Osburga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Osburh ou Osburga (morreu antes de 856) foi a primeira esposa do rei Etelvulfo de Wessex e mãe de Alfredo, o Grande. O biógrafo de Alfredo, Asser, descreveu-a como "uma mulher muito religiosa, de caráter nobre e nobre por nascimento".[1]

A existência de Osburga só é conhecida devido à Vida do Rei Alfredo de Asser. Ela não é nomeada como testemunha de quaisquer cartas, nem a sua morte é relatada na Crôónica anglo-saxã. Até onde se sabe, ela era a mãe de todos os filhos de Etelvulfo, dos seus cinco filhos Etelstano, Etelbaldo, Etelberto, Etelredo e Alfredo, o Grande, e de sua filha Etelsvita, esposa do rei Burgredo de Mércia. Osburga presumivelmente morreu antes de 856, quando o marido se casou com a princesa carolíngia Judite.

Ela é mais conhecida pela história de Asser sobre um livro de canções saxãs que ela mostrou a Alfredo e seus irmãos, oferecendo-se para dar o livro aquele que primeiro o memoriza-se, um desafio que Alfredo assumiu e ganhou. Este apresenta o interesse do século IX de mulheres de status elevado em livros, e o seu papel na educação dos seus filhos.[2]

Osburga era filha de Oslac (que também só é conhecido devido à "Vida" de Asser), pincerna do Rei Etelvulfo (mordomo), uma figura importante na corte real e do agregado familiar.[3] Oslac é descrito como um descendente dos sobrinhos do Rei Cerdic, Stuf e Wihtgar, que conquistaram a Ilha de Wight[4] e, por isso, é lhe também atribuída ascendência gótica.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Nome Nascimento Morte Notas
Etelstano 851-855
Etelsvita 888 Casada com Burgredo de Mércia, sem descendência
Etelbaldo 860 Casado com Judite, anulado
Etelberto 865 Exemplo
Etelredo 871 Tem descendência
Alfredo 849 26 de Outubro de 899 Com descendência

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Simon Keynes and Michael Lapidge eds, Alfred the Great: Asser's Life of King Alfred and Other Contemporary Sources, London, Penguin Classics, 1983, p. 68
  2. Janet L. Nelson, Osburh, 2004, Oxford Online Dictionary of National Biography In Nelson's view, Osburh may have been dead by 856 or may have been repudiated.
  3. Keynes and Lapidge, pp. 68, 229.
  4. Asser states that Oslac was a Goth, but this is regarded by historians as an error as Stuf and Wightgar were Jutes. Keynes and Lapidge pp. 229-30 and Frank Stenton, Anglo-Saxon England, Oxford, Oxford UP, 3rd edition 1971, p. 23-4