Palácio de Abdeen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Palácio de Abdeen

O Palácio de Abdeen é um palácio localizado em Cairo, capital do Egito.

Construção[editar | editar código-fonte]

A construção começou em 1863 e continuou durante 10 anos, mas o Palácio foi inaugurado oficialmente em 1874. O Palácio foi construído pelo arquiteto francês Jean-Jacques Rousseau, juntamente com um grande número de decoradores egípcios, italianos e turcos. No entanto, o jardim do palácio foi introduzido em 1921 pelo Sultão Fuad I. O custo da construção do palácio chegou a 700.000 libras egípcias, além de 2 milhões de libras para a sua mobília. Mais dinheiro também foi gasto com a alteração do Palácio, conservação e manutenção por consecutivos governantes. O Palácio inclui 500 quartos.

Otomanos[editar | editar código-fonte]

O palácio foi originalmente construído em terras pertencentes a um fidalgo turco otomano chamado Abdeen Bey. O palácio tornou-se o centro da Corte Real, em vez da cidade de Cairo (que tinha sido o centro de governo egípcio desde a Idade Média), durante o reinado de Fuad I.

Museu[editar | editar código-fonte]

O palácio localizado no distrito de Abdeen, no Cairo Antigo é hoje um museu. Os andares superiores, (a antiga habitação da família real), são reservados para visitas estrangeiras. Os andares mais baixos contém: o Museu de Armas, Museu da Família Real e o Museu dos Presentes Presidênciais. Um novo setor com documentos históricos do Museu foi inaugurado em Janeiro de 2005.

Decoração[editar | editar código-fonte]

O Palácio de Abdeen é considerado um dos mais suntuosos palácios do mundo devido o seu adorno, pinturas, e ao grande número de relógios espalhados pelas salas, a maioria das quais estão decoradas com ouro puro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Palácio de Abdeen