Padre (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Priest
Padre (PT/BR)
 Estados Unidos
2011 •  cor •  87 min 
Direção Scott Stewart
Produção Michael DeLuca
Joshua Donen
Mitchell Peck
Roteiro Cory Goodman
Elenco Paul Bettany
Cam Gigandet
Karl Urban
Maggie Q
Lily Collins
Música Christopher Young
Cinematografia Don Burgess
Edição Lisa Zeno Churgin
Companhia(s) produtora(s) Tokyopop
Distribuição Screen Gems
Lançamento Estados Unidos 13 de maio de 2011
Orçamento US$ 60 milhões
Receita US$ 78 309 131[1]
Página no IMDb (em inglês)

Priest (br/pt: Padre) é um filme americano livremente adaptado do manhwa do mesmo nome criado pelo coreano Hyung Min-Woodo. O filme, que une os gêneros de ação, terror e ficção científica, é estrelado por Paul Bettany no papel título.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O mundo foi devastado por uma guerra entre humanos e vampiros que durou séculos. Finalmente os humanos vencem mas o planeta é devastado pela guerra e os humanos sobreviventes são obrigados a viver em cidades muradas sob o controle teocrático de uma entidade chamada de "Igreja" enquanto que os vampiros remanescentes são confinados em "reservas". Neste mundo distópico, um Padre Guerreiro que fora forçado a viver escondido entre os cidadãos comuns recebe a notícia do sequestro da sobrinha por vampiros. Contrariando as ordens da Igreja, que diz não haver ameaça vampírica, o Padre parte em busca de sua familiar, contando com a ajuda do namorado da garota que é o xerife da cidade onde ela morava com seu pai (irmão do Padre) e sua mãe (ex-namorada do Padre, antes deste ser recrutado pela Igreja). Ao saber da empreitada do Padre a Igreja convoca os outros Padres para recuperá-lo vivo ou morto.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Priest teve recepção mista por parte da crítica especializada. Com base em 13 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 41% no Metacritic.

Em avaliações mistas, do New York Daily News, Joe Neumaier disse: "Parece que virar como John Ford/John Wayne do clássico "The Searchers" na aventura igreja contra vampiro, Priest não é uma idéia completamente horrível. Enquanto nós não conseguimos "The Man Who Shot Liberty Valance" como um drama zumbi elegível, esta adaptação de um romance gráfico tem alguma garra."

Do Chicago Reader, J. R. Jones: "Este é levemente divertido pelo seu sacrilégio animador (crucifixos que se transformam em estrelas de jogo, etc), mas uma vez que a premissa foi lançada, o filme é sobre uma surpreendente visão do Rosa-cruz."

Austin Chronicle, Marjorie Baumgarten: "Bettany exala uma intensidade que estabelece as bases para um personagem interessante, mas Priest não tem uma súplica de criar algo mais sutil do que a cruz gigante tatuada em seu rosto."

The Hollywood Reporter, Ray Bennett: "Um curto e severamente parado criado indigestamente com médios efeitos 3D que baseia-se em tantas influências de filmes de faroeste, as aventuras de ação e contos de ficção científica que o que diverte já existe e vem localizado de muitas fontes."[2]

Referências

  1. Priest (2011) Box Office Mojo. Visitado em 25 de maio de 2014.
  2. Priest (em inglês) Metacritic. Visitado em 20 de abril de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.