Palácio do Grão-Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Palácio do Grão-Pará localiza-se na cidade de Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil.

Originalmente construído como Hospedaria dos Semanários da Corte, veio a ser a residência duma parte da família imperial brasileira.

Situa-se nos fundos do antigo Palácio Imperial de Verão de D. Pedro II (1840-1889).

O palácio foi projetado pelo arquiteto da Casa Imperial Theodore Marx. O prédio apresenta um estilo arquitetônico neoclássico. A sua construção foi iniciada no ano de 1859 e foi terminada no ano de 1861.

Durante o Império o palácio destinava-se ao alojamento dos camaristas, membros de famílias representativas, que se revezavam a serviço do Imperador D. Pedro II e sua família.

Abrigou o Tribunal de Justiça durante a república Velha. Foi sede do colégio Luso-brasileiro e moradia do ex-embaixador americano Edwin Morgan.

Com a revogação do banimento da família imperial brasileira em 1921, passou o palácio do Grão-Pará a ser residência do primogênito da princesa Isabel de Bragança e do príncipe Gastão de Orléans, conde d'Eu, D. Pedro d'Alcântara, príncipe-titular de Orléans e Bragança. Após sua morte, tornou-se o Palácio a ser residência do primogênito de D. Pedro de Alcântara, D. Pedro Gastão de Orléans e Bragança. Atualmente é a residência de D. Pedro Carlos, filho primogênito do precedente, desde 27 de dezembro de 2007.

Foi tombada em 1959 pelo IPHAN.

Camera-photo.svg
Ajude a melhorar este artigo sobre Arquitetura ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.
Ícone de esboço Este artigo sobre um palácio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Palácios Imperiais do Brasil Palácio Imperial de São Cristóvão
Palácio Imperial de São CristóvãoPalácio Imperial de PetrópolisPaço ImperialFazenda Imperial de Santa CruzPalácio Grão-ParáPalácio Leopoldina