Otacílio de Azevedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Otacílio de Azevedo (Redenção, 11 de fevereiro de 1892Fortaleza, 3 de Abril de 1978) foi um pintor, desenhista e poeta brasileiro membro da Academia Cearense de Letras e fundador da Sociedade Brasileira dos Amigos da Astronomia[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu na zona rural de Redenção e foi morar em Fortaleza em 1910, aos 14 anos. Começou nas artes plásticas como pintor de tabuletas de cinemas e de letreiros de lojas para tornar-se, com o passar do tempo, um dos grandes paisagistas de seu Estado.

Trabalhou na loja Fotografia N. Olsen onde teve oportunidade de conhecer artistas plásticos e escritores cearenses da época, como Ramos Cotoco, Gérson Faria, Clóvis Costa, Paula Barros, Herman Lima, Quintino Cunha e muitos outros mais. A partir de então começou a desenvolver suas habilidades como pintor e poeta.

Participou, juntamente com outros nomes cearenses, do Salão Regional realizado em Fortaleza no ano de 1924. Fundou em 1934 com Gérson Faria, Pretextato Bezerra e Clóvis Costa o primeiro ateliê de pintura na cidade[2] .

Figurou como sócio fundador do Centro Cultural de Belas Artes (CCBA) que tornou-se a Sociedade Cearense de Artes Plásticas (SCAP), chegando a ser eleito vice-presidente da SCAP. Participou dos I, II e III Salões Cearenses de Pintura (Fortaleza - 1941, 1942 e 1944) e de vários Salões de Abril.

Além de paisagista, Otacílio de Azevedo era grande retratista, sendo de sua autoria muitos dos retratos dos governadores do Estado do Ceará que se encontram expostos no palácio do Governo. É autor da obra Fortaleza Descalça, na qual apresenta, de modo interessante e bem humorado, traços biográficos dos artistas e escritores com quem conviveu.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Dentro do Passado - 1916
  • Alma Ansiosa - 1918
  • Musa Risonha - 1920
  • Sugestão do Luar - 1921
  • Réstia de Sol - 1942
  • Redenção - 1944
  • Desolação 1947
  • Úlyimos Poemas - 1958
  • A origem da Lua - 1960
  • Adágios, Meisinhas e Superstições - 1966
  • Fortaleza Descalça - 1980
  • Trigo sem joio - 1986

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BRAGA, Teodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Edit., 1942.
  • MONTEZUMA, Luciano; FIRMEZA, Nilo (Estrigas). Dicionário das artes plásticas do Ceará. Fortaleza: Centro Cultural Oboé, 2003.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. 120 anos de Otacílio, o poeta das telas. Diário do Nordeste (11/02/2012). Página visitada em 17 de novembro de 2012.
  2. Azevedo, Otacílio. Enciclopédia Itaú Cultural. Página visitada em 17 de novembro de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.