PPI Motorsports

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde julho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

PPI Motorsports foi uma equipe norte-americana de automobilismo que disputou provas da extinta CART (Champ Car) e da Nascar, fundada por Cal Wells em 1979. A sigla da escuderia vem de Precision Preparation, Inc, de propriedade do mesmo Wells.

CART[editar | editar código-fonte]

Inicialmente a PPI competiu em provas de off-road nos EUA, migrando para as corridas de monopostos alguns anos depois.

Em 1995, as relações da PPI com a Toyota garantiram que Cal Wells formasse sua equipe na CART em parceria com o vinicultor Frank Arciero, com o nome de Arciero-Wells Racing, tendo como piloto o japonês Hiro Matsushita e o patrocínio da Panasonic. Seu melhor resultado no ano foi um décimo lugar de Matsushita nas 500 Milhas de Indianápolis.

No ano seguinte, a Arciero-Wells seguiu com Matsushita e o norte-americano Jeff Krosnoff, tendo novamente um décimo lugar como melhor posição de chegada, no GP de Surfers Paradise, na Austrália, marcando três pontos na classificação. A morte de Krosnoff no GP de Toronto, após um violento acidente com o sueco Stefan Johansson quando faltavam três voltas para o final da prova, abalou a equipe, que contratou o italiano Massimiliano Papis para o lugar do norte-americano.

Novamente com "King Hiro" e Papis para 1997, a Arciero-Wells marcou doze pontos (oito para o italiano, quatro para o japonês), com um oitavo lugar de Papis como melhor desempenho no campeonato. Em 1998, o italiano marca 25 pontos (melhor resultado: quinto lugar em Laguna Seca), enquanto Matsushita não pontua e se despede da CART após a Rio 400. Para o lugar do japonês, a equipe contrata Robby Gordon, que competia na Nascar, e ele marca treze pontos, ficando na vigésima-terceira posição na classificação geral,

Para 1999, a equipe muda a dupla de pilotos: Gordon é substituído por Scott Pruett (ex-Patrick Racing) e Papis, de mudança para a Rahal, sucedido pelo brasileiro Cristiano da Matta. A dupla, com um desempenho razoável, garante à equipe sua maior pontuação na CART, com 60 pontos. Cristiano da Matta marcaria 32 pontos (conquistando ainda o prêmio de rookie do ano), contra 28 de Pruett, que deixaria a categoria para disputar a Nascar em 2000.

Em 2000, o brasileiro passaria a ser o principal piloto do time, agora rebatizado com o nome original depois da saída de Frank Arciero da associação com Cal Wells. No lugar de Pruett, o espanhol Oriol Servià foi contratado. A temporada foi marcante para a PPI, que conquistaria seus melhores resultados na CART (três quartos lugares, dois terceiros e a primeira vitória, com Cristiano da Matta, no GP de Chicago). No final da temporada, Cal Wells retira sua equipe e migra para a Nascar.

Nascar[editar | editar código-fonte]

Entre 2000 e 2006, a PPI disputou provas da Nascar, tendo como pilotos Scott Pruett (2000), Andy Houston (2000-01), Ricky Craven (2001-04), Bobby Hamilton, Jr. (2004-05), Ron Fellows (2005-06), que disputou apenas corridas nos circuitos mistos, e Travis Knapil, em 2006, último ano do time na categoria. Sem patrocínio para 2007, a PPI fechou suas portas.

Pilotos[editar | editar código-fonte]

CART[editar | editar código-fonte]

Nascar[editar | editar código-fonte]

Links[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.