da Itália: Osasco.[13]

A região foi elevada a distrito da capital em 1918. Dois anos depois, em 1920, contava com 4.178 moradores, sendo 1.331 estrangeiros, contabilizando 31% da população.[14] Daí por diante Osasco, como a região passou a ser conhecida, não parava de crescer. Muitas pessoas conhecidas do comércio e diversas indústrias importantes se instalaram por lá. Para operar as máquinas dessas indústrias foi contratada mão-de-obra imigrante.

Os imigrantes vinham principalmente da Itália[15] , França, Espanha, Portugal, Alemanha, Irlanda e também do Nordeste. Com o aumento da população de operários, tornou-se possível também o desenvolvimento do comércio, desenvolvido principalmente pelas colônias armênia[16] , libanesa e judia. [carece de fontes?]

Na zona rural, muitos imigrantes japoneses plantavam verduras e legumes. Essa mistura de imigrantes marca as primeiras populações do atual município.[17]

Foi em Osasco que aconteceu o primeiro voo da América Latina, em 7 de Janeiro de 1910, realizado pelo imigrante espanhol entusiasta Barão Dimitri Sensaud de Lavaud.[18] [19] [20]

Emancipação[editar | editar código-fonte]

Osasco cresceu tanto em população, quanto comercialmente, mas apesar desse progresso, até então não passava de mero subdistrito da cidade de São Paulo. Em 1953 [21] foi feito primeiro plebiscito pela emancipação. O movimento emancipacionista sofreu muitas contraposições e empecilhos, mas finalmente após o segundo plebiscito conturbado, em 19 de fevereiro de 1962, Osasco tornou-se um município.

No ano seguinte, o Banco Brasileiro de Descontos (atualmente denominado Bradesco), sediado na Cidade de Deus, bairro de Osasco próximo à divisa com São Paulo, organizou e colocou em operação a Companhia Telefônica Suburbana Paulista - Cotespa. A nova companhia inicialmente proveu o novo município de três mil terminais telefônicos, que operavam com o prefixo 48. A COTESPA foi incorporada à Telesp em 1974.[22] A área do município de Osasco foi gradativamente subdividida em novos centros telefônicos - Rochdale, Santo Antônio, Quitaúna e Menck, além da área central.

Grandes acontecimentos históricos após a emancipação de Osasco[editar | editar código-fonte]

  • A greve da Cobrasma foi em 16 de julho de 1968, organizada por José Ibrahim‎. Operários protestaram contra as mortes de seus colegas em caldeiras e o rebaixamento dos salários. Ato esse já um sintoma de resistência contra o Regime Militar da época.[23]
  • A explosão do Osasco Plaza Shopping em 11 de junho de 1996. O motivo foi vazamento de gás subterrâneo. Morreram 42 pessoas e 300 outras ficaram feridas, algumas gravemente. Esse acidente repercutiu na mídia nacional e internacional.[24]

Administração pública[editar | editar código-fonte]

Poder Executivo[editar | editar código-fonte]

Osasco teve os seguintes prefeitos:

  • Hirant Sanazar (19.02.1962 a junho de 1964; fevereiro a junho de 1965)
  • Marino Pedro Nicoletti (junho de 1964 a fevereiro de 1965; interventor: 26.06.1965 a 31.01.1967)
  • Guaçu Piteri (1967-1970)
  • José Liberatti (1970-1973)
  • Francisco Rossi (1º Mandato: 1973-1977)
  • Guaçu Piteri (2º Mandato: 1977-1982)
  • Primo Broseghini (1982-1983)
  • Humberto Parro (1983-1988)
  • Francisco Rossi (2º Mandato: 1989-1992)
  • Celso Giglio (1º Mandato: 1993-1996)
  • Silas Bortolosso (1997-2000)
  • Celso Giglio (2º Mandato: 2001-2004)
  • Emidio Pereira de Souza ( 2005 até 2008)
  • Emidio Pereira de Souza (2º Mandato: 2009 até 2012)
  • Jorge Lapas (2013)
Prefeitura de Osasco.
Prefeitura de Osasco.
Fórum de Osasco
Fórum de Osasco

Educação[editar | editar código-fonte]

Instituições de ensino superior e técnico[editar | editar código-fonte]

FITO
UNIFIEO. Campus Vila Yara
UNIFESP. Campus Osasco
EMEF Marechal Bittencout
Fundação Bradesco

Saúde[editar | editar código-fonte]

Principais hospitais do município[editar | editar código-fonte]

AACD Osasco
Hospital Antonio Giglio
Hospital Regional de Osasco

Cultura[editar | editar código-fonte]

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

Biblioteca Municipal Monteiro Lobato

Teatro[editar | editar código-fonte]

Teatro Municipal de Osasco

Espaços culturais[editar | editar código-fonte]

Centro de Eventos Pedro Bortolosso
Espaço Cultural Grande Otelo
  • Centro de Eventos Pedro Bortoloss[44]
  • Espaço Cultural Grande Otelo

Museu[editar | editar código-fonte]

Museu Dimitri Sensaud de Lavaud

Instituição de ensino cultural[editar | editar código-fonte]

  • Escola de Artes César Antonio Salvi

Casas de eventos culturais[editar | editar código-fonte]

  • Casa de Angola
  • Casa do Violeiro do Brasil[45]
Casa do Violeiro do Brasil.

Lazer e meio ambiente[editar | editar código-fonte]

  • Parque Ecológico Nelson Vilha Dias
  • Parque Municipal Dionísio Alvares Mateos
  • Parque Municipal Chico Mendes
  • Parque Clóvis Assaf
  • Parque de Lazer Antônio Temporim
  • Parque Ecológico Jardim Piratininga
  • Parque Glauco Villas Boas
  • Parque Conjunto Metalúrgicos
Parque Municipal Chico Mendes.
Parque Municipal Chico Mendes.
Parque Municipal Dionísio Alvares Mateos.
Parque Municipal Dionísio Alvares Mateos.

Economia[editar | editar código-fonte]

Osasco foi um município industrial, mas houve desconcentração industrial para outras regiões e hoje a cidade vem caminhando para a área comercial e de prestações de serviços . Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2010, o município se encontra em 12º lugar no cenário nacional[46] e em 4° lugar no cenário estadual com a relação ao PIB (Produto Interno Bruto).[47]

Contraste da cidade moderna industrial com a cidade contemporânea financeira.
Vista de Osasco, a partir do Osasco Prime Center.

Principais empresas[editar | editar código-fonte]

Avon Products, no trecho da Rodovia Raposo Tavares em Osasco .
Avon Products, no trecho da Rodovia Raposo Tavares em Osasco .
Bradesco, complexo Cidade de Deus, um dos blocos.
Bradesco, complexo Cidade de Deus, um dos blocos.
ABB Osasco.
ABB Osasco.

Mercados Municipais[editar | editar código-fonte]

Mercado Municipal de Osasco

Shopping Centers[editar | editar código-fonte]

Osasco Plaza Shopping
  • Shopping Continental
Super Shopping Osasco
Shopping União de Osasco

Mini Centers[editar | editar código-fonte]

Shopping das Flores

Agências Bancárias[editar | editar código-fonte]

Agência da Caixa na Avenida dos Autonomistas

Esporte[editar | editar código-fonte]

Ginásios poliesportivos[editar | editar código-fonte]

A cidade possui três ginásios poliesportivos:

Estádios[editar | editar código-fonte]

A cidade possui dois estádios chamados:

Clubes desportivos[editar | editar código-fonte]

Clube de Golf São Francisco.
Cristiane Rozeira de Souza Silva, osasquense , é uma grande futebolista da seleção brasileira feminina de futebol.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Topografia[editar | editar código-fonte]

Osasco situa-se a uma altitude média de 792 metros.[49]

Vista de bairros próximos ao Centro.
Vista de bairros próximos ao Centro.
Vista do Centro e bairros vizinhos.
Vista do Centro e bairros vizinhos.

Clima[editar | editar código-fonte]

Como em quase toda a região metropolitana de São Paulo, o clima é subtropical. Verão pouco quente e chuvoso, inverno ameno e semi-seco. A média de temperatura anual gira em torno dos 18 °C, sendo o mês de julho o mais frio (média de 14 °C) e o mais quente, fevereiro (média de 22 °C). O índice pluviométrico anual é de 1383 mm.[50]

Em Osasco, já foram registradas precipitações de neve, nos anos de 1900,1918 e 1955. A menor temperatura já registrada foi de -2,2 °C em 1955 e a maior de 37,4 °C em 1966. No ano de 2009 foram registrados 5 °C, e em 2011 registrou-se apenas 2 °C, menor temperatura desde 2002. E a temperatura chegou a 35,2 °C em 2007, a maior temperatura na cidade em 11 anos.[51] A cidade de Osasco em média as temperaturas ficam abaixo de 8 °C, 5 vezes por ano e abaixo de 7 °C, duas vezes por ano; e as temperaturas ficam em média acima de 32 °C, 7 vezes por ano e acima de 34 °C, uma vez por ano.

Poluição do ar em Osasco
Dados climatológicos para Osasco
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima registrada (°C) 34 35 34 32 31 29 29 33 37 35 35 34 37
Temperatura máxima média (°C) 27 28 27 24 23 21 21 23 24 24 25 26 24
Temperatura mínima média (°C) 18 18 17 15 13 11 11 12 13 15 16 17 15
Temperatura mínima registrada (°C) 10 11 11 6 2 -1 -1 -2 2 4 7 9 -2
Precipitação (mm) 238 255 159 75 73 55 44 39 80 123 145 200 1 486
Dias de chuva 18 16 13 9 9 6 7 7 9 11 13 16 134
Fonte: Tempo Agora[52] 4 de Abril de 2009

Geopolítica[editar | editar código-fonte]

Centro expandido de Osasco.

Atualmente, Osasco é a sexta maior cidade do estado de São Paulo e a vigésima sexta cidade do País.[53] [54]

Centro Expandido de Osasco.

Municípios limítrofes[editar | editar código-fonte]

Imagem do satélite da região metropolitana de São Paulo. Ao qual Osasco está inserida.

Seus limites são a capital paulista a norte, leste e sul, Cotia a sudoeste, Carapicuíba e Barueri a oeste.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Ver também: Categoria:Hidrografia de Osasco

Mapa da Hidrografia de Osasco
Academia pública na Marginal Bussocaba
Córrego Bussocaba, no trecho da zona sul de Osasco .
Córrego Bussocaba, no trecho da zona sul de Osasco .
Lago do Parque Dionísio Alvares Mateos
Lago do Parque Dionísio Alvares Mateos

Demografia[editar | editar código-fonte]

Vista de Osasco, a partir do Industrial Altino
Anoitecer, próximo à ponte metálica.
Osasco noturna, a partir do Shopping Pátio de Osasco
Contraste de casas da década de 30 com prédios modernos em Osasco
Faixa Ciclovia na Avenida Nova Granada.

A população do município de Osasco, de acordo com o último censo realizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), apresenta os seguintes dados:

  • População masculina: 320.436 habitantes - 48,06%,
  • População feminina: 346.304 habitantes - 51,94%,
    • Total das populações por gênero: 666.740 habitantes - 100,00%.
  • Zona urbana: 666.740 habitantes - 100,00%,
  • Zona rural: 0 habitante - 0,00%,
    • Total da população do município: 666.740 habitantes - 100,00%.

[55]

Favela na Zona Norte de Osasco

Segundo a Universidade de São Paulo, Osasco teve os Índices de Desigualdade Social registrada nos anos de 1991 e 2000:[56]

1991 Gini Theil T Theil L
Dados 0.50703 0.52841 0.44229
2000 Gini Theil T Theil L
Dados 0.51788 0.56017 0.46137

O município é o 48° maior área urbana do país. Com 61000 km².[57]

Evolução demográfica da cidade

Fonte IBAM

Criminalidade[editar | editar código-fonte]

Vista da cidade, a partir da Avenida Maria Campos

A cidade de Osasco, bem como toda a Grande São Paulo, vem registrando queda na criminalidade nos últimos anos, em especial na taxa de homicídios para cada 100 mil habitantes:

  • 1999-37,61/100 mil habitantes
  • 2004-26,09/100 mil habitantes [58]
  • 2008-14,82/100 mil habitantes
  • 2010-13,98/100 mil habitantes [59]

Já as mortes por agressões caíram de 70,93/100 mil habitantes em 1999 para 37,61/100 mil habitantes em 2004 uma redução de 47% segundo o Seade

Saneamento[editar | editar código-fonte]

Segundo o site Trata Brasil, Osasco é 45° município brasileiro em investimento em saneamento.[60]

Etnia[editar | editar código-fonte]

Praça Tsu, em homenagem à imigração japonesa no município.
Cor/Raça Percentagem
Branca 66,3%
Negra 4,5%
Parda 27,5%
Amarela 0,8%
Indigena 0,2%

Fonte: IBGE

Religião[editar | editar código-fonte]

Igreja Apostólica Armênia de Osasco
Religião Porcentagem Número
Católicos 64,75% 422.553
Evangélicos 20.54% 134.042
Sem religião 9.33% 60.886
Espíritas 0.90% 5.873
Budistas 0,23% 1.500
Judeus 0,04% 261

Fonte: IBGE 2000 (dados obtidos por meio de pesquisa de autodeclaração)

Bairros[editar | editar código-fonte]

Mapa Político do município.
Vila Yara, a partir do Osasco Prime Center
Bairro do Bela Vista
Vista panorâmica noturna do Centro
Entardecer em Osasco
Vista da região do Boulevard.
Vista da Zona Norte da Cidade.
Avenida Maria Campos

Transportes[editar | editar código-fonte]

Osasco devido à proximidade com São Paulo, possui um trânsito semelhante ao da capital paulista. No município podem ser encontrados meios de transporte rodoviário e ferroviário.[61]

Frota de Veículos em 2010
Tipos circulantes Quantidade

Total 282.073
Automóvel 194.592
Caminhão 8.557
Caminhão trator 1.257
Caminhonete 14.764
Camioneta 9.368
Ciclomotor 111
Microônibus 1469
Motocicleta 39.820
Motoneta 6.107
Ônibus 2.360
Reboque e semi reboque 3.044
Trator 78
Utiliário 506
Outros 40

Principais vias[editar | editar código-fonte]

Zona Sul de Osasco
Arterial que liga a divisa com São Paulo à divisa com Carapicuíba, passando pelos bairros: Vila Yara, Vila Campesina, Vila Osasco, Centro, Km 18 e Quitaúna.

ponte da Avenida dos Autonomistas

  • Avenida Maria Campos
Liga a região central da cidade à Prefeitura, passando em frente ao Powercenter Osasco, centro comercial que engloba Super Shopping Osasco, C&C, Cobasi, Wal-Mart e Sam's Club.
  • Avenida Bussocaba/Avenida Prefeito Hirant Sanazar
Liga a Prefeitura aos bairros Jaguaribe, Novo Osasco, Jardim D'Abril, passando pela matriz do Bradesco - Cidade de Deus, pela Faculdade de Direito de Osasco e pelo Juizado Especial de Pequenas Causas.
Liga a Zona Norte à Zona Sul do município.
Viaduto Tancredo Neves.
  • Avenida Presidente Médici
Uma das principais da zona norte que interliga os bairros do Helena Maria, Baronesa, Jardim Mutinga e Vila Ayrosa chegando a São Paulo (acesso Vila Piauí, Pirituba).
  • Avenida Getúlio Vargas
Liga os bairros IAPI e Jardim Piratininga aos bairros Helena Maria, Aliança e Baronesa, passando pelo Complexo Esportivo e Teatro do SESI, INCOR, FITO, AACD, Hospital e Maternidade Amador Aguiar e Capelinha.
  • Avenida Visconde de Nova Granada/Avenida Sport Club Corinthians Paulista
Liga o km 18 ao bairro Santo Antônio, passando pela FAC-FITO - Faculdade de Ciências da FITO e pela corporação dos Bombeiros de Osasco.
  • Avenida Santo Antônio
Liga o Jardim das Flores ao bairro Bela Vista.
  • Avenida Antônio Carlos Costa
Liga o Bela Vista ao bairro Jaguaribe.
  • Rua da Estação
Liga o Centro ao km 18.
  • Avenida Pedro Pinho
Liga o Km 18 ao Jardim Califórnia.
  • Avenida João de Andrade
Atravessa todo o Jardim Santo Antonio, do Jardim Califórnia, ao Jardim Veloso. Onde também se concentra um constante crescimento da região, em termos de comércio, bancos, mercados e etc. É onde o bairro deposita suas expectativas de ter uma qualidade de vida melhor.
  • Avenida Sarah Veloso
Atravessa o Jardim Veloso, interligando o Jardim Santo Antonio e Novo Osasco, ao Conjunto dos Metalúrgicos.
  • Complexo Viário Fuad Auada
Saída da Rodovia Castelo Branco, interligando ao Viaduto Dona Ignês Collino, levando ao Centro.
  • Avenida Hilário Pereira de Souza
Liga o Centro ao Jardim Wilson e Parque Continental.
  • Avenida Franz Voegelli
Liga a Vila Yara e Avenida dos Autonomistas ao Jardim Wilson, passando por dois campi do Centro Universitário Fieo e pelo edifício Osasco Prime Center.
  • Avenida Benedito Alves Turíbio
Liga os Bairros Jardim Cirino, Jardim Padroeira, Jardim Turíbio, Jardim Joelma, Jardim Santo Antonio, formando um "S".
  • Avenida Giuseppe Sacco
Liga os bairros Jardim Iguaçú, Jardim das Bandeiras e Jardim Padroeira ao Rodoanel e ao acesso do Bairro Parque Jandaia de Carapicuíba.
  • Avenida Padre Vicente Mellilo/Avenida Prestes Maia
Liga os bairros Bussocaba City, Jardim Novo Osasco, Jardim Umuarama e Jardim D'Abril.
Liga os bairros JD' Abril, City Bussocaba ao Jardim Novo Osasco, dando acesso também ao bairro Jaguaribe.

Trens[editar | editar código-fonte]

O município é servido pelos trens das linha 8 e linha 9 da CPTM. As estações são:

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Rodoanel Mário Covas, no trecho bairro de Bandeiras .
Rodoanel Mário Covas, no trecho bairro de Bandeiras .
Rodovia Raposo Tavares proximidade com Osasco.
Rodovia Raposo Tavares proximidade com Osasco.
Rodovia Anhanguera, no trecho de Osasco.
Rodovia Anhanguera, no trecho de Osasco.

Empresas de ônibus[editar | editar código-fonte]

  • Viação Osasco
  • Auto Viação Urubupungá
  • Viação Anhanguera
  • Osastur

Principais terminais rodoviários de Osasco[editar | editar código-fonte]

Terminal Amador Aguiar
  • Terminal Largo de Osasco
Largo de Osasco
  • Rodoviária de Osasco
Rodoviária de Osasco

Hino[editar | editar código-fonte]

Vista parcial aérea da região do Viaduto Reinaldo de Oliveira.

Meios de Comunicação[editar | editar código-fonte]

Portaria 2 do CDT, sede do SBT

Entre os veículos de comunicação da cidade, destacam-se:

Vista dos bairros Bonfim, Centro, Vila Campesina, Vila Yara, Presidente Altino, Industrial Altino, Industrial Autonomistas e Umuarama
Vista dos bairros: Centro, Bela Vista, Vila Osasco, Industrial Centro e Jardim das Flores. A partir da Rodovia Castelo Branco

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Osasco possui oficialmente cinco cidades-irmãs:

Panorama de Osasco,a partir da passarela da Estação Presidente Altino.
Osasco em 250°.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE. Histórico - Osasco(SP). Página visitada em 12 de setembro de 2012.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Página visitada em 26 de janeiro de 2011.
  4. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  5. IBGE Cidades_São Paulo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2013). Página visitada em 28 de setembro de 2013.
  6. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 31 de julho de 2013.
  7. Crescimento Econômico e Desigualdade de Renda no Estado de São Paulo.PNUD 2010. Página visitada em 15 de agosto de 2013.
  8. Posição ocupada pelos maiores municípios em relação ao Produto Interno Bruto. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (12 de dezembro de 2012).
  9. Produto Interno Bruto a preços correntes e Produto Interno Bruto per capita segundo as Grandes Regiões, as Unidades da Federação e os Municípios 2006-2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (12 de dezembro de 2012).
  10. Prefeitura de Osasco. História. Página visitada em 27/02/2013.
  11. Prefeitura do Município de Osasco - História Consultado em 05 de agosto de 2013
  12. História de Osasco Consultado em 09 de janeiro de 2012.
  13. a b c d História de Osasco pelo Museu Dimitri Sensaud de Lavaud Consultado em 09 de janeiro de 2012
  14. Recenseamento do Brazil realizado em 1 de Setembro de 1920, Volume IV, 1ª parte - População - população do Brazil por Estados, municípios e districtos, segundo o sexo, o estado civil e a nacionalidade - p. 545
  15. Imigração Italiana Consultado em 09 de janeiro de 2012
  16. Imigração Armênia Consultado em 09 de janeiro de 2012
  17. Imigração Japonesa Consultado em 09 de janeiro de 2012
  18. O Estado de São Paulo. Cem anos depois, Osasco revive o primeiro voo da América do Sul. www.estadao.com.br. Página visitada em 21-5-2010.
  19. Primeiro vôo da América Latina, pela Câmara de Osasco Consultado em 09 de março de 2012
  20. O Primeiro Vôo da América do Sul. Câmara municipal de Osasco. Página visitada em 31 de maio de 2012.
  21. História de Osasco pelo site Nossa São Paulo Consultado em 09 de janeiro de 2012
  22. História de Osasco pela página da Telefônica Consultado em 09 de janeiro de 2012.
  23. Greve da Cobrasma pelo site Causa Operária. Consultado em 26 de abril de 2012
  24. Explosão do Osasco Plaza Shopping pelo site Estadão. Consultado em 26 de abril de 2012
  25. Site Vestibulinho ETEC Consultado em 26 de abril de 2012.
  26. Site do SEANAI- Unidade Osasco Consultado em 26 de abril de 2012
  27. Site do SENAC- Unidade Osasco
  28. Site da Faculdades Anhanguera- Unidade Osasco. Consultado em 26 de abril de 2012.
  29. Site da Uniban- Unidade Osasco Consultado em 26 de abril de 2012.
  30. Site Oficial da Faculdade Fernão Dias Consultado em 26 de abril de 2012.
  31. Site oficial da FIPEN Consultado em 26 de abril de 2012.
  32. UNIFESP Campus Osasco Consultado em 26 de abril de 2012.
  33. [1] Consultado em 24 de outubro de 2012.
  34. CNESNet. Estabelecimento de Saúde. Página visitada em 27/02/2013.
  35. Site Oficial do Hospital Cruzeiro do Sul Consultado em 26 de abril de 2012
  36. Hospital Amador Aguiar pelo CNES.net Consultado em 26 de abril de 2012.
  37. pelo CNES.net Consultado em 26 de abril de 2012.
  38. Site do Hospital Montreal, pelo Help Saúde Consultado em 26 de abril de 2012.
  39. Hospital Antonio Giglio, pelo site CNES.net Consultado em 26 de abril de 2012.
  40. Hospital Regional, pelo site CNES.net Consultado em 26 de abril de 2012.
  41. Site Oficial do Hospital Sino Brasileiro Consultado em 26 de abril de 2012.
  42. CNESNet. Estabelecimento de Saúde. Página visitada em 27/02/2013.
  43. Bibliotecas de Osasco pelo site da prefeitura. Consultado em 26 de abril de 2012.
  44. Espaço de Eventos Pedro Bortolosso, pela prefeitura. Consultado em 26 de abril de 2012.
  45. Casa do Violeiro do Brasil pelo site Encontra SP. Consultado em 26 de abril de 2012.
  46. IBGE. Tabela Produto Interno Bruto. Página visitada em 27/02/2013.
  47. IBGE. Produto Interno Bruto dos Municípios 2010. Página visitada em 27/02/2013.
  48. Confederação Brasileira de Volei. Osasco Voleibol Clube. Página visitada em 27/02/2013.
  49. Rio 2016. Escola de Ginástica Artística Ayrton Senna da Silva. Página visitada em 27/02/2013.
  50. Tempo Agora
  51. Recorde de calor no ano, pelo noticiário da Rede Globo.
  52. Tempo Agora Climatologia da cidade de Osasco.. Instituto Nacional de meteorologia.
  53. Erro de citação: Tag <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas IBGE_Pop_2011
  54. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sinopse do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. 261 p. ISBN 978-85-240-4187-7
  55. Dados da população de Osasco pelo site PNUD Brasil. Consultado em 15 de agosto de 2013.
  56. Econômico e Desigualdade de Renda no Estado de São Paulo. Jeronymo Marcodes. USP- Ribeirão Preto. Consultado em 21 de agosto de 2012.
  57. Embrapa. Base de dados sobre áreas urbanizadas nos municípios do Brasil. Página visitada em 15 de junho de 2011.
  58. Seade mortes em Osasco(PDF) Página visitada em 11 de Janeiro de 2010
  59. Rede Bom Dia, taxa de homicídios caem 23% em Carapicuíba-Página visitada em 11 de Janeiro de 2011. Publicado por Ricardo Datrino
  60. Trata Brasil. Trta Brasil. Página visitada em 12 de julho de 2011.
  61. Departamento Nacional de Trânsito. Denatran Frota 2010. Página visitada em 12 de julho de 2011.
  62. Xuzhou, cidade irmã de Osasco. Consultado em 22 de janeiro de 2011
  63. Viana, cidade irmâ de Osasco. Consultado em 22 de janeiro de 2011.
  64. Tsu, cidade irmã de Osasco. Consultado em 22 de Janeiro de 2011
  65. Osasco (Itália), cidade irmã de Osasco. Consultado em 22 de janeiro de 2011

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • OLIVEIRA, Neyde Collino de; NEGRELLI, Ana Lúcia Marquetti Rocha. Osasco e sua história. São Paulo: CG Editora, 1992.
  • SANAZAR, Hirant. Osasco - Sua história, sua gente. Osasco: ed. do autor, 2003.
  • FAVARÃO, Mazé (apres.). Osasco conta sua história através dos bairros. Osasco: Secretaria de Educação, 2007.
  • METROVICHE, Eduardo (org.). Osasco - Um século de fotografia. Osasco: Maxprint Editora, 2007.
  • PAVÃO, Lucas. Memórias...Algumas histórias de Lucas Pavão na antiga Vila de Osasco. Osasco: Edifieo, 2010.
  • PIGNATARI, Helena Werner. Raizes do movimento operário em Osasco. São Paulo: Cortez Ed.
  • PITERI, Guaçu. Sonhar é preciso - Comunidade e política nos tempos da Ditadura. Osasco: Edifieo, 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias
Wikivoyage Guia turístico no Wikivoyage
Meta-Wiki Meta-Wiki
Portal A Wikipédia possui o
Portal de Osasco
Portal A Wikipédia possui o
Portal de São Paulo
Portal A Wikipédia possui o
Portal do Brasil