Pé na Jaca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pé na Jaca
Pé na Jaca (BR)
Logotipo da telenovela
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Comédia
Drama
Romance
Duração 50 minutos
Criador(es) Carlos Lombardi
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Ricardo Waddington
Elenco Murilo Benício
Deborah Secco
Juliana Paes
Fernanda Lima
Marcos Pasquim
ver mais
Tema de abertura "Eu Ando Ok" - Zizi Possi
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 20 de novembro de 2006 - 15 de junho de 2007
N.º de episódios 179
Cronologia
Último
Último
Cobras e Lagartos
Sete Pecados
Próximo
Próximo
Programas relacionados Quatro por Quatro
Uga-Uga
Kubanacan

Pé na Jaca é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas, pela Rede Globo, de 20 de novembro de 2006 a 15 de junho de 2007, em 179 capítulos,[1] substituindo Cobras & Lagartos e sendo substituída por Sete Pecados.

Foi escrita por Carlos Lombardi, com colaboração de Vinícius Vianna, Filipe Miguez, Nélio Abbade e Sebastião Maciel, e dirigida por Ary Coslov, Gustavo Fernandez, Marco Rodrigo, Paola Pol Balloussier, Paulo Silvestrini e Ricardo Waddington.

Contou com Murilo Benício, Juliana Paes, Fernanda Lima, Marcos Pasquim, Betty Lago, Fulvio Stefanini, Rodrigo Lombardi, Carla Marins, Ricardo Tozzi, Daniele Suzuki, Alexandre Schumacher, Fernanda de Freitas, Bruno Garcia, Flávia Alessandra e Deborah Secco nos papéis principais.

O elenco da novela, reunido para a estréia (foto: Sérgio Savarese/flickr)

História[editar | editar código-fonte]

No ano de 1984, em uma fazenda perto de Piracicaba, cinco crianças se conhecem. Arthur, que passa as férias na fazenda do tio plantador de jacas; Elizabeth, a filha da costureira; Guinevere, a filha de uma empregada; Maria, a filha de um rico fazendeiro; e Lancelotti, o filho de um dos colonos da fazenda, encontram-se, por acaso, na beira de um rio no interior de São Paulo, em Deus Me Livre, cidadezinha perto de Piracicaba.

Os cinco brincam sem perceber as diferenças sociais que os separam e têm a certeza de que aquela amizade durará para sempre. Mas as férias acabam e, com exceção de Lancelotti e Maria, eles nunca mais se encontram.

Vinte e cinco anos se passam até que o destino coloca Arthur, Elizabeth, Guinevere, Maria e Lancelotti novamente no mesmo caminho para que eles possam recomeçar do zero, e para isso estão todos de volta ao ponto de partida, onde tudo começou – a cidade de Deus Me Livre – sem a inocência dos velhos tempos e longe da amizade que juraram um dia.

Arthur e Guinevere se apaixonam perdidamente. Esta já foi casada com Caco (filho do milionário Último Botelho Bulhões), e teve um caso com Lance (Lancelotti) (ou Tico, tratamento dos mais íntimos), que é apaixonado por Maria. Maria Bô teve um marido na França a quem sustentava chamado Jean Luc, um conde falido que vive de aparências, além de um pretendente apaixonado por ela que vive perseguindo-a pelas ruas de Paris: Thierry. Arthur, porém, é casado com a interesseira Vanessa, que o traiu com o convencido Juan. Este, ajudava Elizabeth (que chega a se tornar a grande vilã da trama) em suas armações, e estimulava-a a passar para o lado do mal. Ela tinha uma queda por Deodato, que era comparsa da misteriosa Morgana. Essa, teve um caso no passado com Merlin, amigo de Último que formavam um triângulo amoroso.

Elizabeth fará de tudo para prejudicar seus antigos amigos, movida somente pela inveja e a ambição, chegando ao extremo por dinheiro e poder, enquanto que os demais amigos se unem e juntos tentam mostrar a ela que o amor e a caridade são virtudes indispensáveis para se viver feliz verdadeiramente.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Galeria
Murilo Benício interpretou o protagonista Arthur Fortuna.
Deborah Secco viveu a antagonista da trama, Elizabeth.
Fernanda Lima viveu a protagonista Maria Bô.
Marcos Pasquim fez o protagonista Lance.
Juliana Paes viveu a protagonista, Gui.
Ator Personagem
Murilo Benício Arthur Fortuna
Deborah Secco Elizabeth Aparecida Barra (Beth)
Fernanda Lima Maria Bô (Maria Botelho Bulhões)
Marcos Pasquim Lance (Antônio Carlos Lancelotti / Tico)
Juliana Paes Guinevere Ataliba dos Santos Fortuna (Gui)
Flávia Alessandra Vanessa Fortuna
Bruno Garcia Juan Arrabal
Fúlvio Stefanini Último Botelho Bulhões
Betty Lago Morgana (Maria Carolina Botelho Bulhões)
Carla Marins Dorinha (Isadora Cabedelo Haddad)
Alexandre Schumacher Caco (Carlos Eduardo Botelho Bulhões)
Ricardo Tozzi Primo Cândido (Cândido Fortuna Botelho Bulhões)
Fernanda de Freitas Lilinha (Maria Leila Barra Botelho Bulhões de Canabrava)
Rodrigo Lombardi Tadeu Lancelotti
Sílvia Pfeifer Maria Clara Botelho Bulhões Noscheze
Daniele Suzuki Rosa Tanaka
Humberto Martins Merlin Botelho Bulhões / Vasco
Betty Faria Laura Barra
Daniele Valente Maria Celina
Carlos Bonow Ed (Edmilson)
Elias Gleizer Giácomo Lancelotti
Sérgio Hondjakoff Nuno Botelho Noscheze
Natália Lage Cecília
Oscar Magrini Delegado Palhares
Alexandre Barros Átila Noscheze
Cláudia Ventura Duda (Maria Eduarda)
Cristina Sano Mitiko Tanaka
Dan Nakagawa Mário Tanaka
Dudu Azevedo Pipoca (Petrônio Palhares)
Emanuelle Araújo Clotilda Rodrigues Alves
Érika Evantini Mimi (Mimosa Queirós)
Gero Pestalozzi Deodato
Guilherme Piva Nirdo (Agronildo Ferreira Sales)
Lucy Ramos Guguta (Nina Botelho Noscheze)
Marcelo Torreão Plácido Haddad
Maria Estela Rivera Irina Botelho Bulhões
Rodrigo Hilbert Barrão (Flávio Barra)
Samantha Schmütz Célia
Luiza Valdetaro Tânia
Igor Rudolf Maurício Fortuna
João Vieira Zidane Ataliba Botelho Bulhões
Larissa Biondo Débora Lancelotti Cabedelo
Miguel Rômulo Marquinhos (Marcos Lancelotti Cabedelo)
Rafael Miguel Percival Fortuna
Sofia Terra Jô (Josephine Botelho Bulhões)
Selma Lopes Lúcia
Leonardo Villar Tio José (José Fortuna)
Paulo Goulart Roberto Vilela
Arlete Salles Gioconda
Lolita Rodrigues Carmem Cabedelo
Walmor Chagas Canabrava
Neuza Amaral Gema
Chico Anysio Cigano (Ezequiel de Jesus)
Elenco de Apoio

Roteirista[editar | editar código-fonte]

Um dos roteiristas de Pé na Jaca foi o mineiro Sebastião Maciel, nascido em 22 de junho de 1982. Ele iniciou sua carreira no teatro amador, como autor e diretor do texto "Altar de um bêbado", conclusão do curso de Direção da Companhia de Teatro de Luiz Paixão, em Belo Horizonte. Convidado pelo produtor da Rede Globo Sérgio Madureira, eventualmente assistiu e participou como leitor na produção das novelas O Clone (2001), de Glória Perez; Kubanacan (2003), de Carlos Lombardi; e América (2005), de Gloria Perez.

Na Globo colaborou com Carlos Lombardi nos 179 capítulos da novela Pé na Jaca (2006) [2] , ao lado de Filipe Miguez, Vinícius Vianna, Mauro Wilson e Nélio Abbade, e coescreveu, também com Lombardi, o episódio Delírios & Verdades, do seriado Guerra & Paz. Em cinema, atuou como roteirista do curta Vida, substantivo feminino, do diretor Alexandre Ingrevallo, com os atores Mariana Hein, Leonardo Miggiorin e Maria Zilda Bethlem. O filme ganhou o prêmio de Melhor Curtametragem Digital, no I Festival Curta Cabo Frio.[3] .

A pesquisa de Maria Carmem Jacob, da UFBA, cita a comunicação do roteirista com os membros de um fórum especializado em roteiro, como exemplo da comunicação entre autores e espectadores via internet.[4]

Exibição e audiência[editar | editar código-fonte]

Abertura[editar | editar código-fonte]

De uma fazenda com bichos engraçados. Nos créditos finais, dois ratinhos serram uma jaca fazendo cair sobre um pato, abrindo para o logotipo. A abertura foi um enorme sucesso no ano que foi exibida a novela sendo a melhor abertura de novela de Carlos Lombardi.

Trilha sonora nacional[editar | editar código-fonte]

Capa: Na frente, os animais que aparecem na abertura da telenovela. No verso, a atriz Fernanda Lima.

  1. "Rocks" - Caetano Veloso
  2. "Lenda" - Céu (Tema de Maria Bô)
  3. "Você Vai Estar na Minha" - Negra Li
  4. "Ainda Bem" - Vanessa da Mata
  5. "Infinito Particular" - Marisa Monte
  6. "A Gente Merece Ser Feliz" - Ivan Lins
  7. "Hoje (Ao Vivo)" - Cidade Negra
  8. "Espirais (Remix Novela)" - Marjorie Estiano
  9. "Tudo Por Acaso" - Lenine
  10. "Escuta" - Luiza Possi
  11. "Estranho Jeito de Amar" - Sandy & Júnior
  12. "Fazenda" - Milton Nascimento
  13. "Corsário" - Elis Regina
  14. "Chance de Amar" - Ângela Rô Rô
  15. "Paixão" - Clara Becker
  16. "Cheiro de Amor" - Maria Bethânia
  17. "Eu Ando OK (Ridin' High)" - Zizi Possi

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Carlos Lombardi se inspirou na Lenda do Rei Arthur e dos cavaleiros da Távola Redonda ao criar o núcleo central dos personagens, uma alusão ao castelo de Camelot: rei Arthur, papel de Murilo Benício, sua mulher Guinevere, interpretada por Juliana Paes, e seu principal cavaleiro, Lancelotti, papel de Marcos Pasquim. Já Elizabeth e Maria, vividas por Deborah Secco e Fernanda Lima, foram inspiradas em Elizabeth I, conhecida como a rainha virgem, e sua prima bastarda, Maria Stuart, a rainha da Escócia.
  • Aficionado por seriados norte-americanos, o autor Carlos Lombardi fez inúmeras referências a produções desse formato em Pé na Jaca. Lost, Battlestar Galactica, Hero e Monk foram algumas das referências citadas em suas tramas.
  • O ator Murilo Benício foi um dos destaques da novela como o hilário Arthur. Atrapalhado na hora de falar e cheio de trejeitos, o ator diz que se inspirou nas características de dois amigos pessoais para montar o perfil engraçado e desajeitado de Arthur: a maneira de falar veio de Evandro Mesquita, por seu sotaque carioca exageradamente carregado. Já a mania de mexer compulsivamente as mãos enquanto fala veio de Pedro Cardoso que, segundo Murilo Benício, gesticula muito enquanto fala.
  • Depois de ter sofrido críticas por sua atuação em Bang Bang, Fernanda Lima não queria aceitar o papel da modelo Maria, mas, por insistência de Lombardi, Fernanda aceitou.
  • Depois de Fernanda Lima ter recusado fazer Maria, Carlos Lombardi também pensou em outras atrizes para o papel, como Mariana Ximenes, com quem o autor queria trabalhar novamente devido ao sucesso de Bionda, em Uga Uga, mas esta não aceitou, pois estava no ar em Cobras & Lagartos e Danielle Winits, que também recusou.
  • Outro destaque da novela foi a atriz Sofia Terra, que interpretou Maria criança no primeiro capítulo e, depois, a filha de Maria, a pequena Josephine.
  • A atriz Nair Bello gravou as cenas inicias de Pé na Jaca, mas, quando a novela estreou, a atriz entrou em coma. Sua personagem passou a ser interpretada por Arlete Salles e as cenas inicias foram regravadas. Nair Bello faleceu em 17 de abril de 2007.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]