Polícia Militar de Santa Catarina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de PMSC)
Ir para: navegação, pesquisa
Polícia Militar de Santa Catarina
Brasão PMSC.PNG
Brasão da PMSC
País  Brasil
Estado  Santa Catarina
Subordinação Secretaria de Estado de Segurança Pública
Missão Segurança Pública
Sigla PMSC
Criação 5 de maio de 1835
Aniversários 05 de Maio
Patrono Feliciano Nunes Pires
Marcha Canção da PMSC
Cores Vermelho e Verde
História
Guerras/batalhas Guerra dos Farrapos
Guerra do Paraguai
Revolução Federalista
Guerra do Contestado
Revolução de 1924
Revolução de 1930
Revolução de 1932
Logística
Efetivo 11.300 PM
Comando
Comandante Coronel PM Valdemir Cabral
Comandantes
notáveis
Coronel Pedro Lopes Viera
Coronel Antonio de Lara Ribas
Sede
Guarnição Florianópolis
Endereço Rua Visconde Ouro Preto, 549, Centro, Florianópolis/SC

A Polícia Militar do Estado de Santa Catarina - PMSC tem por função primordial a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública catarinense, sendo uma das forças militares deste estado brasileiro.

Para fins de organização é uma força auxiliar e reserva do Exército Brasileiro, assim como suas co-irmãs e integra o Sistema de Segurança Pública e Defesa Social brasileiro e está subordinada ao Governo do Estado de Santa Catarina através da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa do Cidadão (SESSPDC).

Seus integrantes são denominados militares estaduais (artigo 42 da CRFB), assim como os membros do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC).

Histórico[editar | editar código-fonte]

Os primórdios

A Polícia Militar de Santa Catarina foi criada quando o Brasil tinha apenas 13 anos de idade como nação independente e a população de Nossa Senhora do Desterro - hoje Florianópolis - em sua maioria ainda andava descalça ou, no máximo, usava tamancos.

A Força Policial, como se chamava então, embora nascendo numa província muito atrasada em relação a outras do País teve, desde o início, uma importância maior. Afinal, a costa catarinense - principalmente a Ilha de Santa Catarina - era considerada ponto estratégico militar, quando todas as nações tinham interesses dirigidos para a América do Sul.

Essa era, portanto, a situação da Vila de Nossa Senhora do Desterro, quando Feliciano Nunes Pires, presidente da província, criou a Força Policial, em maio de 1835.

A Corporação enfrentou sérias dificuldades já durante os seus primeiros anos. Além do pequeno efetivo e da falta de verbas, a Corporação era obrigada, também, a defender as comunidades próximas dos constantes ataques dos índios e a preservar a segurança do patrimônio dos cidadãos.

A eclosão da Revolução Farroupilha, em Laguna e Lages, exigiu o aumento do contingente, diante da possibilidade muito séria de também a Capital ser invadida pelas tropas gaúchas dos Farrapos. Era o episódio heróico de Anita e Giuseppe Garibaldi visto pelo outro lado - o monarquista.

Em 1860, os relatórios chamavam a atenção para a inexistência de um Quartel para a Força Pública, que tinha a sua apertada sede numa das salas térreas do Palácio do Governo, na praça principal do povoado.

A Guerra contra o Paraguai[editar | editar código-fonte]

Cinco anos depois, o Brasil estava no auge da guerra contra o Paraguai e - como aconteceu em todas as províncias - a de Santa Catarina também forneceu homens para lutar ao lado dos exércitos argentino e uruguaio.

Polícia Militar de Santa Catarina, 1928.

Corria o ano de 1888, quando a Força Policial se viu obrigada a mudar a sua sede. O local escolhido foi o chamado Mato Grosso, no prédio onde funcionou o Liceu Normal Literário e onde está até hoje. Isso, apesar dos gritos da imprensa e dos deputados provínciais, pelo fato da Força Policial estar deixando o centro do povoado e mudando-se para os arrabaldes.

Ao longo de todo esse tempo, a Polícia Militar atravessou vários períodos marcantes, desde a Proclamação da República. Durante as revoluções de 1924 e 1930 - numa tentativa de dificultar a invasão da ilha onde se encontra a capital pelas tropas lideradas por Getúlio Vargas - retirou todas as tábuas do piso da Ponte Hercílio Luz, que liga a ilha ao continente.

Os dias de hoje[editar | editar código-fonte]

Helicóptero da PMSC em Ilhota

Atualmente, 175 anos depois, a Polícia Militar é presença em todo o território catarinense, contribuindo, efetivamente, não só para a segurança, como para a preservação da cultura e das tradições de Santa Catarina. É considerada uma corporação modelo, modernizando-se nas ações de prevenção, segurança e proteção à comunidade catarinense.

À violência do mundo moderno, contrapõe com a implantação de uma filosofia envolvente, onde a cidadania é o lema, e a qualidade de vida do povo catarinense a grande meta.

Organizações Policiais Militares[editar | editar código-fonte]

Unidades de policiamento de área

Comando de Polícia Militar Especializada- Florianópolis

Batalhão de Aviação da Políca Militar - BAPM - Florianópolis
Batalhão de Polícia Militar Ambiental - BPMA - Florianópolis
Batalhão de Polícia Militar Rodoviária - BPMRv - Florianópolis
Batalhão de Ajuda Humanitária - BAH - Florianópolis (ativado somente em situações extraordinárias e com efetivo formado por elementos especializados de todas as OPM)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal
A Wikipédia possui o
Portal da Segurança do Brasil