Ourinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Ourinhos
Vista panorâmica de Ourinhos

Vista panorâmica de Ourinhos
Bandeira de Ourinhos
Brasão de Ourinhos
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 13 de dezembro de 1918 (95 anos)
Gentílico ourinhense
Prefeito(a) Belkis Fernandes (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Ourinhos
Localização de Ourinhos em São Paulo
Ourinhos está localizado em: Brasil
Ourinhos
Localização de Ourinhos no Brasil
22° 58' 44" S 49° 52' 15" O22° 58' 44" S 49° 52' 15" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Assis IBGE/2013[1]
Microrregião Ourinhos IBGE/2013[1]
Municípios limítrofes Norte: São Pedro do Turvo;
Sul: Jacarezinho;
Leste: Santa Cruz do Rio Pardo e Canitar;
Oeste: Salto Grande
Distância até a capital 370 km[2]
Características geográficas
Área 296,203 km² (SP: 308º)[3]
População 108 674 hab. (SP: 73º) –  estatísticas IBGE/2013[4]
Densidade 366,89 hab./km²
Altitude 492 m
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,778 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 1 760 987 mil IBGE/2011[6]
PIB per capita R$ 16 975,17 IBGE/2011[7]
Página oficial
Prefeitura www.ourinhos.sp.gov.br

Ourinhos é um município brasileiro no interior do estado de São Paulo. Pertence à microrregião de mesmo nome e Mesorregião de Assis, localiza-se a oeste da capital do estado, distando desta cerca de 370 km.[2] Ocupa uma área de 296,203 km², sendo que 12,4015 km² estão em perímetro urbano,[8] e sua população foi estimada em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 108 674, sendo então o 73º mais populoso de São Paulo e o primeiro de sua microrregião.[4] Está a 994 km de Brasília, capital federal.

A sede tem uma temperatura média anual de 22,1°C e na vegetação do município predomina a mata atlântica. Em relação à frota automobilística, em 2009 foram contabilizados 45 298 veículos.[9] Com uma taxa de urbanização da ordem de 95,21%, o município contava, em 2009, com 63 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,778, considerado como elevado em relação ao do estado.[10]

A cidade de Ourinhos foi emancipada de Salto Grande na década de 1910 e seu nome é uma referência ao antigo município de Ourinho, hoje Jacarezinho, no estado do Paraná. Atualmente é formada pela cidade de Ourinhos, sendo a sede seu único distrito, subdividida ainda em cerca de 120 bairros.[11] Também é uma das principais cidades da região e possui como principal atividade econômica o comércio.[12] No setor da agricultura, destaca-se o cultivo da cana-de-açúcar, da soja e do milho.[13]

O município conta ainda com uma importante tradição cultural, que vai desde o seu artesanato até o teatro, a música e o esporte. A cidade se destaca também em seus eventos, organizados, muitas vezes, pela prefeitura de Ourinhos juntamente ou não com empresas locais. Um dos principais é a Feira Agropecuária e Industrial de Ourinhos, que é realizada anualmente no mês de junho e é considerada como um dos maiores eventos do ramo no país.[14]

História[editar | editar código-fonte]

Antes da emancipação[editar | editar código-fonte]

Imagem antiga da Rua Paraná.

Até o final do século XIX, a região do atual município de Ourinhos não passava de mata virgem, habitada pelos índios caingangues[15] [16] . Nessa época, as monoculturas de café e algodão atingiram os sertões junto ao Rio Paranapanema, acompanhadas do início da imigração italiana, que, rapidamente, povoou a região. Isso levou Jacinto Ferreira de Sá, vindo de Santa Cruz do Rio Pardo, a adquirir, de Escolástica Michert da Fonseca, uma gigantesca propriedade de terras, tendo loteado a parte central e doado terras para construção de um grupo escolar, sede de administração e um templo metodista.[17]

Em 1906, deu-se o início do povoado com reduzido número de casas. No ano de 1908, foi criado o Posto da Estrada de Ferro, que foi, quatro anos mais tarde, transformado em uma estação ferroviária pertencente à Estrada de Ferro Sorocabana - a parada servia de baldeação aos passageiros que possuíam como destino o patrimônio vizinho de Ourinhos (atual Jacarezinho, Paraná. Dessa época em diante, a futura cidade teve um desenvolvimento condicionado à exuberância de suas terras e pela sua condição geográfica considerada excelente, já que era uma localidade estratégica do ponto de vista econômico por sua ligação com o norte do Paraná e por estar localizada entre Assis e Avaré, cidades importantes do Vale do Paranapanema.[18] O pequeno povoado torna-se Distrito da Paz subordinado a Salto Grande de Paranapanema, em 1915. Três anos depois foi elevado à categoria de município, em 13 de dezembro de 1918, cuja instalação se deu a 20 de março de 1919.[19]

Formação administrativa e etimologia[editar | editar código-fonte]

Igreja Matriz de Ourinhos, por volta de 1940.

Foi elevado a distrito com a denominação de Ourinhos, por Lei Estadual nº 1484, de 13 de dezembro de 1915, pertencendo ao município de Salto Grande. Foi elevado à categoria de município com a denominação de Ourinhos, por Lei 1618, de 13 de dezembro de 1918, desmembrado de Salto Grande. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação ocorreu-se no dia 20 de março de 1919. Pelo Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Ourinhos pertencia ao termo judiciário de Salto Grande, da comarca de Salto Grande. No quadro fixado, pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro daquele ano, passou a constituir o único termo judiciário da comarca de Ourinhos.[11]

A denominação "Ourinhos" sempre prevaleceu desde sua emancipação política. Um mapa de 1908 mostra uma cidade com o nome Ourinho (no singular), no Paraná, no lugar da atual Jacarezinho. Na realidade, a Ourinho paranaense foi também Nova Alcântara por escolha do seu fundador, o mineiro Antônio Alcântara da Fonseca, que se fixou naquelas terras em 1888. Entre outras denominações, o patrimônio de Nova Alcântara, ou Ourinho, correu o risco de se chamar Costina, em homenagem ao fazendeiro e político Antônio José da Costa Júnior, que recusou a discutível honraria. Sua fazenda, aliás, chamava-se Ourinhos e, atravessando o rio Paranapanema, chegava até o lugar conhecido como Água do Jacu, atual bairro rural ourinhense. A lei estadual 352, de 2 de abril de 1900, estabeleceu que Nova Alcântara (ou Ourinho) e o distrito policial de Jacarezinho fossem levados a termo (criação do judiciário) de Jacarezinho, nomeado juiz e adjunto de promotor. A Lei 525, de 9 de março de 1904, criou a comarca de Jacarezinho. Deixava de existir a Ourinho paranaense, ainda que os mapas seguissem por algum tempo a antiga denominação. Os trilhos da Sorocabana oficializaram por sua vez a Ourinhos paulista, que herdou o nome por tradição oral.[19]

Depois da emancipação[editar | editar código-fonte]

Imagem de uma das primeiras publicações do Correio de Ourinhos.

Com a retomada da Estrada de Ferro e do desmatamento, as terras férteis propiciaram o cultivo do café para exportação, dando na época bastante lucro aos proprietários. Ao mesmo tempo, chegavam os comerciantes e profissionais de diversas localidades que ajudaram no crescimento e desenvolvimento do município. Também na mesma época, foram atraídos para Ourinhos os colonos japoneses, italianos e outros, cujo objetivo principal era o cultivo das terras ao longo da Estrada de Ferro. Uma outra construção de estrada de ferro, em 1922, que ligaria os Estados de São Paulo e Paraná tornou Ourinhos um importante entroncamento e pólo econômico.[18]

O desenvolvimento urbano da cidade exigiu uma melhora na infraestrutura urbana de Ourinhos. Na década de 1910 foi publicado o primeiro jornal.[20] A Superintendência de Água e Esgotos de Ourinhos foi criada pela Lei nº 808 de 13 de abril de 1967, na gestão do prefeito Domingos Camerlingo Caló.[21]

Também o crescimento de Ourinhos e cidades próximas, foi criada a Microrregião de Ourinhos, reunindo além do município, outros 18 municípios. São alguns deles: Santa Cruz do Rio Pardo, Piraju, Fartura, Ipaussu, Chavantes, Taguaí, Bernardino de Campos, Manduri, Salto Grande, São Pedro do Turvo, Tejupá e Ribeirão do Sul. Em 2006 sua população foi estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em cerca de 294 902 habitantes em uma área total de 5.568,472 km². Seu IDH médio era de 0,792 e o PIB per capita médio de R$ 9.501,74 em 2003. Localiza-se na mesorregião de Assis.[22] [23]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Ourinhos está localizada junto à bacia hidrográfica do rio Paraná, em uma altitude média de 492 metros, tendo em seu território várias sub-bacias de pequenos e médios córregos com papéis importantes em sua configuração. Seus principais rios são o Paranapanema, Pardo e Turvo, sendo que todos os três cortam Ourinhos praticamente dentro do perímetro urbano da cidade. Conta com topografia levemente acidentada, sendo predominantemente regular.[24]

Limita-se com os municípios de São Pedro do Turvo, a norte; Jacarezinho, a sul, cidade pertencente a território do estado do Paraná; Santa Cruz do Rio Pardo e Canitar, a leste; e Salto Grande, a oeste.[24] E é cortada no sentido leste-oeste pelo paralelo 49° 52' 15" e em sentido norte-sul pelo meridiano de 22° 58' 44".[24] A área do município é de 296,203 km², representando 0,1193 % do território paulista, 0,032 % da área da região Sudeste do Brasil e 0,0035 % de todo o território brasileiro.[25] A área do perímetro urbano é de 12,4015 km².[8] Ourinhos também está situada na Mesorregião de Assis e microrregião de mesmo nome, que possuem, respectivamente, áreas de 12.710,210 km² e 5.568,472 km².[22] [23]

Clima[editar | editar código-fonte]

Pôr do sol em Ourinhos.

Ourinhos possui clima tropical chuvoso com inverno seco (tipo Am na classificação climática de Köppen-Geiger),[26] com temperatura média superior a 18°C no mês mais frio e precipitação inferior a sessenta milímetros no mês mais seco. Nos meses de verão os sistemas de baixa pressão predominam no continente sul-americano (acontecendo principalmente chuvas convectivas), ajudando a atenuar grandes contrastes térmicos e higrométricos em relação aos dias sem a ocorrência de precipitação.[27] O mês mais quente, fevereiro, têm temperatura média de 25,1 °C, sendo a média máxima de 30,8 °C e a mínima de 19,4 °C. E o mês mais frio, julho, possui média 18,3 °C, sendo 25,5 °C e 11,1 °C a média máxima e mínima, respectivamente. Outono e primavera são estações de transição.[28]

A precipitação média anual é de 1 356,8 mm, sendo agosto o mês mais seco, quando ocorrem apenas 41,2 mm. Em janeiro, o mês mais chuvoso, a média fica em 198,3 mm. Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes não só em Ourinhos, mas também em grande parte do estado de São Paulo, não raro ultrapassando a marca dos 30 ºC especialmente entre os meses de julho e setembro. Em julho de 2008, por exemplo, a precipitação de chuva de grande parte do estado não passou dos 0 mm.[29]

Segundo dados do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) e do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a temperatura mínima registrada em Ourinhos foi de -1,8 ºC, ocorrida no dia 28 de junho de 2011. Já a máxima foi de 41,0 ºC, observada no dia 11 de novembro de 2003.[30] O maior acumulado de chuva registrado na cidade em 24 horas foi de 110,2 mm, em 4 de maio de 2009.[31]

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Ourinhos Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 30,6 30,8 30,3 28,5 26,4 25,2 25,5 27,6 28,4 29,1 29,8 29,8 28,5
Temperatura média (°C) 24,9 25,1 24,5 22,2 19,8 18,5 18,3 20 21,4 22,6 23,5 24,1 22,1
Temperatura mínima média (°C) 19,1 19,4 18,6 15,9 13,2 11,7 11,1 12,5 14,5 16,1 17,1 18,4 15,6
Precipitação (mm) 198,3 176 143,3 73,4 74,4 65,6 51,9 41,2 76,3 132,7 135,1 188,5 1 356,8
Fonte: Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI).[28]

Ecologia e meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Áreas florestadas em meio ao pasto na zona rural.

A vegetação nativa do município pertence ao domínio florestal Atlântico (Mata Atlântica), onde destacam-se diversas espécies da fauna e flora. Segundo estudos realizados, Ourinhos está localizada no país de maior biodiversidade do planeta.[32]

Uma das principais reservas ambientais da cidade é o Parque Ecológico Bióloga Tânia Mara Netto Silva, onde está sendo preservado o último trecho de mata atlântica nativa do município, com cerca de 122 mil m² de animais silvestres e plantas nativas. Também conta com um papel importante no turismo municipal, pois é um local onde são realizadas caminhadas pelas trilhas demarcadas, meditações e prática de diversos esportes.[33]

Também com o objetivo de preservar a fauna e flora local, além de minimizar os problemas da qualidade do ar em vários bairros da cidade, a prefeitura de Ourinhos, juntamente com a sua Secretaria do Meio Ambiente e Agricultura, realiza frequentemente o plantio de mudas de árvores em vários pontos do município. Recentemente, junto com a Distribuidora Petrobras, plantou 30 mudas de espécies diversas espécies nativas, como o ipê, pitanga, guamirim e aroeira salsa, que foram doadas pela secretaria.[34]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1970 49 221
1980 59 738 21,4%
1991 76 923 28,8%
2000 93 868 22,0%
2010 103 035 9,8%
Est. 2013 108 674 15,8%
Fonte: Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[4] [35]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 103 026 habitantes.[10] Segundo o censo daquele ano, 100 368 habitantes eram homens e 2 658 habitantes mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 4 671 habitantes viviam na zona urbana e 4 902 na zona rural.[10] Já segundo estatísticas divulgadas em 2013, a população municipal era de 108 674 habitantes, sendo o 73º mais populoso do estado.[4] Da população total em 2010, 21 941 habitantes (21,29%) tinham menos de 15 anos de idade, 71 779 habitantes (69,66%) tinham de 15 a 64 anos e 9 315 pessoas (9,04%) possuíam mais de 65 anos, sendo que a esperança de vida ao nascer era de 76,5 anos e a taxa de fecundidade total por mulher era de 1,7.[36]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Ourinhos é considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sendo que seu valor é de 0,778 (o 145º maior do Brasil). A cidade possui a maioria dos indicadores próximos à média nacional segundo o PNUD. Considerando-se apenas o índice de educação o valor é de 0,727, o valor do índice de longevidade é de 0,859 e o de renda é de 0,753.[5]

Pobreza e desigualdade[editar | editar código-fonte]

Segundo o IBGE, em 2003, o coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social era de 0,46, sendo que 1,00 era o pior número e 0,00 era o melhor.[37] A incidência da pobreza, medida pelo IBGE, era de 14,92%, o limite inferior da incidência de pobreza era de 14,56%, o superior era de 14,92% e a incidência da pobreza subjetiva era de 18,12%.[37]

De acordo com dados do IBGE divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento Social, Ourinhos possui 1 256 famílias abaixo da linha da pobreza, ou 3 768 pessoas (3,65% da população). Em março de 2013, o município tinha 2 426 famílias no Programa Bolsa Família. Isso representa 65,89% do total estimado de famílias do município com perfil de renda do programa (cobertura de 65,89%). Dos beneficiários do Bolsa Família, 6 986 pessoas viviam em famílias com renda per capita abaixo de R$ 70,00 e estariam em situação de miséria não fossem os benefícios recebidos do programa.[38]

Religião[editar | editar código-fonte]

Catedral do Senhor Bom Jesus, sede da Diocese de Ourinhos.

Tal como a variedade cultural em Ourinhos, são diversas as manifestações religiosas presentes na cidade. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz social eminentemente católica é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes. Além disso o crescimento dos evangélicos também vem sido notado chegando a quase de 17,56% da população.[39]

A cidade de Ourinhos está localizada no país mais católico do mundo em números absolutos. A Igreja Católica teve seu estatuto jurídico reconhecido pelo governo federal em outubro de 2009,[40] ainda que o Brasil seja atualmente um estado oficialmente laico.[41] A cidade possui os mais diversos credos protestantes ou reformados, como por exemplo a Assembleia de Deus.[42] De acordo com dados do censo de 2000, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população de Ourinhos é composta por: Católicos (75,50%), evangélicos (17,56%), pessoas sem religião (3,76%), espíritas (1,02%) e 2,16% estão divididas entre outras religiões.[39]

Política e administração[editar | editar código-fonte]

A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.[43] Atualmente Belkis Fernandes, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), é a prefeita municipal e representante do executivo, vencendo as eleições municipais em 2012 com 23 574 votos (42,46% dos eleitores). Pelo fato de Ourinhos ter menos de 200 mil eleitores e nenhum dos candidatos ter conseguido menos de 50% do total de votos no primeiro turno, não houve segundo turno.[44]

O poder legislativo é constituído pela câmara, composta por onze vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição[45] ) e está composta da seguinte forma:[46] duas cadeiras do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), duas cadeiras do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), duas cadeiras do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), duas cadeiras do Partido dos Trabalhadores (PT), uma cadeira do Partido Social Democrata Cristão (PSDC), uma cadeira do Partido Republicano Brasileiro (PRB) e uma do Partido da República (PR).[46] Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).[45]

O município se rege ainda por lei orgânica[47] e é sede da Comarca de Ourinhos.[48] Possuía 76 057 eleitores em junho de 2012, o que representava 0,241% do total do estado de São Paulo.[49]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Ourinhos está oficialmente subdividida em apenas um distrito, sendo ele a Sede, instalada em 20 de março de 1919. Esta subdivisão figura desde a emancipação política da cidade. Pelo Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Ourinhos pertencia ao termo judiciário de Salto Grande, da comarca de Salto Grande. No quadro fixado, pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro do mesmo ano, passou a constituir o único termo judiciário da comarca de Ourinhos.[11]

A cidade também está dividida em cerca de 120 bairros.[50] Um dos principais da cidade é o Jardim América, que recentemente foi beneficiado pela construção da Praça Henrique Fittipaldi, que conta com cerca de 10 mil m² em um local que foi revitalizado e recebeu o plantio de mais de 100 árvores e 25 palmeiras além do plantio de grama e plantas ornamentais.[51]

Economia[editar | editar código-fonte]

O Produto Interno Bruto (PIB) de Ourinhos é o maior da Microrregião de Ourinhos e o 308º de todo o país.[12] De acordo com dados do IBGE, relativos a 2011, o PIB do município era de R$ 1 760 987 mil. 102 147 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes e o PIB per capita era de R$ 16 975,17.[12]

Setor primário
Produção de cana-de-açúcar, soja e milho (2007)[13]
Produto Área colhida (hectares) Produção (tonelada)
Cana-de-açúcar 16 500 1 650 000
Soja 3 000 9 600
Milho 1 720 6 180

A agricultura é o setor menos relevante da economia de Ourinhos. De todo o PIB da cidade, 42 279 mil reais é o valor adicionado bruto da agropecuária.[12] Segundo o IBGE, em 2008 o município possuía um rebanho de 3905 bovinos, 400 equinos, 1964 suínos, 113 caprinos, 383 bufalinos, sete asinos, 24 muares, 943 ovinos e 1 104 355 aves, dentre estas 479 669 galinhas e 624 686 galos, frangos e pintinhos.[52] Em 2007 a cidade produziu 630 mil litros de leite de 1.086 vacas. Foram produzidos 9114 mil dúzias de ovos de galinha e 60 quilos de mel-de-abelha.[52] Na lavoura temporária são produzidos principalmente a cana-de-açúcar (1.650.000 toneladas), a soja (9000 toneladas) e o milho (6180 toneladas).[53] No ano de 2006 existiam 133 estabelecimentos agropecuários que somavam no total 5796 hectares.[54]

Setor secundário

A indústria atualmente é o segundo setor mais relevante para a economia ourinhense. 340 980 reais do PIB municipal são do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário).[12] Grande parte da renda oriunda do setor secundário é original do distrito industrial de Ourinhos. Recentemente a prefeitura, juntamente com as secretarias do Desenvolvimento Urbano e do Desenvolvimento Econômico, fez reformas de infraestrutura no distrito industrial, que está localizado na Vila São Luiz. É composto em geral por micro, pequenas e médias empresas.[55]

Setor terciário

1 206 435 mil reais do PIB municipal são do setor terciário, que em 2011 era a maior fonte geradora do PIB ourinhense.[12] De acordo com o IBGE, a cidade possuía no ano de 2008 3.511 empresas e estabelecimentos comerciais e 41 703 trabalhadores, sendo 22 985 pessoal ocupado total e 18 718 ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 260.212 reais e o salário médio mensal de todo município era de 2,6 salários mínimos.[56] Existem também 13 agências financeiras na cidade.[57] Assim como no resto do país o maior período de vendas no município é o Natal.[58]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

No ano de 2000 Ourinhos tinha 26 536 domicílios entre apartamentos, casas, e cômodos. Desse total 18 308 eram imóveis próprios, sendo 14 311 próprios já quitados (53,93%), 3 997 em aquisição (15,06%), 4 989 alugados (18,80%); 3 158 imóveis foram cedidos, sendo 1 202 por empregador (4,53%) e 1 956 cedidos de outra maneira (7,37%). 81 foram ocupados de outra forma (0,31%).[59] O município conta com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. Em 2000, 96,83% dos domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água;[60] 95,84% das moradias possuíam coleta de lixo [61] e 94,19% das residências possuíam escoadouro sanitário.[62]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 2005 o município possuía 63 estabelecimentos de saúde, sendo 42 deles privados e 21 públicos entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles a cidade possui 357 leitos para internação, sendo todos privados.[63] Na cidade existem três hospitais gerais, dois privados e um filantrópicos. Ourinhos conta ainda com 311 auxiliares de enfermagem, 187 cirurgiões dentistas, 168 clínicos gerais, 88 cirurgiões dentistas, 71 enfermeiros, e 1012 distribuídos em outras categorias, totalizando 1 837 profissionais de saúde.[64] No ano de 2007 a taxa de natalidade foi de 13,11% e 6,76% é a taxa de bebês que nasceram abaixo do peso. 55,74% dos partos foram casarios e 6,81% foram de mães entre 10 e 18 anos.[65]

Os serviços adstritos à Secretaria Municipal de Saúde são: a Central de Esterilização; o Dispensário Central de Medicamentos; o Dispensário de Medicamentos Excepcionais (Medicamnetos de Alto Custo); o Dispensário de Medicamentos de Saúde Mental e HIV/AIDS; a Farmácia Municipal de Manipulação; e a Descontaminação de Resíduos de Saúde.[65] São os serviços hospitalares conveniados com o Sistema Único de Saúde (SUS) oferecidos no município: a Santa Casa de Misericórdia de Ourinhos e o Hospital de Saúde Mental de Ourinhos.[65] A cidade conta também com quatro ambulâncias municipais, duas ambulâncias - UTI Móvel (privada), duas ambulâncias de transporte - simples (Santa Casa de Misericórdia/Hospital de Saúde Mental) e uma Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo.[65]

Educação[editar | editar código-fonte]

Educação de Ourinhos em números [66]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 2.614 150 34
Ensino fundamental 14 854 803 35
Ensino médio 4347 326 18

Ourinhos conta com escolas em todas as regiões do município. Devido à intensa urbanização os poucos habitantes da zona rural têm fácil acesso a escolas em bairros urbanos próximos. A educação nas escolas estaduais tem um nível ligeiramente superior ao das escolas municipais, mas a prefeitura está criando estudos para tornar a educação pública municipal ainda melhor, de modo a conseguir melhores resultados no IDEB.[67] O município em 2008 contava com aproximadamente 21.815 matrículas, 971 docentes e 87 escolas nas redes públicas e particulares.[66]

A prefeitura, juntamente com sua Secretaria de Educação em parceria com diversas entidades públicas e privadas, promove várias atividades e programas para melhorar a qualidade do ensino, como o de Formação de Professores Alfabetizadores (PROFA/CENP); Pró Letramento em Matemática (MEC/UNDIME); Centro de Referência do Ensino Fundamental (CREF)/Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP); Ler e Escrever (CENP); Programa Nacional de Educação Fiscal; Formação Continuada do Expoente (Sistema de Ensino Apostilado); Capacitação para Gestores Escolares à Distância – PROGESTÃO (UNDIME e CONSED, com cooperação da Fundação Roberto Marinho); Curso de Formação de Gestores e Educadores, Educação Inclusiva: direito à diversidade (MEC/SME de Ourinhos); Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) em parceria com a Polícia Militar do Estado de São Paulo; Curso de Aperfeiçoamento: Atendimento Educacional Especializado em parceria com o MEC/Universidade Federal do Ceará (UFCe); Programa Escola de Gestores, Programa de Pós-graduação em Gestão Escolar, em parceria com o MEC/Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) e Capacitação em Robótica Educacional (LEGO Education).[68] Hoje a educação de Ourinhos é considerada como destaque.[68]

Criminalidade e segurança pública[editar | editar código-fonte]

Brasão da PMSP.

Como na maioria dos municípios médios e grandes brasileiros, a criminalidade também é um problema em Ourinhos. No ano de 2006 a taxa de homicídios no município foi de 10,1% para cada habitante. O índice de óbitos por arma de fogo, que era de 3,1 em 2002, pulou para 8,1 em 2003, ficando em 16,1 em 2004, sendo de 8,1 em 2005, voltando a cair em 2006, ficando em 4,0 neste ano. A taxa de óbitos por acidentes de trânsito, que era de 40,0 em 2002, caiu para 16,2 em 2006.[69] Em 2009 foram registrados na cidade dois homicídios, 357 furtos, 51 roubos, 16 furtos de veículos e um roubo de veículos.[70]

A queda de homicídios por causas relacionadas à violência urbana se deve às medidas tomadas pela Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMSP), como as reformas de iluminação pública realizadas em praças da cidade, reduzindo a presença de marginais que utilizam esses ambientes para praticar crimes e fazer uso de entorpecentes. Também foram instaladas 16 câmeras de segurança no centro comercial de Ourinhos.[71] Segundo pesquisa divulgada pela Secretaria Estadual de Segurança Pública, Ourinhos possui o segundo menor índice de roubos do estado de São Paulo em cidades com mais de 100 habitantes, sendo um dos nove municípios com índice zero de homicídios entre jovens de 12 a 19 anos.[72]

Serviços e comunicações[editar | editar código-fonte]

O serviço de coleta de esgoto e de abastecimento de água de toda a cidade é feito pela Superintendência de Água e Esgoto de Ourinhos (Sae-Ourinhos). Grande parte da água consumida no município é oriunda do Rio Pardo e de pequenos reservatórios subterrâneos e mananciais.[73] 100% da cidade é atendido pela rede de distribuição de energia elétrica, sendo que o abastecimento é feito pela Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), com sede em Campinas.[74] Ainda há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido por diversas operadoras. Existe ainda acesso 3G, oferecido ao município desde 2009.[75] O código de área (DDD) de Ourinhos é 014[76] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade vai de 19900-000 a 19919-999.[77] No dia 1º de setembro de 2008 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outras cidades de São Paulo (códigos 14 e 17), Espírito Santo (27), Minas Gerais (37), Paraná (43), Goiás (62), Mato Grosso do Sul (67) e Piauí (86).[78]

O município também conta com jornais em circulação. São os principais o Jornal de Ourinhos, Jornal da Divisa e Jornal Diário de Ourinhos. Também existem rádios, sendo algumas delas a Rádio de Ourinhos, Divisa FM 93.3, Itaipu FM 92.5,[79] a Rádio Clube de Ourinhos e Rádio Sentinela de Ourinhos.[80]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Rua Antônio Carlos Mori, no centro: importante logradouro municipal.
Estação ferroviária de Ourinhos, da Estrada de Ferro Sorocabana, desativada desde 1999.[81]

Ourinhos é servida em seu território pela América Latina Logística (ALL), em um antigo trecho que pertencia à já extinta Estrada de Ferro Sorocabana, possuindo a Estação Ferroviária de Ourinhos, que foi inaugurada no final do ano de 1908. Entretanto a ferrovia e a estação deixaram de receber trens de passageiros dia 16 de janeiro de 1999, permanecendo ativas apenas para passeios turísticos em uma locomotiva a vapor entre Rubião Júnior (distrito de Botucatu) e Presidente Epitácio.[81] O município possui fácil acesso à SP-270 - Rodovia Raposo Tavares - ligando a Itaí e divisa com Mato Grosso do Sul; SP-278 - Rodovia Estadual Mello Peixoto - ligando Ourinhos a cidades próximas; SP-327 - Rodovia Orlando Quagliato - ligando a cidade a Santa Cruz do Rio Pardo; BR-153 - Rodovia Transbrasiliana - que liga o município a várias cidades do país (rodovia que começa em Aceguá, Rio Grande do Sul, e termina em Marabá, Pará). Além disso, tem acesso às rodovias de importância estadual e até nacional através de rodovias vicinais pavimentadas e com pista dupla. A cidade conta também com o Aeroporto Estadual de Ourinhos (IATA: OUSICAO: SDOU), que possui capacidade para cerca de 3000 passageiros.[82]

A frota municipal no ano de 2009 era de 45.298 veículos, sendo 25.490 automóveis, 1.943 caminhões, 434 caminhões trator, 2.980 caminhonete, 107 micro-ônibus, 11.141 motocicletas, 2.820 motonetas, 373 ônibus e dez tratores de roda.[9] Entre 2001 e 2010 foi registrado um crescimento de 78,5% no número de veículos, cujo desenvolvimento foi classificado como preocupante pela coordenadoria municipal de Trânsito de Transporte. As avenidas duplicadas e pavimentadas e diversos semáforos facilitam o trânsito da cidade, mas o crescimento no número de veículos nos últimos dez anos está gerando um tráfego cada vez mais lento de carros, principalmente na Sede do município. Além disso, tem se tornado difícil encontrar vagas para estacionar no centro comercial da cidade, o que vem gerando alguns prejuízos ao comércio.[83]

Atualmente o transporte público de Ourinhos é feito pela Auto Viação Ourinhos Assis (Avoa), cuja empresa é a responsavel pelo serviço desde o ano de 1978. Estão disponíveis 22 linhas urbanas, sendo que o valor da tarifa cobrada pela empresa é R$ 2,50, existindo também desconto para estudantes e pessoas entre 60 e 65 anos.[84]

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Artes e artesanato[editar | editar código-fonte]

Na área das artes cênicas da cidade, destacam-se diversas construções dedicadas à cultura municipal, como o Teatro Municipal Miguel Cury, o Museu Municipal Histórico e Pedagógico, o Núcleo de Arte Popular e o Ponto de Cultura 'Para Ler o Mundo', pertencente à Biblioteca Municipal Tristão de Athayde.[85] Anualmente é realizada a Mostra Sérgio Nunes de Artes Cênicas, que propõe atividades em que a literatura e o teatro se complementem. Foi realizado por 12 anos, de 1991 a 2003, mas a proposta do evento foi retomada em 2009.[86]

O artesanato é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural ourinhense. Em várias partes do município, é possível encontrar uma produção artesanal diferenciada, feita com matérias-primas regionais e criada de acordo com a cultura e o modo de vida local. Esta diversidade torna o artesanato ourinhense rico e criativo. A Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (SUTACO) reúne diversos artesãos da região, disponibilizando espaço para confecção, exposição e venda dos produtos artesanais. São produzidos especialmente colchas e caminhos de mesa de crochê, flores produzidas com folha de milho seca, peças produzidas com teares, dentre outras. Normalmente essas peças são vendidas em feiras, exposições ou lojas de artesanato.[87]

Eventos[editar | editar código-fonte]

Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de Ourinhos, juntamente ou não com empresas locais, investe no segmento de festas e eventos. Essas festas, muitas vezes atraem pessoas de outras cidades, exigindo uma melhor infraestrutura no município e estimulando a profissionalização do setor, o que é benéfico não só aos turistas, mas também a toda população da cidade. As atividades ocorrem durante o ano inteiro.[14]

A Feira Agropecuária e Industrial de Ourinhos é um dos principais eventos que ocorrem no município. Realizada desde o ano de 1967 entre os meses de maio ou junho atrai visitantes da região. Também é conhecida por ser uma das maiores feiras do país, com entrada franca. Atualmente sedia-se no Recinto Olavo Ferreira de Sá. Em anos mais recentes, cada feira recebeu uma média de 260 expositores da área do comércio e indústria e 350 da pecuária, sendo que este último conta com a participação de mais de 1600 animais. Nos onze dias de programação, os shows artísticos, que podem ser assistidos gratuitamente, atraem milhares de pessoas ao parque.[14]

Outro importante evento é o festival de música que ocorre anualmente na cidade durante o mês de julho e já é consagrado por contar com a participação de músicos de todo o país, alavancando o nome da cidade em âmbito nacional e internacional também. O evento se dá em caráter de oficinas, que ministradas por músicos de renome, contribuem para o desenvolvimento da cultura na cidade, músicos como Toninho Horta, Nélson Ayres, entre outros, já participaram do evento como músicos convidados ou professores das respectivas oficinas.[88]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Assim como na maioria das cidades do país o esporte mais conhecido e praticado no município é o futebol. O esporte é praticado na cidade desde 1908, no inicio da construção da pequena estação ferroviária em terras de dona Escolástica, quando os trabalhadores, em suas horas de folga, praticavam ou jogavam partidas de futebol na área que hoje é conhecida como Praça Melo Peixoto. No dia 5 de junho de 1919 um grupo de moradores fundou o Clube Atlético Ourinhense. No dia 27 de junho de 1920 a classe dos trabalhadores fundou o já extinto Esporte Clube Operário. Com a instalação da Prefeitura, os seus funcionários também fundaram outro clube de futebol, o Municipal A.C. Outro clube também surgiu na década de 1920, o Aurora F.C., com seu campo localizado em meio aos cafezais da então fazenda dos Sá. Em 1932 o Aurora deixou de existir e o seu campo seria adquirido pelo Operário que também mantinha já nessa época um centro recreativo.[89]

Ourinhos também se destaca nacionalmente no basquete feminino, tendo uma das melhores equipes do mundo. O início deu-se em 1995, com apoio da prefeitura municipal. Posteriormente, o time recebeu incentivo e patrocínio de empresas privadas locais e de outros colaboradores. De 1995 até agosto de 2009, o time sagrou-se pentacampeão nacional (2004, 2005, 2006, 2007 e 2008), hexacampeão paulista (2000, 2002, 2004, 2005, 2006 e 2007) e campeão sul-americano de clubes (2008) na modalidade, dentre outros títulos. O município é conhecido como "A Capital Nacional do Basquete Feminino" e base da seleção de basquete.[90]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Em Ourinhos há dois feriados municipais, oito feriados nacionais e três pontos facultativos. Os feriados municipais são: o dia do padroeiro Senhor Bom Jesus, em 6 de agosto; e o dia do aniversário da cidade, em 13 de dezembro.[91] De acordo com a lei federal nº 9.093 de 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluída a Sexta-Feira Santa.[92] [93]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais (19 de julho de 2013). Divisão Territorial do Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 4 de dezembro de 2013.
  2. a b Em Sampa (2011). Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  4. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2013). Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data em 1º de julho de 2013. Página visitada em 9 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2013.
  5. a b Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). Ranking IDH-M Municípios 2010. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  6. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 » PIB a preços correntes » Comparação entre os Municípios: São Paulo. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  7. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). Produto Interno Bruto dos Municípios - 2011 » PIB per capita a preços correntes » Comparação entre os Municípios: São Paulo. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  8. a b Embrapa Monitoramento por Satélite. São Paulo. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  9. a b Cidades@ - IBGE (2009). Frota 2009. Página visitada em 23 de novembro de 2010.
  10. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Censo 2010 - São Paulo. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  11. a b c Cidades@ - IBGE. Histórico. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  12. a b c d e f Cidades@ - IBGE (2011). Produto Interno Bruto dos Municípios. Página visitada em 13 de fevereiro de 2014.
  13. a b Cidades@ - IBGE (2007). Produção Agrícola Municipal - Cereais, Leguminosas e Oleaginosas. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  14. a b c Prefeitura (15 de abril de 2010). 44ª FAPI - FEIRA AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE OURINHOS - De 03 a 13 de junho. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  15. http://www.portalkaingang.org/index_povo_1.htm
  16. http://pib.socioambiental.org/pt/povo/kaingang/287
  17. CityBrazil. História da Cidade. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  18. a b Câmara Municipal. História de Ourinhos. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  19. a b Prefeitura. História. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  20. Memórias Ourinhenses (16 de novembro de 2009). "O Correio de Ourinhos". Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  21. mórias Ourinhenses (7 de novembro de 2010). A Sae. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  22. a b Sites do Brasil. Mesorregião de São Paulo: Ourinhos. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  23. a b Sites do Brasil. Mesorregião de São Paulo: Assis. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  24. a b c Gerência de Geoprocessamento de Ourinhos. Bem vindo aos mapas de Ourinhos. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  25. Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Dados Gerais. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  26. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Classificação Climática de Köppen do Estado de São Paulo. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  27. Débora Moreira de Souza, Jonas Teixeira Nery (2009). Clima Urbano em Ourinhos (pdf). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Página visitada em 26 de novembro de 2010.
  28. a b Clima dos Municípios Paulistas - Ourinhos. Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI). Página visitada em 24 de novembro de 2010. Cópia arquivada em 14 de fevereiro de 2014.
  29. INPE/CPTEC (2010). Precipitação acumulada em julho de 2008 (Presidente Prudente - BRA). BDC (Bancos de dados climatológicos). Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  30. Ciiagro. Dados Temperatura e Chuva. Página visitada em 11 de maio de 2012.
  31. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). Dados Meteorológicos - São Paulo. Página visitada em 13 de novembro de 2011.
  32. Construir Notícias. Brasil, o país de maior biodiversidade do mundo. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  33. Guia da Cidade de Ourinhos - SP. Cidades. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  34. Prefeitura (11 de novembro de 2010). Secretaria do Meio Ambiente e Agricultura faz nova ação de plantio de mudas de árvore. Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  35. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (SIDRA) (2010). Tabela 200 - População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População. Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  36. Atlas do Desenvolvimento Humano (2013). Perfil - Ourinhos, SP. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Página visitada em 9 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 9 de fevereiro de 2014.
  37. a b IBGE. Indicadores sociais dos municípios brasileiros. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  38. http://aplicacoes.mds.gov.br/sagi/RIv3/geral/index.php
  39. a b Religião. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  40. Cristiane Agostine (8 de outubro de 2009). Senado aprova acordo com o Vaticano (em Português). O Globo. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  41. Fernando Fonseca de Queiroz (Outubro de 2005). Brasil: Estado laico e a inconstitucionalidade da existência de símbolos religiosos em prédios públicos. Jus Navigandi. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  42. Templos das Assembleias de Deus. Templo sede da Assembleia de Deus em Ourinhos - São Paulo. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  43. Flávio Henrique M. Lima (9 de fevereiro de 2006). O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno. JusVi. Página visitada em 21 de novembro de 2010. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012.
  44. Eleições 2012 (7 de outubro de 2012). Candidatos a Prefeito Ourinhos/SP. Página visitada em 13 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2014.
  45. a b DJI. Constituição Federal - CF - 1988. Página visitada em 21 de novembro de 2010. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012.
  46. a b Eleições 2012 (7 de outubro de 2012). Candidatos a Vereador Ourinhos/SP. Página visitada em 13 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2014.
  47. Câmara Municipal. Lei Orgânica do Município de Ourinhos. Página visitada em 13 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2014.
  48. JusBrasil. Comarca de OURINHOS 2a Vara Criminal. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  49. Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (12 de abril de 2013). Consulta Quantitativo. Página visitada em 13 de fevereiro de 2014.
  50. GrandeBrasil.com. Ourinhos. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  51. Prefeitura (1º de junho de 2010). Praça Henrique Fittipaldi, inaugurada no Jd. América, beneficiará mais de 3 mil pessoas. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  52. a b Cidades@ - IBGE (2008). Pecuária 2008. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  53. Cidades@ - IBGE (2008). Lavoura Temporária 2009. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  54. Cidades@ - IBGE (2006). Censo Agropecuário 2006. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  55. Prefeitura (26 de junho de 2009). Iniciadas obras do Distrito Industrial de Micro e Pequenas Empresas. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  56. Cidades@ - IBGE (2008). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  57. Cidades@ - IBGE (2009). Instituições Financeiras 2009. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  58. Portal Ourinhos.NET (5 de novembro de 2009). ACE recebe certificado para campanha de Natal. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  59. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Domicílios Particulares Permanentes e Moradores. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  60. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Abastecimento de Água. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  61. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Destino do Lixo. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  62. Confederação Nacional de Municípios (CMN). Infra-Estrutura - Esgotamento Sanitário. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  63. Cidades@ - IBGE (2009). Serviços de Saúde 2009 (em Português). Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  64. DATASUS. Caderno de Informações de Saúde - Informações Gerais (xls) (em português). Página visitada em 21 de outubro de 2010.
  65. a b c d Prefeitura. Dados Gerais. Página visitada em 21 de novembro de 2010.
  66. a b Cidades@ - IBGE (2009). Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2009 (em Português). Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  67. Governo Federal. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) - Resultados e Metas. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  68. a b Portal Ourinhos.NET (20 de maio de 2009). Educação de Ourinhos ganha destaque em revista especializada. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  69. Ritla (2008). Base de dados dos municípios (xls) (em português). Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros-2008. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  70. Jacarezinho (28 de abril de 2010). Índices criminais crescem no primeiro trimestre em Ourinhos. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  71. Ace Ourinhos (18 de março de 2010). Nova Mello Peixoto: Segurança deve ser prioridade no projeto. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  72. Jacarezinho (10 de fevereiro de 2010). Ourinhos tem 2º menor índice de roubos do Estado de São Paulo. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  73. Superitendência de Água e Esgoto de Ourinhos. História. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  74. Diário de Ourinhos (8 de julho de 2009). CPFL Atende inaugura moderno call center em Ourinhos. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  75. Portal Ourinhos.NET (18 de maio de 2009). Brasil pode receber computador-celular no 2º semestre. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  76. Guiatel. São Paulo. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  77. Correios. CEP de cidades brasileiras. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  78. Leonardo Goy (29 de agosto de 2008). Portabilidade terá taxa de R$ 4 por cliente, diz Anatel. O Estado de S. Paulo. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  79. Nossa São Paulo. Informações adicionais. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  80. Rádios. Relação de rádios AM do Brasil. Página visitada em 22 de novembro de 2010.
  81. a b Estações Ferroviárias do Brasil (23 de julho de 2010). Histórico da linha. Página visitada em 23 de novembro de 2010.
  82. Emsampa. Aeroporto de Ourinhos. Página visitada em 23 de novembro de 2010.
  83. TaNaCidade.com (3 de março de 2010). Em nove anos, frota de veículos cresceu 78,5% em Ourinhos SP. Página visitada em 23 de novembro de 2010.
  84. Uol. Em Ourinhos, Avoa admite queda e culpa mototáxi. Página visitada em 23 de novembro de 2010.
  85. Curta Ourinhos. Equipamentos da Cultura. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  86. Prefeitura (22 de setembro de 2010). Mostra Sérgio Nunes de Artes Cênicas marca volta de festival de teatro. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  87. Superintendência do Trabalho Artesanal nas Comunidades (SUTACO) (2006). Sutaco diploma artesãos em Ourinhos. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  88. Festival de Música de Ourinhos. Festival de Música de Ourinhos - 10 anos de Sucesso!. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  89. Carlos Lopes Bahia (19 de novembro de 2007). 1908 - 1941 - O futebol em Ourinhos. Memórias Ourinhenses. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  90. PBF. Painel do Basquete Feminino (PBF). Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  91. Portal Ourinhos.NET (1º de dezembro de 2009). Excesso de feriados em 2009 preocupa comércio. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  92. Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual (em português). Guia Trabalhista. Página visitada em 25 de novembro de 2010.
  93. Presidência da República. Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995. Página visitada em 25 de novembro de 2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Mapas