Pântano de Sangue

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde novembro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde novembro de 2013).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde novembro de 2013).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Pântano de Sangue
Autor (es) Pedro Bandeira
País  Brasil
Género Aventura

Pântano de Sangue é um livro de Pedro Bandeira, lançado em 1987.[1] . Narra as aventuras de cinco adolescentes, Os Karas, para combater o crime organizado no Pantanal, liderado pelo implacável Ente.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Crânio, Calu, Magri, Chumbinho, Miguel (os Karas), tia Matilde, senador, Robson e Detetive Andrade, Piloto Bezerra.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A história se passa no pantanal, onde Crânio tenta descobrir o motivo da morte de seu professor de matemática. Tudo começou com um dia normal na escola onde os Karas e o resto dos estudantes encontram o corpo de seu professor. Como está no ultimo dia de aula, Crânio resolve visitar sua tia no pantanal, mas esse não seria o único propósito da viagem, ele também estava interessado em saber quem havia matado o professor. Antes de ir, pega uma caixa com as coisas do professor e vê duas fotos: uma que parece ser a primeira de muitas outras que desapareceram, e a última delas. Quando Crânio chegou no pantanal, uma moça estava olhando pela janela com um bebê no colo. Quando um cachorro começa a latir, a moça "Pantano de Sangue" e melhoramos/continuamos o texto. joga o bebê para o Crânio, que ataca o cachorro e o "acerta" com uma bala. O cachorro desmaia. No hospital, Crânio encontra o senador, que o faz se sentir bem. No dia seguinte, Crânio foi conhecer o pantanal com um índio, Robson, que o leva a um barco onde Crânio nota a imagem da primeira foto e sente que está indo no caminho certo. Quando chegam em um cemitério de jacarés, Crânio vê pessoas sendo devoradas por formigas carnívoras, logo depois o barco afunda e Robson e Crânio saem correndo. Com essa confusão, Robson acaba desaparecendo e Crânio chega á um aeroporto clandestino, onde é preso pelos homens que estavam lá. Ele encontra o Bezerra, um piloto conhecido, dentro da gaiola em que foi preso. Crânio pôde perceber que Bezerra foi drogado a força. O menino então hipnotiza o piloto e descobre que ele conhecia seu professor, e mais, Bezerra ja havia visto aquelas fotos antes. Os karas estavam a procura de quem estava fazendo todos esses crimes. Antes de tudo começar, policiais ja haviam achado bezerra com o casaco de Crânio e com a sua gaitinha, por isso os karas resolveram ir para o pantanal. No tal passeio, Magri, Chumbinho e o detetive Andrade passearam de barco, no qual foram capturados pela mesma pessoa que levou Crânio, o barqueiro. O homem estava apenas cumprindo ordens de alguém denominado "o ente". Apenas Calu e Miguel não vão á viagem de barco.

Calu é raptado pelo ente e descobre sua verdadeira identidade. O menino consegue escapar fingindo ser um encanador. Enquanto isso, Crânio estava sob o poder dos bandidos e é jogado no lago dentro de um saco de lixo, quando seu plano era, na verdade, ser levado para o quarto de bezerra. Crânio se afoga, mas é salvo e levada à tribo do índio Robson. Como desfecho, os Karas descobrem que o "ente" era, na verdade,a Tia Matilde

.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.