Pênalti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Os jogadores assumem as suas posições para a marcação de grande penalidade.

Pênalti, penalty ou penalidade máxima (português brasileiro) ou grande penalidade ou penálti (português europeu) é, no futebol, a falta suprema para a equipe (enquanto o cartão vermelho o é para o jogador, que significa a sua expulsão). Deve ser marcada toda vez que houver uma falta dentro da grande ou da pequena área que favoreça o time adversário ao do goleiro que defende a baliza de tal área.

Para a cobrança de um pênalti a bola é colocada na linha de grande penalidade (no centro da meia-lua, em frente à baliza) e o duelo trava-se unicamente entre o rematador e o goleiro. Imediatamente após o remate o jogo prossegue naturalmente, o que significa que, por exemplo, se o guarda-redes defender a bola para longe da baliza e não a agarre, os jogadores, que esperam atrás da linha de remate, podem continuar a jogar e insistir no remate.

O pênalti é aplicado na maioria das modalidades de futebol, tais como futebol de campo, futsal, futebol de salão, futebol society, etc.

O pênalti ocorrido durante a partida pode ser cobrado em dois toques, desde que a bola seja rolada para frente e o segundo jogador a tocar nela esteja fora da área no momento da cobrança. No caso de decisão de resultado por pênaltis isso não é permitido.

Decisões por pênalti[editar | editar código-fonte]

Pênalti cobrado pela seleção da Costa do Marfim.

A cobrança de pênaltis também é prevista no regulamento de algumas competições futebolísticas, quando a igualdade no marcador insiste em prevalecer, geralmente em jogos decisivos ou eliminatórios. É cobrada uma série de cinco pênaltis para cada equipe, até que uma seja declarada vencedora por ter feito pelo menos um gol a mais do que o rival, ou se este não puder alcançar a igualdade. Somente podem cobrar pênaltis jogadores que estejam atuando na partida; atletas expulsos não estão autorizados a participar das penalidades. Durante estas, os jogadores de ambas as equipes permanecem no círculo central, com exceção dos goleiros, que esperam pelas cobranças na grande área.

Caso o empate persista após a cobrança das cinco tentativas de cada lado são dadas chances adicionais, uma para cada time, até que um dos times tenha vantagem sobre o outro e ambos tenham batido o mesmo número de penaltis, sendo assim declarado o vencedor. Se todos os 11 jogadores já tiverem batido e a igualdade persiste, eles podem bater novamente, não necessariamente na mesma ordem anterior.

Ao contrário do pênalti cobrado durante o jogo, o pênalti cobrado em uma decisão por pênaltis não pode dar origem a rebote, isto é: uma vez que o goleiro tenha defendido a cobrança um outro jogador não pode tocar na bola para lançá-la de novo contra a meta.

O Brasil tem várias apresentações bem sucedidas em penalidades máximas em copas do mundo,inclusive consagrando-se campeão ao vencer seleção italiana, do até então melhor do mundo (Roberto Baggio), na final da copa de 1994 contra Itália e na semifinal da Copa de 1998, contra a Holanda. Porém nas quartas de final da Copa de 1986 foi eliminado contra a França.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro pênalti cometido na história do futebol, ocorreu em 1891[1] .

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Futebol 150 anos Folha de SP