PL Kyodan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Perfect Liberty Kyodan[1] ou a Instituição Religiosa Perfect Liberty[2] é uma religião internacional de origem japonesa e de doutrina baseada no monoteísmo.

Omitamá. Disco solar símbolo de Deus, representando em seus 21 raios, os 21 preceitos da Perfect Liberty.
Torre da Grande Paz (180 metros)- monumento àqueles que perderam suas vidas em todas as guerras da humanidade, no seiti ( Terra Sagrada) em Tondabayashi, província de Osaka, Japão.
Seiti(Terra Sagrada) da América do Sul. Cerimônia no auditório campal em frente ao Altar Externo; em Arujá, Estado de São Paulo.

Fundada em 1946 por Tokuchika Miki no dia 29 de setembro, sua história remonta ao ano de 1912. Como quase todas as religiões originadas no Japão, demonstra forte influência estética do Xintoísmo[3] .

A PL Kyodan[4] é uma religião que é também fortemente influenciada pela cultura do Zen Budismo[5] do Japão no começo do século XX. Entretanto, rompe com as crenças xintoísta e budista, ao cultuar um Deus único, "criador de todas as coisas".[6]

O ensinamento “raiz” de onde se origina toda a doutrina da PL é o preceito “Vida é arte.” Os seres humanos nasceram para expressar sua própria individualidade original em tudo - “criando a arte cotidiana verdadeira”. A fim de entender, melhorar suas vidas e em superar as dificuldades, os peelistas são ensinados a ter estes problemas dirigidos e orientados pelo patriarca (Oshieoyá-Samá) e através dos mestres, seus seguidores, visando o auto-aprimoramento que consiste na ampliação da auto-consciência e do auto-controle emocional. A PL não tem um livro sagrado (como a Bíblia), entretanto, possui os 21 preceitos da PL e as 21 Instruções para Vida Religiosa do peelista baseadas nesses e que foram concedidos através de revelação divina pelos fundadores da Igreja. Tem como objetivo primordial a geração de uma nova cultura que venha trazer pela primeira vez na história da humanidade a Paz Mundial.

Fundamentos doutrinários[editar | editar código-fonte]

São fundamentos da doutrina peelista:

  • 1) os ensinamentos (e sua origem "Vida é arte");
  • 2) a Obra-Divina[7] de Oshieoyá-samá (e sua bênção espiritual, o shikiri)[8] ;
  • 3) o Mioshiê (e os preceitos da PL).

Vida é Arte[editar | editar código-fonte]

O ensinamento fundamental da PL faz uma comparação dos atos cotidianos do homem com a realização de obras de arte.[9] "A alegria do homem não consiste em apoderar-se daquilo que almeja, nem que as pessoas ao redor comecem tratá-lo bem. A alegria quando o homem utiliza a criatividade e acumula esforços para relacionar-se bem com as coisas e pessoas, tornando sua expressão bela e agradável. Esta é a alegria mais profunda do homem." [10]

Cabe ao(à) homem(mulher) expressar seu eu mais verdadeiro, que é divino e se expressa por Makoto (dedicação perseverante, sinceridade), e eliminar seu ego, formado pelos vícios emocionais-espirituais, principalmente os de zanga, descontentamento, tristeza, pressa, receio, apego em demasia e teimosia, entre outros. Ao libertar-se desses vícios, o adepto torna-se capaz de realizar verdadeira arte em sua vida cotidiana e felicitar a si e ao seu próximo.[11]

A arte humana, na concepção da PL, é aquela que se adapta constantemente à Arte Divina que são os fatos e acontecimentos e as pessoas à sua volta. O homem é livre para se expressar, mas deve sempre basear-se em Deus (Preceito 11); a arte humana é o ponto de partida para o cultivo de uma nova cultura, de uma nova civilização, na qual a elevada consciência de si e do seu próximo, estado emocional-espiritual de perfeita liberdade (Preceito 21) possibilitam a harmonia profunda de toda a sociedade.[12]

Oshieoyá-Samá[editar | editar código-fonte]

Tokuchika Miki é chamado de II Fundador (Kyosso)[13] da Instituição Religiosa Perfect Liberty. Em 1946 fundou a referida religião, quando então era chamado Oshieoyá-Sama, por herdar de seu pai Tokuharu Miki, as virtudes de ser intermediador entre os adeptos e a divindade.

O patriarca da Instituição Religiosa Perfect Liberty é assim denominado por seus adeptos, que significa literalmente Pai dos Ensinamentos.

Atualmente, esse cargo é exercido pelo seu filho Takahito Miki, o III Fundador, ou também, chamado de 3º Patriarca.

Oshieoyá-samá é considerado, pela doutrina PL, antes um estado de elevada pureza espiritual, no qual "nada se sabe"[14] , estado de verdadeira liberdade (Preceito 21), do que um simples cargo de liderança na instituição. Assim, venera-se Oshieoyá-samá na pessoa de Takahito Miki. É chamado, dentro desse contexto doutrinário, de "Uno a Deus", um estado interior da evolução humana onde as verdades espirituais reveladas na forma dos ensinamentos surgem diretamente através da intuição. Oshieoyá-samá, ainda, seria o modelo de conduta do verdadeiro filho de Deus.

Assim, pela prática dos ensinamentos, o adepto alcançaria sua felicidade nesse mundo, vindo a expressar sua verdadeira natureza divina, através do auto-aprimoramento, como um verdadeiro filho de Deus, criando a Paz Mundial que é o objetivo maior da PL.

A palavra Oshieoyá-samá, pode ser dividida em "oshiê"[15] , vocábulo japonês que significa "ensinamento, doutrina", e "oyassama"[16] , ou apenas "oyá", ideograma que significa pai e mãe[17] , ao mesmo tempo; daí a tradução para o ocidente de "Pai dos Ensinamentos".

Mioshiê[editar | editar código-fonte]

Ensinamento individualizado, baseado nos preceitos da PL, que elucida a raiz espiritual das desventuras[18] sofridas pelo adepto, no momento de sua solicitação. Tal solicitação é motivada pelo Mishirassê (desventura, infortúnio), que surge na forma de doenças ou acontecimentos negativos na vida do adepto. Trata-se do ponto central da doutrina peelista, onde, conforme o preceito 15 ("Tudo é espelho."), para cada Aviso Divino, mishirassê, há um Ensinamento Divino, mioshiê, a ser seguido. O par de conceitos doutrinários, Mishirassê-Mioshiê é considerado pela teologia peelista como único, dentre as demais religiões existentes, sendo sua característica peculiar.

A boa sorte no emprego, os filhos adoecerem, as vendas que não vão bem, o bom casamento, a rebeldia nos filhos, enfim, o espelho positivo ou negativo dos fatos da vida diária do homem, são reflexo da auto-expressão humana, da dinâmica de seus sentimentos e pensamentos. Quando as coisas vão mal, o mioshiê pode ser solicitado ao mestre da PL numa sessão de orientação individual.

Enquanto o mioshiê é particular e só diz respeito àquele adepto em questão, os 21 Preceitos em seu todo consistem num mioshiê "geral", caminho da felicidade do homem concedido para toda a humanidade.

Os 21 preceitos são a síntese da doutrina peelista e todos os demais ensinamentos e práticas religiosas deles derivam. Foram concedidos por Deus ao 2º Fundador, Tokuchika Miki, na madrugada de 29 de setembro de 1946[19] .

Estes preceitos são diferentes dos 21 anteriores[20] , quando a PL se chamava Hito-no-miti, "Caminho do homem", antes da 2ª Guerra Mundial, na época do 1º Fundador, Tokuharu Miki, pai do 2º Fundador e avô do atual Patriarca da PL.

Por isso, diz-se que na PL há um fundador a cada geração, que através da orientação divina, dá forma aos ensinamentos, conforme as necessidades da época.

São eles[21] [22] :

  • 1. Vida é Arte.
  • 2. A vida do homem é auto-expressão.
  • 3. O Eu é a manifestação de Deus.
  • 4. Há sofrimento se não se expressar.
  • 5. Ao se deixar levar pela emoção perde-se o Eu.
  • 6. Você existe na ausência do ego.
  • 7. Tudo existe em relatividade.
  • 8. Viva radiante como o sol.
  • 9. Todos os homens são iguais.
  • 10. Felicite a si e aos outros
  • 11. Faça tudo confiando em Deus [23] .
  • 12. Há uma função conforme o nome.
  • 13. Há um caminho para o homem e um para a mulher.
  • 14. Tudo é e existe para a Paz Mundial.
  • 15. Tudo é espelho.
  • 16. Tudo progride e se desenvolve.
  • 17. Capte o ponto central.
  • 18. Postamo-nos sempre na bifurcação entre o bem e o mal.
  • 19. Agir ao perceber.
  • 20. Viva no estado da perfeita união material-espiritual.
  • 21. Viva na verdadeira liberdade.

Práticas Cotidianas - a doutrina peelista em ação[editar | editar código-fonte]

A PL tem seu enfoque na prática diária. Na vida cotidiana do adepto, deve haver uma verdadeira reinterpretação de seus sentimentos, na forma como expressa suas emoções e pensamentos. Tal auto-expressão se dá através dos cinco atos básicos: ver, ouvir, pensar, falar e fazer. "Os problemas na vida surgem, quando nossa expressão está distorcida, não ouvimos, não falamos, não fazemos, não vemos, nem pensamos da forma correta."[24] O homem não tem o controle sobre os resultados de suas ações; por mais que deseje e se esforce e faça planejamentos, inúmeros fatores exteriores e interiores a sua pessoa concorrem para alterar tais resultados, independentemente de sua vontade. A isso, denomina-se na PL de estar "à mercê das Obras Divinas". Assim, cabe a ele, com espírito de humildade, orar a Deus fazendo shikiri para alcançar os melhores resultados.

São práticas comuns:

  • 1. o pedido de perdão a Deus pela oração, ao perceber suas falhas;
  • 2. o agradecimento, tanto às pessoas, como a Deus, pelos fatos diários, tanto bons como maus;
  • 3. o "oferecimento espontâneo" (espírito de missassaguê), onde o adepto procura fazer em suas tarefas diárias, além do que seria exigido no senso comum, para que assim consiga uma verdadeira "obra de arte" nas mínimas coisas;
  • 4. a auto-reflexão baseada no Mioshiê, para adequar sua expressão e torná-la positiva e harmoniosa para si e para os outros;
  • 5. as preces matinal e da noite, onde, ao orar a Oração da PL, o adepto declara em síntese, toda a doutrina, perante o Omitamá( ver foto ), ou o Aramitamá, "oratório", com o fim de incorporar os ensinamentos e torná-los sua referência ética;
  • 6. a busca da felicidade e harmonia do adepto e de seu próximo, como ensina o 10º preceito.
  • 7. a interpretação de fatos desagradáveis como "espelho", reflexo do comportamento emocional-espiritual inadequado do adepto; o auto-aprimoramento dá-se então pela prática dos ensinamentos, buscando a "mudança de sentimento" pela eliminação de seu ego.

Principais datas religiosas[editar | editar código-fonte]

  • 1º de Janeiro - Cerimônia de Ano-Novo;
  • dia 1 de cada mês - Cerimônia do Dia da Paz;
  • dia 11 de cada mês - Cerimônia do Dia dos Antepassados;
  • dia 21 de cada mês - Cerimônia do Dia do Agradecimento; cerimônia mensal de maior importância para a PL Kyodan;
  • 1º de agosto - Cerimônia de Kyosso-sai.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • BACH, Marcus. A força da Perfeita Liberdade, 1ª ed. São Paulo: Bloch Editores, 1972.
  • ESTUDOS DOUTRINÁRIOS, Departamento de. Orientação para a Prática das Instruções para a Vida Religiosa PL. (Traduzido de "PL Shinkô Seikatsu Kokoroe Kaisetsu"). São Paulo: Editora Vida Artística, 2000.
  • MIKI, Tokuchika. Meu Pai, Kyosso-Samá. (Compilação dos diários do II Fundador). São Paulo, 2003.
  • ______. Vença desapegando-se. São Paulo: Editora Vida Artística, 1994.
  • ______. Vida é Arte, 1ª ed.. São Paulo: Editora Vida Artística, 1979.
  • <<Oshieoyá-samá no Brasil>>, Revista comemorativa de 40 anos da PL no Brasil. São Paulo: Editora Vida Artística, 1998.
  • <<PL, Revista para a Paz Mundial>>. São Paulo: Editora Vida Artística, 2003.
  • TANIDA, Kaor. Você ainda pode e deve ser feliz, 1ª ed. São Paulo: Editora Raízes, 2001.
  • Vida, isto é arte. (Traduzido de "Jinsei, Kore Geijutsu"). São Paulo: Editora Vida Artística, 2003.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Novas Religiões Japonesas[editar | editar código-fonte]

Conceitos afins[editar | editar código-fonte]

Discussão decorrente[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. nome oficial da religião no Japão, por extenso, conforme a Encyclopaedia Britannica
  2. Nome oficial da religião no Brasil.
  3. O termo Mioyaookami, traduzido de forma simplificada como "Deus", entre outros termos peelistas, tem sua origem no vocabulário xintoísta; veja Basic Terms of Shinto
  4. kyodan: organização religiosa; cf. dicionário inglês-japonês
  5. Observe-se as explicações que se seguem durante este texto, sobre a etmologia dos termos japoneses empregados pela Instituição.
  6. Conforme o Livro de Orações PL
  7. Obra-divina: "tudo aquilo que surge neste mundo"; cf. Seminário de Mestres do Brasil, Caderno de Estudos - (nº2)Obra Divina, Reverendo Kaor Tanida, 2003, p.01
  8. (a)Shikiri: divisão, linha divisória, limites, compartimento; cf. dicionário inglês-japonês ; (b)segundo tradução de Mestre da PL, refere-se às divisórias utilizadas no interior das casas na tradicional arquitetura japonesa. (c)O ato de orar na PL, "fazer shikiri", como é dito na PL. Em relação a Oshieoyá-Samá, diz-se " o Shikiri de Oshieoyá-Samá ", ou seja, sua bênção presente em toda a Instituição, sua força espiritual que se traduz em seu poder de cura e de orientação. (d)A linha divisória traçada no tatame de sumô.
  9. cf. Vida, isto é arte. Traduzido de "Jinsei, Kore Geijutsu". São Paulo: Editora Vida Artística, 2003, p.136 a 141.
  10. Oshieoyá-samá no Brasil. Revista comemorativa de 40 anos da PL no Brasil. São Paulo: Editora Vida Artística, 1998, p.15.
  11. cf. Seminário de Mestres do Brasil, Caderno de Estudos - (nº1)Deus e (nº2)Obra Divina, Reverendo Kaor Tanida, 2003.
  12. Conforme a "Declaração do peelista", constante no Livro de Orações PL.
  13. Kyosso: fundador de seita religiosa; cf. dicionário inglês-japonês
  14. Vida, isto é arte. (Traduzido de "Jinsei, Kore Geijutsu"). São Paulo: Editora Vida Artística, 2003, p.46. Conforme o diálogo de Tokuchika Miki com Tokuharu Miki, quando este lhe cedia a posição de líder espiritual da então religião Hito-no-miti, antecessora da PL Kyodan: "- Eu nada sei. -Eu cedo o cargo porque você compreendeu que nada sabe."
  15. oshiê:confrontar com dicionário inglês-japonês
  16. Termo empregado na corrente do Budismo Terra Pura; GLOSSARY OF BUDDHIST TERMS
  17. oyá:IDEM (confrontar com dicionário inglês-japonês)
  18. Oshieoyá-samá no Brasil, Revista comemorativa de 40 anos da PL no Brasil. São Paulo: Editora Vida Artística, 1998, p.4.
  19. Vida, isto é arte. Traduzido de "Jinsei, Kore Geijutsu". São Paulo: Editora Vida Artística, 2003,p.103 a 110.
  20. jinkun: confrontar com dicionário inglês-japonês
  21. Extraído do Livro de Orações PL.
  22. (A) preceito (pre.cei.to) sm (lat praeceptu) 1) Ordem ou mandamento; prescrição. 2) O que é recomendado como regra e ensinamento. 3) Determinação, norma, guia para qualquer procedimento. 4) Disposição, doutrina, instrução. 5) Cláusula, condição. sm pl Folc Reg (Nordeste) Conjunto de tabus religiosamente respeitados pelos cangaceiros. P. cominatório: o mesmo que interdito proibitório. Preceitos do decálogo: os mandamentos da lei de Deus. A preceito: com todas as regras, minuciosamente. (B) aforismo (a.fo.ris.mo) sm (gr aphorismós) 1) Máxima ou sentença que em poucas palavras contém uma regra ou um princípio de grande alcance. 2) Dito sentencioso. Cf aforisma (C) máxima (má.xi.ma) (ss) sf (lat maxima) 1) Axioma, brocardo, conceito. 2) Sentença moral. 3) Princípio geralmente admitido em qualquer arte ou ciência. 4) Nota musical, com o valor de oito semibreves. (D) norma (nor.ma) sf (lat norma) 1) Preceito, regra, teor. 2) Exemplo, modelo. 3) Regra de procedimento, teor de vida. 4) Bot O mesmo que escumilha. (E) ensinamento (en.si.na.men.to) sm (ensinar+mento2) 1) Ato ou efeito de ensinar. 2) Doutrina, preceito. Var: ensinação. - MICHAELIS, Moderno Dicionário da Língua Portuguesa - Editora Melhoramentos Ltda., 2007.
  23. Existem vários textos correntes com a versão "Faça tudo confiando em Deus.", porém uma tradução ideogramática mais abrangente e precisa seria "Faça tudo baseando-se em Deus.", conforme tradução de Revdo. Mestre da PL. Confrontar com Vida, isto é arte. Traduzido de "Jinsei, Kore Geijutsu". São Paulo: Editora Vida Artística, 2003, p.138 a 140.
  24. Tanida, Kaor - Você ainda pode e deve ser feliz, 1ª ed. São Paulo: Editora Raízes, 2001, p.95.