Pacajus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pacajus
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 9 de setembro de 1890
Gentílico pacajuense
Prefeito(a) Marcos Roberto Brito Paixão (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Pacajus
Localização de Pacajus no Ceará
Pacajus está localizado em: Brasil
Pacajus
Localização de Pacajus no Brasil
04° 10' 22" S 38° 27' 39" O04° 10' 22" S 38° 27' 39" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Metropolitana de Fortaleza IBGE/2008[1]
Microrregião Pacajus IBGE/2008[1]
Região metropolitana Região Metropolitana de Fortaleza
Municípios limítrofes Norte: Horizonte, Guaiuba, Leste: Cascavel, Sul: Chorozinho, Oeste: Acarape, Barreira.
Distância até a capital 48 km
Características geográficas
Área 254,435 km² [2]
População 61 846 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 243,07 hab./km²
Altitude 60 m
Clima semiárido BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,659 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 514 524,000 mil IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 8 319,43 IBGE/2010[5]
Página oficial

Pacajus é um município brasileiro do estado do Ceará. A distância para Fortaleza é de 51,1 km. A via de acesso para a capital é a BR-116. Localiza-se na Região Metropolitana de Fortaleza

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Pacajus tem origem na tribos Tapuia dos Jaracu, ou Paiacu, que habitavam a região. Sua denominação original era Guarani, depois Missão dos Paiacu, Monte-Mor, Monte-Mor-o-velho, Guarani e, desde 1943, Pacajus.[6]

História[editar | editar código-fonte]

A região entre às margens do rio Choró e rio Acarape era habitada por índios como os Jenipapo, Kanyndé,[7] Choró e Quesito.[8]

As origens de Pacajus, remontam ao início do século XVIII (provavelmente 1707),[9] quando nestas terras foi instalada a Missão dos Paiacu. A instalação desta missão pelos jesuítas foi possível com a doação de uma légua de terras situadas nas margens do rio Choró, tendo como intermediário o desembargador Cristóvão Soares Reimão. Este reduto teve uma certa configuração urbana, edificando-se casas residenciais e uma capela de taipa e chão batido, admitindo-se como padroeira Nossa Senhora da Conceição.

Com a transferência dos índios para Portalegre, no Rio Grande do Norte em 1762, o local no qual foi construído uma capela de taipa e algumas casas passou a ser sítio Monte-Mor-o-Velho, que teve como administradores dois moradores de Cascavel: o sargento-mor Jerônimo de Antas Ribeiro e o padre José de Sousa.[9]

Através da missão, depois sesmarias e ao redor da Igreja Velha (construída pelos índios no século XIX e que ainda existe) surgiu o núcleo urbano que hoje chama-se Pacajus.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

O relevo é plano e de baixas altitudes, nunca ultrapassando 100 m de altitude. Acidentes Geográficos: Serrotes Salgado, pauliceia e Pascoal.

Clima[editar | editar código-fonte]

Devido sua proximidade com o litoral o clima varia entre tropical quente semi-árido brando e tropical quente subúmido, com pluviometria média anual de 1.277 mm

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

  • Rios: Acarape/Pacoti, Choró, Ererê
  • Riachos: Arerê e do Lagamar
  • Lagoas: Itaipaba, Ipú, Cavalaria, Pauliceia e Pascoal
  • Açudes: Pacoti, Ererê, do Povo, Beiraçude.

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

O município tem três distritos: Pacajus (sede), Itaipaba e Pascoal.[6]

A sede do município é dividida em vários bairros: Aldeia (inclui a localidade do Planalto Popular), Aldeia Parque, Alto da Boa Vista, Banguê I(inclui as localidades de Vila da Mata e Banguê Braz), Banguê II, Buriti (inclui as localidades de Buriti dos Esmeros e Mutuca), Centro, Cumaru, Centro, Coaçu, Croatá I, Croatá II(inclui as localidades de Área Verde e Cipó), Cruz das Almas, Lagoa Seca, Pajeú, Pedra Branca, Planalto Dedé Gama(inclui o Conjunto Cohab).

Principais Ruas e Avenidas[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia de Pacajus tem como base a agricultura (principalmente o cultivo do caju), comércio, industria e turismo.

Pacajus está situado numa das zonas industriais mais dinâmicas do Ceará. Junto com o município vizinho de Horizonte forma um complexo industrial que emprega grande parte da mão de obra destes dois municípios e outros circunvizinhos. O turismo é intenso, devido aos recursos naturais e aos eventos culturais,Pacajus e o maior produtor de caju do mundo e é conhecida como capital do caju.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Eventos culturais significativos são:

  • Dia de São José (19 de março)(No Bairro Banguê I)
  • Dia de Nossa Senhora de Fátima (1 a 31 de maio) (Na comunidade da Lagoa Seca)
  • Festival do Milho (julho)
  • Aniversário de Pacajus(22 para 23 de maio) (SEDE)
  • Vaquejada (setembro)
  • Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (16 de agosto) (data móvel)
  • Festival do Caju (setembro)
  • Dia de São Francisco das Chagas (4 de outubro) (Buriti I)
  • Dia da Padroeira Nossa Senhora da Imaculada Conceição (8 de dezembro) (Paróquia)

Pacajús possui ainda vários grupos de cultura popular, como:

  • Quadrilha Nunes Moraes (extinta)
  • Quadrilha Nação Nordestina
  • Grupo Junino Milho Verde (extinta)
  • Quadrilha Terra do Caju (extinta)
  • Quadrilha Cirandaia (presente)
  • Grupo de Dança e Interpretações Populares Mawaka (extinta)
  • Grupo de Teatro e Dança ESTRELART (extinta)
  • Grupo Teatral Arriégua; (extinta)
  • Grupo Teatral Arpa

Em 2009 a representante do município Khrisley Karlen ganhou o título de Miss Ceará, e ficou em 5º no Miss Brasil. (extinta) Em 2010 a representante do município Kyslla Mello ficou entre as cinco mulheres mais bonitas do estado do Ceará. (extinta)

Política[editar | editar código-fonte]

A administração municipal localiza-se na sede, Pacajus. A camará municipal e composta por 15 vereadores [6]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 09 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 09 set. 2013.
  6. a b c http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/caririacu.pdf
  7. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  8. Aragão, R. B, Indios do Ceará e Topônimios Indiígenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  9. a b http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/pacajus.pdf

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.