Faculdade de Medicina de Sorocaba (PUC-SP)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de PUC-Sorocaba)
Ir para: navegação, pesquisa
PUC-SP
Faculdade de Medicina de Sorocaba
Lema Sapientia et Augebitur Scientia
(Sabedoria e conhecimento aprimorado)
Fundação 1950
Tipo de instituição Privada
Afiliações Federação Internacional de Universidades Católicas
Página oficial http://www.pucsp.br/medicina
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Faculdade de Medicina de Sorocaba é o nome original da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (FCMS-PUC). Ela é a unidade da PUC-SP dedicada ao ensino e pesquisa na área da saúde. A FCMS-PUC conta com três cursos de graduação (Medicina, Enfermagem e Ciências Biológicas), programas de residência médica e de aprimoramento de estudos, mestrado profissional sobre "Educação para as profissões da saúde" e cursos de extensão.

A Faculdade de Medicina de Sorocaba foi fundada em 14 de abril de 1950.[1] Naquela época existiam 13 escolas de medicina no Brasil, sendo duas no estado de São Paulo: USP, de 1913 e a Escola Paulista de Medicina, de 1933. Portanto, Sorocaba foi a terceira em funcionamento no estado e a primeira no interior do Brasil.

As atividades práticas são realizadas na rede municipal de saúde, no Centro de Saúde-Escola, no Ambulatório Geral e de Especialidades e no Conjunto Hospitalar de Sorocaba constituído de 3 hospitais dentro do campus (Hospital Santa Lucinda da PUC-SP com 132 leitos e Hospitais Regional e Leonor Mendes de Barros com 400 leitos, ambos do Estado) onde são realizados procedimentos médicos de alta complexidade como cirurgia bariátrica, neurocirurgias, transplantes renal e de córnea.

A PUC-SP possui mais de 20 cursos de residência médica. Em 2011, 2012, 2013 e 2014 todos os residentes de ortopedia foram aprovados no exame de título de especialista da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).[2] De todos os participantes, em média 20% são reprovados. Em 17 anos de residência de ortopedia da PUC, a reprovação foi menor que 2% entre 120 formandos.[3]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em 2006, a PUC ganhou o Prêmio Saúde Brasil,[4] um dos mais importantes da área médica no País. O projeto vencedor foi "Diagnóstico e Intervenção na Comunidade de Vila Sabiá através do Módulo Curricular de Prática em Atenção à Saúde". Criado há 15 anos e reconhecido internacionalmente, o Projeto Saúde Brasil se baseia na premissa de comunicação ética e de responsabilidade social em programas de educação em saúde, meio ambiente e cidadania.

Em 2010, a ação de desenvolvimento de Protocolos de Atendimento e Encaminhamento em Saúde Mental para UBS (unidade básica de saúde) ganhou o 2º Lugar no Prêmio Doutor Cidadão promovido pela Associação Paulista de Medicina (APM).[5] A equipe formada por 12 alunos do 4º ano de medicina e coordenada pelo professor Reinaldo Gianini criou o protocolo e o implantou na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Vitória Régia, reduzindo de 2 anos para 2 dias o tempo de espera dos pacientes por consulta com um psiquiatra. As pesquisas feitas pelos estudantes apontaram que o atendimento em saúde mental naquela unidade de saúde era o mais demorado. Então montaram critérios para que avaliação pudesse ser feita por clínicos gerais e apenas os casos graves fossem encaminhados para um psiquiatra. Isso diminuiu a fila de espera desses pacientes.[6]

Em 2010, o serviço de Cirurgia Plástica da PUC recebeu três importantes prêmios nacionais. Um no 7º Congresso Brasileiro de Queimaduras e os outros dois no 47º Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica. Destinado aos melhores trabalhos científicos apresentados por médicos residentes no Congresso Brasileiro de Queimaduras, o prêmio “Germano Riquet”, foi conferido à equipe pelos resultados em um tratamento de queimaduras da face, no Conjunto Hospitalar de Sorocaba. O tratamento foi realizado na unidade de queimados do CHS, em uma mulher de aproximadamente 30 anos, que teve a face gravemente queimada e deformada pelo fogo, enquanto trabalhava. O caso foi acompanhado e tratado no CHS durante seis anos e levou diversos procedimentos, como enxerto de pele e de sobrancelha, além de expansor do couro cabeludo - para reparar as sequelas da queimadura.[7]

Intercâmbios[editar | editar código-fonte]

Estudantes do quinto ano podem escolher em qual hospital vão realizar o estágio curricular obrigatório, também conhecido como estágio eletivo. Esses alunos podem optar entre hospitais renomados como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Emílio Ribas e Unimed de Sorocaba. Outra alternativa é estagiar em hospitais franceses como o Saint-Philibert e Saint-Vincent da Faculté Libre de Médecine da Université Catholique de Lille.

Graças ao Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G) - também conhecido como "convênio Itamaraty" - todos os anos estudantes estrangeiros (com prioridade para as nações de língua portuguesa) vêm ao Brasil cursar Medicina na PUC-SP. Nos últimos anos, foram recebidos graduandos de Angola, Cabo Verde, Moçambique, Gana, Equador, etc. Em toda a universidade, são 62 bolsas custeadas integralmente pela PUC-SP.

Professores ilustres (em exercício)[editar | editar código-fonte]

  • Ana Freitas Ribeiro - Diretora Técnica do Centro de Vigilância Epidemiológica da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Revisora do Boletim Epidemiológico Paulista.
  • Cibele Isaac Saad Rodrigues - Coordenadora do Departamento de Hipertensão da Sociedade Brasileira de Nefrologia. Membro do Conselho Científico da Sociedade Brasileira de Hipertensão. Diretora da Regional Sorocaba da Sociedade Paulista de Clínica Médica. Revisora do Jornal Brasileiro de Nefrologia, SciELO, LILACS e Nephrology Dialysis Transplantation. Participação na organização das Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, nas Diretrizes de MAPA e MRPA e nos Guidelines Internacionais de Hipertensão Arterial na Doença Renal Crônica do KDIGO - Kidney Diseases Improving Global Outcomes. Mestre e Doutora em Nefrologia (Hipertensão Arterial) UNIFESP.
  • Edie Benedito Caetano – Em 2009 foi indicado pelo ranking do anuário "Análise-Saúde" como um dos mais admirados por colegas brasileiros na sua especialidade. Autor de dezenas de trabalhos sobre Anatomia e Microcirurgia do Membro Superior. Editor da Acta Ortopédica Brasileira.
  • Fernando Antonio de Almeida – Pós-doutorado na Cornell University Medical College (New York) EUA. Consultor ad-hoc do CNPq. Editor do São Paulo Medical Journal, Revista Brasileira de Hipertensão e Jornal Brasileiro de Nefrologia.
  • José Eduardo Martinez - Em 2009 foi indicado pelo ranking do anuário "Análise-Saúde" como um dos mais admirados por colegas brasileiros na sua especialidade. Realiza pesquisas na área de Dor Crônica. Revisor da Revista Brasileira de Reumatologia, Journal of Musculoskeletal Pain e Scandinavian Journal of Rheumatology.
  • Maria Carolina Loureiro - Mestrado em Neurociências pela Université de Paris-Sud XI e pela USP. Mestrado Profissional Internacional em Doenças Neurovasculares obtido na Université de Paris-Sud XI. Especialização em Neurorradiologia Intervencionista na Fondation Rothschild, Paris, França (Serviço do Prof. Jacques Moret) de 2005 a 2009.
  • Rosana Maria Paiva dos Anjos - Coordenadora do Nucleo Epidemiologia Hospitalar no Conjunto Hospitalar de Sorocaba, aonde é Presidente da Comissão de Revisão de Óbitos Hospitalares e Coordenadora do Núcleo de Atendimento Imediato às Vitimas de Violência Sexual. Revisora da Revista Brasileira de Educação Médica. Foi a primeira médica no Brasil a receitar o coquetel do HIV para uma criança, então só indicado a adultos. A Secretaria de Saúde de São Paulo rejeitou a decisão. Para salvar sua pequena paciente, Rosana precisou recorrer à Justiça. E venceu. Hoje, 12 anos depois, a menina tem carga viral indetectável e virou símbolo da luta contra a doença.[8]

Ex-alunos notáveis[editar | editar código-fonte]

  • Osmar de Oliveira - Ortopedista e Jornalista do "Jogo Aberto" da Band. Trabalhou no Sport Club Corinthians Paulista, Comitê Olímpico Brasileiro e Seleção Brasileira de Basquete.
  • Albertina Duarte Takeuti - Professora e Chefe do Ambulatório de Ginecologia da Adolescente da FMUSP. Coordenadora do Programa Saúde do Adolescente da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Consultora da OMS e da Organização Pan-americana de Saúde para assuntos da Adolescência.
  • José Ben-Hur de Escobar Ferraz Neto - Em 2009 foi indicado pelo ranking do anuário "Análise-Saúde" como um dos mais admirados por colegas brasileiros na sua especialidade. Livre Docente pela USP. É responsável pelo Programa de Transplantes de Órgãos do Hospital Israelita Albert Einstein. Editor da Revista do Einstein, Jornal Brasileiro de Transplantes, Arquivos Brasileiros de Gastroenterologia e Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva.
  • Moisés Cohen - Chefe do Setor de Traumatologia do Esporte e Supervisor da Residência Médica em Medicina Esportiva do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da UNIFESP.
  • Caio Rosenthal - Professor de Infectologia da USP e do Instituto Emílio Ribas. Conselheiro do CREMESP.
  • Abrão Rapoport - Diretor Técnico do Hospital Heliópolis. Livre-docente em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela USP.
  • Carlos de Barros Mott - Uma das maiores autoridades em pâncreas do país. Gastroenterologista clínico do Hospital Sírio-Libanês e Professor Livre Docente da FMUSP. Citado na Veja SP "Os médicos que os médicos indicam".
  • Mário Luiz Silva Barbosa - Clínico Geral do Hospital Sírio-Libanês. Citado na Veja SP "Os médicos que os médicos indicam".
  • Gilberto Luis Camanho - Professor e Chefe do Corpo Clínico do Instituto de Ortopedia e Traumatologia da FMUSP. Citado na Veja SP "Os médicos que os médicos indicam".[9]
  • Ayrton Roberto Pastore - Coordenador do Setor de Ultrassonografia do Ambulatório de Ginecologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Autor do livro “Ultrassonografia em Ginecologia e Obstetrícia”.
  • Henri Friedhofer - Supervisor da Divisão de Cirurgia Plástica e Queimaduras do HCFMUSP. Professor da Pós-graduação Strictu Sensu (Mestrado e Doutorado) em Cirurgia Plástica da FMUSP. Diretor da Seção Paulista de Cirurgia Plástica do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Chefe da Equipe de Emergência em Cirurgia Plástica do Pronto Atendimento do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Diltor Vladimir Araujo Opromolla - Pesquisador Emérito do Instituto Lauro de Souza Lima de Bauru. Em 2004, recebeu homenagem do Ministério da Saúde pela contribuição dada ao País e ao mundo para a descoberta da cura da hanseníase.
  • José Renan Queiroz Guimarães - Oncologista Clínico do Hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo. Autor do Manual de Oncologia.
  • Ari Timerman - Presidente da SOCESP 2008/2009 (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo). Chefe da Seção de Emergências do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. Professor da FMUSP.
  • Sérgio Kobayashi - Coordenador do Setor de Medicina Fetal do Hospital Sírio-Libanês. Professor da FMUSP. Chefe da Equipe de Plantão do Pronto Atendimento de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital São Paulo/UNIFESP. Médico do Setor de Medicina Fetal do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Marcos Boulos - Diretor da FMUSP 2007/2010. Professor Livre Docente Titular do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da FMUSP.
  • Nabil Ghorayeb - Chefe da Seção Médica CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. Coordenador do Departamento de Sport Check-up do Hospital do Coração (HCor).Criou o GE de CardioEsporte da Soc Bras de Cardiologia , Ex- diretor científico 2012/3 e Presidente 2014/5 do DERC - Dpto de Exercício/Esporte e Reabilitação da Soc Bras de Cardiologia; Editor Geral do Jornal da Soc Bras de Cardiologia, Autor de 4 livros de Medicina, recebeu o premio Jabuti de literatura de 2000. Colunista semanal do GloboEsporte - EUATLETA.COM e consultor médico das radios Jovem Pan e da Band.Delegado do CREMESP
  • Maria Cristina Chammas - Diretora do Serviço de Ultra-Sonografia do Instituto de Radiologia (InRad) do HCFMUSP.
  • Luis Yu - Professor Livre Docente da FMUSP e Supervisor do Serviço de Nefrologia do HCFMUSP. É coordenador geral da Comissão de Residência Médica (COREME) da FMUSP desde 2007.
  • Angelo Scuderi - President da "Union Internationale de Phlebologie(UIP)".
  • José Carlos Riechelmann - Fellow, International College of Psychosomatic Medicine. Presidente (2000-2002), Associação Brasileira de Medicina Psicossomática. Presidente (2010-2012), Associação Médica Brasileira de Sexologia. Diretor Geral (2001-2008), Hospital Municipal Maternidade-Escola de Vila Nova Cachoeirinha "Dr. Mário de Moraes Altenfelder Silva" (São Paulo, SP). Láurea de Administrador Hospitalar Emérito 2007 - Categoria Hospital Público, pela Federação Brasileira de Administradores Hospitalares. Desde 2013 é Diretor do Departamento de Gestão da Assistência (DEGAS-AHM) da Autarquia Hospitalar Municipal de São Paulo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]