Palácio de St. James

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A entrada do Palácio de St. James, que se mantém intacta desde a edificação por Henrique VIII.

O Palácio de St. James é um dos mais antigos palácios da Inglaterra. Está situado no Pall Mall, a Norte do St. James's Park, em Londres.

História[editar | editar código-fonte]

O Palácio de St. James em 1819.

O palácio foi construído em 1530 por Henrique VIII, no terreno do antigo hospital para leprosos dedicado a Saint James (do qual o palácio e o parque vizinho tomaram o nome); o hospital foi dispensado em 1532. O novo palácio, secundário em relação ao interesse que Henrique VIII dispensava ao Palácio de Whitehall, foi construído em estilo Tudor com tijolos avermelhados, em volta de quatro pátios: a sua portaria sobrevive na face Norte, flanqueada por torretas poligonais.

Tornou-se a principal residência da Monarquia Britânica em 1698, quando o Palácio de Whitehall foi destruído num incêndio, além de tornar-se o centro administrativo da monarquia (papel que ainda exerce hoje). Maria I morreu nesse palácio e o seu coração foi enterrado na Capela Real. Diz-se que Isabel I terá passado a noite ali, enquanto esperava que a Armada Invencível atravessasse o canal. Carlos I teve um sono menos sadio - teve no Palácio de St. James a sua última cama antes de ser executado. Oliver Cromwell tomou-o, então, e usou-o como aquartelamento durante o período da Comunidade Britânica. Mais tarde foi restaurado por Carlos II (filho de Carlos I), que esboçou, igualmente, o Parque de St. James.

O Palácio de St. James e o Pall Mall, numa gravura de Jan Kip, datada de 1715.

Os primeiros três reis de nome Jorge, pertencentes à Casa de Hanôver, usaram o palácio de St. James como sua principal residência londrina, embora este estivesse longe de ser um grande palácio urbano de uma das mais importantes monarquias europeias; Daniel Defoe chamou-o de "baixo e médio" em 1725.

Em 1809, um incêndio destruiu parte do palácio, incluindo os aposentos privados do monarca, no canto Sudeste. Estes apartamentos não foram recuperados, deixando a Capela da Rainha isolada, passando, actualmente, a Marlborough Road entre os dois edifícios. Os Portões de Henrique VIII ficaram como o único fragmento sobrevivente do original estilo Tudor.

Jorge III havia comprado a Buckingham House - a predecessora do Palácio de Buckingham para a sua esposa, em 1762, e o Palácio de St. James continuou a decair de importância durante a primeira metade do século XIX. Começou a ser usado, de uma forma crescente, apenas para ocasiões formais tais como recepções oficiais, casamenyos Reais e baptizados. A Rainha Vitória formalizou a mudança em 1837, terminando o estatudo do Palácio de St. James como a residência oficial do monarca. Algumas estruturas e interiores foram conservados por Sir Christopher Wren e William Kent, mas a maior parte foi remodelada no século XIX. William Morris e a sua firma foram encarregados de redecorar a Armaria e a Sala da Tapeçaria, em 1866 e 1867.

O Palácio de St. James na actualidade[editar | editar código-fonte]

Sentinela dos Granadeiros a postos na entrada principal do Palácio de St. James, no Pall Mall.

O Palácio de St. James ainda é um palácio em funções e a Corte Real ainda continua, formalmente, sedeada ali – os embaixadores estrangeiros ainda são acreditados à Corte de St. James, apesar de serem recebidos pelo monarca no Palácio de Buckingham.

Também é a residência da Princesa Ana e da Princesa Alexandra de Kent. O palácio faz parte de um irregular complexo de edifícios que acolhem gabinetes da Corte e apartamentos dos oficiais. O complexo inclui a York House, a antiga residência do Príncipe de Gales e dos seus filhos, os Príncipes Guilherme e Henrique; a Lancaster House, a qual é usada pelo Governo de Sua Majestade para recepções oficiais; assim como a vizinha Clarence House, a residência da falecida Rainha Mãe e, actualmente, a residência do Príncipe de Gales.

A Capela da Rainha, construída por Inigo Jones, está ligada ao Palácio de St. James. Enquanto qua a capela está aberta ao público em períodos seleccionados, o palácio não está acessível a esse mesmo público.

O Palácio de St. James é um dos quatro edifícios de Londres onde podem ser vistos os guardas da Divisão Doméstica (Household Division). Os outros três são o Palácio de Buckingham, a Clarence House e o Edifício da Guarda a Cavalo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Palácio de St. James