Overkill

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Overkill
Overkill ao vivo no Jalometalli 2008
Informação geral
Origem Nova Jérsei
País  Estados Unidos
Gênero(s) Thrash metal, groove metal
Período em atividade 1980 — atualmente
Gravadora(s) Megaforce Records
Atlantic Records
CMC International
Metal-Is Records
Spitfire Records
Regain Records
Bodog Music
Página oficial www.wreckingcrew.com
Integrantes Bobby "Blitz" Ellsworth
D.D. Verni
Dave Linsk
Derek Tailer
Ron Lipnicki
Ex-integrantes Rat Skates
Bobby Gustafson
Sid Falck
Rob Cannavino
Merritt Gant
Tom Mallare
Joe Comeau
Sebastian Marino

Overkill é uma banda estado-unidense de thrash metal formada em 1980 na cidade de Nova Jersey. A banda está ativa desde 1983, tendo gravado 16 álbuns de estúdio, 2 EPs, 2 álbuns ao vivo, e um álbum de covers. A banda também possui um mascote emblemático (de nome Charly), que é um morcego esquelético com a cara de uma caveira, asas de ossos e olhos verdes. Aparece constantemente nos álbuns da banda. O Overkill passou por várias mudanças em sua formação original, restando ainda como membros fundadores, o vocalista Bobby "Blitz" Ellisworth e o baixista D.D Verni.

Contemporâneo de Exodus, Testament, Voivod, Sacred Reich e Death Angel, o Overkill ficou conhecido principalmente por sua técnica e alta velocidade. É hoje uma das poucas bandas que ainda mantém o thrash metal puro e cadenciado com a essência das bandas dos anos 1980.

História[editar | editar código-fonte]

Surgimento: anos 80[editar | editar código-fonte]

O Overkill nasceu em Nova York (EUA) em 1982, logo depois da explosão do heavy metal e do Thrash metal da Bay Area de São Francisco. Formado por Bobby "Blitz" Ellsworth no vocal, Dan Spitz na guitarra, D.D.Verni no baixo e Rat Skates na bateria, teve seu nome inspirado na música "Overkill" do Motörhead. Tem como marca registrada muito senso de humor e cada álbum traz uma piada da banda, muitas vezes sútil.

Antes de lançarem o primeiro álbum, a banda já havia gravado as demos Power In Black (1983) e Rotten To The Core (1984), além de, em 1984, participarem com a música “Death Rider” da compilação Metal Massacre 5, produzida pela Metal Blade Records.

No ano seguinte Dan Spitz é chamado pelo Anthrax e Bobby Gustafson entra em seu lugar. É então lançado o primeiro álbum da banda, Feel the Fire, que apesar da produção de Alex Perialas e Jon Zazula, contou com pouca qualidade técnica da Megaforce Records.

A Atlantic Records assina parceria com a Megaforce e investe mais na banda de um modo geral. As gravações ficam melhores em Taking Over, o segundo trabalho do Overkill, que sai em 1987. Para a divulgação do álbum, a banda entra em tour. Dela são gravadas 4 faixas ao vivo: "Rotten to the Core", "HammerHead", "Electro-Violence" e "Use Your Head", mais a inédita "Fuck You", gravada no Phantasy Theatre (Cleveland), em junho, que vão para o EP Fuck You. A capa era a foto de um dedo médio levantado e gerou muita polêmica até ser censurado e a gravadora obrigada a lançá-lo com uma embalagem de plástico fosco. Como em todo trabalho do Overkill, a piada aqui é a música “You Are My Sunshine” tocada no meio de “Rotten To The Core”.

D.D. Verni

Ainda em 1987 a Atlantic Records lança Power Chords, Vol. 1, uma compilação em que o Overkill participa com a música “Wrecking Crew”. Entre outras bandas, fizeram parte Anthrax com “N.F.L.”, Testament com “Apocalyptic City”, Savatage com “Hall of the Mountain King” e Manowar com “Black Wind, Fire and Steel”.

No final da tour de Taking Over, o baterista Rat Skates deixa a banda e em seu lugar entra Sid Falck. Em 1988 é lançado Under the Influence que vendeu mais de 300 mil cópias no mundo, mas apesar disso é considerado um dos piores álbuns da banda. As fotos da capa são de Frank White e de Dan Muro.

The Years of Decay é lançado no ano seguinte, 1989. A faixa “E.Vil N.Ever D.Ies” marca o final da sequência que se originou com a música “Overkill” de Feel the Fire, “Overkill II (The Nightmare Continues)” de Taking Over e “Overkill III (Under the Influence)” de Under The Influence. Além disso, percebe-se que a fase mais voltada ao ocultismo nas letras e peso arrastado chega ao fim. Nessa época sai o guitarrista Bobby Gustafson e para seu lugar são recrutados Merritt Gant e Rob Cannavino, que havia sido roadie do Armored Saint e do próprio Overkill por um longo tempo.

Anos 90[editar | editar código-fonte]

Em 1991 a banda grava um dos melhores álbuns da carreira, “Horrorscope”.[1] Com arranjos melhores e som mais trabalhado, se tornou um dos clássicos do thrash metal. A curiosidade aqui é a cover de “Frankenstein” de Edgar Winter. A banda começa a ser mais conhecida fora dos EUA mas o baterista Sid Falck sofre um acidente de carro e tem que deixar a banda. Tim Mallere (ex-M.O.D.) preenche sua vaga.

Depois de um tempo para a banda fazer tour e se adaptar ao novo baterista, sai “I Hear Black” em 1993 com o novo produtor Alex Perialas, que é apontado como responsável por tirar parte da cadência e da energia da banda no álbum. As fotografias ficam por conta de Amy Guip e o design de capa por Larry Freemantle.

Em 1994 a banda resolve voltar ao feeling do som mais antigo e produz, pela primeira vez sozinha, o álbum “W.F.O.” (Wide Fucking Open). O trabalho fica bem diferente dos anteriores, trazendo algumas mudanças nítidas como o baixo, que está mais claro e evidente.

Para comemorar o aniversário de 10 anos da banda, é lançado em outubro de 1995Wrecking Your Neck” pela CMC Records. O álbum foi gravado ao vivo em um show de Cleveland e as fotos de capa são de Andreas Schowe.

Mais um álbum ao vivo sai em outubro de 1996. “!!!Fuck You!!! and Then Some” traz a cover de “Hole in the Sky” do Black Sabbath e tem design de capa assinado por Peter Tsakiris.

Dave Linsk

A banda sofre novamente abalos em sua formação quando Merritt Gant deixa a banda para se casar e Rob Cannavino decide se dedicar à corrida de moto profissional. Nos lugares deixados pelos guitarristas entram Joe Comeau e Sebastian Marino.

Com nova formação, o álbum seguinte é produzido novamente pela própria banda. “The Killing Kind” é lançado em 1996 e é considerado um dos álbuns de melhor produção que eles já tiveram.

O ano de 1997 é marcado para o Overkill com muito trabalho. Além da tour, participam ainda do “Tribute To Judas Priest: Legends Of Metal” com a música "Tyrant" e em setembro do mesmo ano é lançado o álbum “From the Underground and Below”.

O próximo álbum de estúdio, “Necroshine”, é lançado em fevereiro de 1999 e, logo depois, em outubro é a vez de “Coverkill”, um álbum somente de covers muito curioso pela diversidade de estilos. Entre os covers estão "Hole in the Sky" "Cornucopia" e "Never Say Die" do Black Sabbath, “Space Truckin" do Deep Purple, "Deuce" do Kiss, "Tyrant" do Judas Priest, "Death Tone" do Manowar, "Hymn 43" do Jethro Tull, "Ain't Nothin' To Do" do Dead Boys, "No Feelings" do Sex Pistols, "I'm Against It", do Ramones e, claro, "Overkill" do Motörhead.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Novamente há problemas com os guitarristas e Sebastian Marino e Joe Comeau saem da banda sendo substituídos por Dave Linsk e Derek Tailer. Com essa formação e ainda hoje na ativa a banda lança o álbum “Bloodletting” em outubro de 2000 pela Metal-Is Records. O design de capa é de Travis Smith.

Em novembro do mesmo ano a banda inicia uma tour pela Europa como convidado especial da Halford's "Resurrection" world tour. Desde então o Overkill não tinha encontrado um novo segundo guitarrista, no entanto, Joe Comeau entra temporariamente para a tour. Como a esposa de D. D. Verni estava prestes a dar à luz ao seu segundo filho, ele foi substituído temporariamente por Derek "The Skull" Tailer da banda SMF de Dee Snider. No início de 2001, Derek Tailer foi anunciado como um membro permanente do Overkill, não no baixo, mas no lugar vago na guitarra.

Bobby Blitz

Depois de uma pausa, o Overkill ressurge em 2002 com "Wrecking Everything", seu segundo álbum ao vivo, gravado no Teatro Paramount, em Asbury Park, Nova Jersey. O álbum continha somente músicas que não tinham sido lança das em Wrecking Your Neck. A mesma ocasião foi utilizado para gravar, pela primeira vez, um DVD, o "Wrecking Everything - An Evening In Asbury Park", também lançado em 2002.

Na tour europeia, em Junho de 2002, durante o último show da turnê em Nuremberg, Alemanha, Blitz sofreu um derrame no palco e desmaiou. Durante cerca de quatro dias, corriam rumores desenfreados, relatando que Blitz estava em coma, permanentemente paralisado ou mesmo que Blitz tinha morrido. Por último, três dias depois, a banda anunciou que aquilo não teve consequências duradouras, assim como nenhuma causa que poderia ser determinada pelos médicos.

Overkill entra em estúdio no final de 2002 para gravar seu próximo álbum de estúdio, "Killbox 13". Produzido pela banda e por Colin Richardson e lançado em março de 2003. O álbum foi aclamado pela crítica, Que combina o então Overkill com seu estilo cru antigo, tal como apresentado no álbum de estreia "Feel The Fire". Para a distribuição do álbum incluía uma série de festivais europeus durante o verão, e uma turnê europeia seguida em novembro com Seven Witches. A banda tocou sem Derek Tailer, que esteve ausente por motivos não revelados. Ninguém foi contratado para preencher para ele, de modo que o Overkill excursionou como um quarteto, pela primeira vez desde 1990. Tailer ainda era considerado um pleno membro da banda.

No final de 2004, após uma turnê japonesa com Death Angel e Flotsam and Jetsam, a banda começou a trabalhar em outro álbum no seu próprio estúdio de gravação. O álbum, "ReliXIV", foi produzido e mixado pela própria banda e lançado em março de 2005.

Derek Tailer

Em maio de 2005, foi anunciado que Tim Mallare não iria participar nesta tour, para substituí-lo foi chamado o ex-baterista Ron Lipnicki Hades. Poucas semanas depois, a banda anunciou que Tim Mallare tinha deixado a banda permanentemente e Lipnicki seu substituto. Após uma tour nos EUA a banda foi adicionada ao Gigantour de 2006.

Agora com a gravadora Bodog Music, a banda começa a reunir forças com Jonny e Zazula Marsha, os anteriores proprietários da Megaforce Records, que agora são parte da equipe Bodog nos Estados Unidos. O Overkill lança seu 15º álbum de estúdio, "Immortalis", em 9 de outubro de 2007 com a participação do vocalista do Lamb Of God, Randy Blythe, na música "Skull and Bones".[2]

2010-atualmente[editar | editar código-fonte]

Em 30 de outubro de 2009, foi revelado que o Overkill fechou um contrato com a Nuclear Blast Records. O álbum seguinte, "Ironbound", é descrito como uma verdadeira obra de thrash metal, cujo lançamento ocorreu em 29 de janeiro de 2010. Durante a turnê de 2010, passaram por algumas cidades brasileiras.[3] [4]

Em 2012 lançaram seu 16º álbum de estúdio intitulado The Electric Age, mantendo o mesmo nível do CD anterior. Passaram novamente pelo Brasil no meio do ano para a divulgação do álbum.[5] [6]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Formação atual

Ex-membros

  • Rat Skates - bateria (1980-1987)
  • Bob "Sid" Falck - bateria (1987-1992)
  • Tim Mallare - bateria (1992-2005)
  • Robert "Riff Thunder" Pisarek - guitarra (1980-1981)
  • Dan Spitz - guitarra (1981)
  • Anthony Ammendolo - guitarra (1981)
  • Rich Conte - guitarra (1981-1982)

  • Mike Sherry - guitarra (1981-1982)
  • Joe - guitarra (1982)
  • Bobby Gustafson - guitarra (1982-1990)
  • Rob Cannavino - guitarra (1990-1995)
  • Merritt Gant - guitarra (1990-1995)
  • Joe Comeau - guitarra (1995-1999)
  • Sebastian Marino - guitarra (1995-2000)

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Overkill no Metalmania 2008
Overkill no Metalmania 2008
Álbuns de Estúdio

Referências

  1. Overkill: O Brasil é um país positivo!. www.territoriodamusica.com. Página visitada em 14/12/12.
  2. Overkill relança CD e DVD com material bônus. www.territoriodamusica.com. Página visitada em 14/12/12.
  3. Overkill no Brasil: ingressos à venda. www.territoriodamusica.com. Página visitada em 14/12/12.
  4. Overkill no Brasil. Ambiente Musical. Página visitada em 14/12/12.
  5. Overkill no Brasil em agosto. Van do Halen. Página visitada em 14/12/12.
  6. Overkill no Brasil em 2012: ingressos para shows em São Paulo e Porto Alegre. Agenda Metal. Página visitada em 14/12/12.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Overkill