POST

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O primeiro estágio de um típico POST.

POST (Power on self test, que em português é algo como "Auto-teste de inicialização") é uma sequência de testes ao hardware de um computador, realizada pelo BIOS, responsável por verificar preliminarmente se o sistema se encontra em estado operacional.[1] Se for detectado algum problema durante o POST a BIOS emite uma certa sequência de bips sonoros, que podem mudar de acordo com o fabricante da placa-mãe. É o primeiro passo de um processo mais abrangente designado IPL (Initial Program Loading), booting ou bootstrapping.

Alguns dos testes do POST incluem:

  1. Identificação da configuração instalada;
  2. Inicialização de todos os dispositivos periféricos de apoio da placa-mãe;
  3. Inicialização da placa de vídeo;
  4. Teste de memória, teclado;
  5. Carregamento do sistema operacional para memória;
  6. Entrega do controle do microprocessador ao sistema operacional.

Como funciona o POST[editar | editar código-fonte]

2º Estágio de um POST.
  1. Quando ligamos o PC um sinal elétrico percorre um caminho programado até a CPU, passando pela placa-mãe (motherboard). A CPU encontra e ativa o programa de inicialização na BIOS da ROM. O qual conduz o POST (Power ON Self Test).
  2. A CPU então ativa o programa de inicialização do sistema básico de entrada e saída (BIOS) do PC que inicia uma série de testes de verificação do sistema. O Chamado POST.
  3. A CPU, comandada pelo POST, faz um teste de si mesma e do próprio programa POST.
  4. A CPU envia sinais através do sistema de barramentos BUS, o circuito onde todos os componentes se acoplam e verifica se estão funcionando.
  5. A CPU testa então a memória da placa de vídeo e os sinais de vídeo que controlam o monitor. O BIOS da placa de vídeo passa a fazer parte do BIOS total do sistema e da configuração da memória.
  6. Em seguida testa os chips da memória RAM. São gravados dados em cada chip e depois é lido cada byte enviado. A comparação do que é enviado e gravado na RAM e o que é lido é feito para certificar que a memória funciona corretamente.
  7. A CPU verifica se o teclado está conectado corretamente. Se houver algum curto-circuito ou tecla pressionada é enviada uma mensagem de erro.
  8. O POST envia sinais até os discos através de barramentos específicos. A resposta aos sinais indica quais drives estão disponíveis.
  9. Os resultados obtidos nos testes são confrontados com os dados gravados na CMOS. Que é onde ficam armazenadas as informações oficiais dos dispositivos instalados. Quaisquer modificações devem ser atualizadas na CMOS através do programa Setup.
  10. Algumas placas de expansão, como algumas controladoras de disco, contêm seus próprios BIOS, os quais são reconhecidos e passarão a fazer parte do BIOS do sistema e da configuração da memória. O boot passará para a fase de carregamento do Sistema Operacional. Ele é enviado para a memória RAM e passa a comandar as operações da máquina. Nessa fase o Sistema Operacional tem o controle do microprocessador.
  11. Além de detectar o hardware instalado, a função do POST é verificar se tudo está funcionando corretamente. Caso seja detectado algum problema em um componente vital para o funcionamento do sistema, como as memórias, processador ou placa de vídeo, o BIOS emitirá uma certa sequência de bips sonoros, alertando sobre o problema. Problemas menores, como conflitos de endereços, problemas com o teclado, ou falhas do disco rígido serão mostrados na forma de mensagens na tela.

Bips[editar | editar código-fonte]

O código de bips varia de acordo com a marca do BIOS (Award ou AMI, por exemplo) podendo também haver pequenas mudanças de uma placa mãe para outra. Geralmente, o manual da placa mãe traz uma tabela com as sequências de bips usadas. As instruções a seguir servem como referência:

  • bip curto – POST Normal - sistema esta ok.
  • 2 bips curto – erro no POST – um código de erro é mostrado na tela.
  • Não bip – fonte de alimentação, sistema com problema, CPU desconectada, ou som desconectado.
  • Bip Contínuo – fonte de alimentação, sistema, ou problema no teclado.
  • Repetidos bips curtos – fonte de alimentação ou problema no sistema ou no teclado.
  • 1 longo bip, 1curto bip – sistema com problema.
  • 1 bip longo, 2 bips curtos – adaptador de vídeo com problema;
  • 3 Bips longos: Falha nos primeiros 64 KB da memória RAM (Base 64k memory failure) Foi detectado um problema grave nos primeiros 64 KB da memória RAM.
  • 4 Bips Longos: Timer não operacional: O Timer 1 não está operacional ou não está conseguindo encontrar a memória RAM.
  • 5 Bips: Erro no processador.
  • 7 Bips: Processor exception (interrupt error): o processador gera uma interrupção
  • 8 Bips: Erro na memória da placa de vídeo (display memory error).
  • 9 Bips: Erro na memória ROM (ROM checksum error).

Referências

  1. BIOS Power-On Self Test (POST). www.pcguide.com. Página visitada em 29 de Janeiro de 2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.