Palace Theatre (New York)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Palace Theatre
Palace Theatre em 1920
Inauguração 24 de março de 1913
Capacidade 1743
Geografia
Cidade Nova York, Nova York,  Estados Unidos

Palace Theatre é um dos múltiplos teatros da Broadway e fica localizado no número 1564 da Broadway (Oeste da Rua 47), em Midtown Manhattan, Nova York. Após sua inauguração em 1913 e até pelo menos 1929, o teatro se tornou lendário por suas apresentações do gênero vaudeville.[1]

Supremo Vaudeville[editar | editar código-fonte]

Projetado pelos arquitetos Kirchoff & Rose, de Milwaukee, o teatro de 1.740 lugares foi financiado por Martin Beck, um empreendedor do vaudeville com sede em San Francisco, em uma tentativa de desafiar o monopólio de Keith-Albee na costa leste. Albee, por sua vez, exigiu que Beck transformasse mais de três quartos da propriedade para que fossem usados atos do circuito de Keith. Beck aceitou o negócio.[2]

Quando o teatro finalmente foi inaugurado no dia 24 de março de 1913 tendo o comediante Ed Wynn como atração principal, não foi um sucesso instantâneo. Ele perdeu dinheiro por meses. O teatro é conhecido, também, devido a um setor que tem dificuldades em vender ingressos, pois quase todos esses lugares tem uma vista obstruída.[3]

Mais tarde o teatro acabou se tornando o local de estreia do circuito Keith-Albee.[4]

Atrações Vaudeville[editar | editar código-fonte]

Atuar no Palace garantia uma boa reputação e futuras reservas aos artistas. Através dos anos em que o vaudeville esteve em alta, as atrações principais incluíam:

Entre outras performances estavam também Sarah Bernhardt, Al Jolson, Enrico Caruso, Helen Kane, Eddie Cantor, Frank Fay, Bob Hope, Sophie Tucker, George Jessel, Mae West, Vernon e Irene Castle, Gus Edwards, Eddie Leonard, Burns e Allen, Fred Astaire, Benny Fields, Kate Smith, Bill Robinson, Ethel Merman, Bing Crosby, Wheeler e Woolsey, Rudolph Valentino, e Jack Benny.

Pós-Vaudeville[editar | editar código-fonte]

O Palace em 2008

Com a Grande Depressão ocorreu um aumento na popularidade do cinema e do rádio, assim o vaudeville entrou em declínio. A transformação da maioria das salas de teatro em salas de cinema, através da fusão entre a RCA e os escritórios da Film Booking, que estavam nas mãos de Joseph P. Kennedy em 1929,[42] foi um grande golpe, mas não evitou que muitos artistas de rádio favoritos do público pudessem ser vistos nos palcos do Palace.

Teatro[editar | editar código-fonte]

Em 1965, a Nederlander Organization comprou o Palace que pertencia à RKO Pictures.[43] Em 29 de janeiro de 1966, o Palace foi reaberto como um teatro legítimo com a produção original do musical Sweet Charity, embora ainda durante alguma tempo continuou apresentando filmes e concertos de Bette Midler, Liza Minnelli, Josephine Baker, Eddie Fisher, Shirley MacLaine, Diana Ross, Vikki Carr.[44]

No final de 1980, um hotel imponente foi construído acima do teatro. Hoje, o teatro é praticamente invisível porque fica atrás de uma enorme parede de outdoors onde somente é possível ver seu letreiro luminoso.[44]

O teatro foi o palco original de Beauty and the Beast, qua ficou por lá durante cinco anos antes de se mudar para outro teatro. Um inquilino notável e um dos maiores shows já exibidos foi Aida, que foi apresentado por mais de quatro anos, entre 2000 a 2004, com 1.852 performances e ganhando quatro prêmios Tony. O teatro recentemente abrigou Legally Blonde, uma adaptação para o teatro do filme de 2001, que teve a sua última apresentação no dia 19 de outubro de 2008. Uma releitura de West Side Story rdtrou em 19 de março de 2009 e encerrou no dia 2 de janeiro de 2011.[45]

O teatro também foi palco de Priscilla Queen of the Desert, que encerrou suas apresentações em 24 de junho de 2012. O renascimento de Annie estreou no Palace Theatre em 3 de outubro de 2012 com uma apresentação prévia, e em 8 de novembro de 2012 de maneira oficial.[46]

O Palace Theatre atualmente pertence e é operado pela Nederlander Organization e Stewart F. Lane.[47]

A lenda do fantasma[editar | editar código-fonte]

O fantasma do acrobata Louis Borsalino é uma landa que assombra o teatro. De acordo com várias versões da história, Borsalino teria "caído para a morte em 1950" e, quando o teatro está vazio o fantasma de Borsalino pode ser visto de forma assustadora. Ele solta um grito de gelar o sangue e em seguida re-encena seu mergulho de cabeça.[48] No entanto, na verdade, Borsalino teria apenas se ferido quando sofreu uma queda em 28 de agosto de 1935, diante de uma platéia de 800 espectadores. A apresentação de Louis Borsalino neste dia não era em trapézios, mas sim em torres fixas onde ele se lançava de uma para outra. Após o acidente o camediante Pat Henning inciou sua apresentação antes que as cortinas fossem fechadas.[49]

Produções notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [http://www.musicals101.com/vaude1.htm A History of The Musical Vaudeville] (em inglês) Mivals 101. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  2. Palace Theatre (Broadway) (em inglês) Playbill. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  3. Palace Theatre Seating (em inglês) Broadway World. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  4. Encyclopedia of Vaudeville, Anthony Slide, pg. 386
  5. a b Vaudeville old & new: an encyclopedia of variety performances in ..., Volume 1, by Frank Cullen, Florence Hackman, Donald McNeilly, page 236
  6. Notable american women: a biographical dictionary, by Edward T. James, Janet Wilson, page 117
  7. Encyclopedia of Vaudeville, Anthony Slide, pg. 385
  8. Jewish Women in America: A-L, by Paula Hyman, Deborah Dash Moore, American Jewish Historical Society, pg. 585
  9. The Papers of Will Rogers: From the Broadway stage to the national stage ...by Will Rogers, page 68
  10. Rosa Ponselle: American diva, by Mary Jane Phillips-Matz, pg 66-67
  11. a b Jimmy Durante: his show business career, with an annotated filmography and ...by David Bakish, page 35
  12. http://travsd.wordpress.com/2009/07/03/stars-of-vaudeville-27-leon-erroll/
  13. Encyclopedia of Vaudeville, Anthony Slide, pg. 81
  14. Encyclopedia of Vaudeville, Anthony Slide, pg. 170
  15. No Applause--Just Throw Money: The Book That Made Vaudeville Famous, by Trav S.D., page 169
  16. Introducing Bert Williams: Burnt Cork, Broadway, and the Story of America's ...by Camille F. Forbes, page 289
  17. Marie Dressler: the unlikeliest star, by Betty Lee, page 134
  18. Women vaudeville stars: eighty biographical profiles, by Armond Fields, page 63
  19. Slide, Anthony. The Encyclopedia of Vaudeville. Westport, Connecticut, Greenwood Press, 1994. p. 337.
  20. Palace playbill for January 24th, 1921, http://www.loc.gov/exhibits/bobhope/images/vc9.jpg
  21. Funny Woman: The Life and Times of Fanny Brice, by Barbara Wallace Grossman, page 131
  22. Encyclopedia of Vaudeville, Anthony Slide, pg. 392
  23. Encyclopedia of Vaudeville, Anthony Slide, pg. 323
  24. Encyclopedia of Vaudeville, Anthony Slide, pg. 199
  25. Encyclopedia of the Harlem Renaissance, Volume 2, by Cary D. Wintz, Paul Finkelman, page 799
  26. Breaking records: 100 years of hits, by William Ruhlmann, page 48
  27. Encyclopedia of Vaudeville, Anthony Slide, pg. 420
  28. Vaudeville old & new: an encyclopedia of variety performances in ..., Volume 1, by Frank Cullen, Florence Hackman, Donald McNeilly, page 1004
  29. Vaudeville From The Honky Tonks To The Palace (1953), by oe Laurie, Jr., page 493
  30. Heat Wave: The Life and Career of Ethel Waters by Donald Bogle, pg. 152
  31. The vaudevillians: a dictionary of vaudeville performers, Anthony Slide, page 47
  32. Eccentrics of comedy, by Anthony Slide, pgs. 51-52
  33. http://travsd.wordpress.com/2009/06/16/stars-of-vaudeville-23-clark-and-mccullough/
  34. Jimmy Durante: his show business career, with an annotated filmography and ..., by David Bakish, page 39
  35. American National Biography: Blatchford-Burnet, page 832
  36. Harry Langdon: His Life and Films, by William Schelly, page 125
  37. The gay & lesbian theatrical legacy: a biographical dictionary of major ...by Billy J. Harbin, Robert A. Schanke, page 266
  38. Slide, Anthony. The Encyclopedia of Vaudeville. Westport, Connecticut, Greenwood Press, 1994. p. 21.
  39. Chappie Gardner. "White Press Acclaims Adelaide Hall As Packed House Gives Her Great Ovation", The Pittsburgh Courier, February 22, 1930, p. 16. Página visitada em 12 June 2013.
  40. 'Underneath a Harlem Moon ... the Harlem to Paris years of Adelaide Hall' by Iain Cameron Williams. page 394 (1930, August - Adelaide headlines with Bill 'Bojangles' Robinson), pages 389, 390 & 395 (1931 - Adelaide appears four times during her 1931/32 world tour - February (with Noble Sissle), April, July & November), page 396 (1933, June) http://www.amazon.com/Underneath-Harlem-Moon-Paris-Adelaide/dp/B005ZOLV7C
  41. Programme page from RKO Palace Theatre, 1930, Adelaide Hall and Bill Bojangles Robinson http://www.myspace.com/adelaidehall/photos/51013863#%7B%22ImageId%22%3A47245752%7D
  42. May Another Centennial Grace the Steps of The Palace Theatre (em inglês) T2Conline. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  43. A DETROIT FAMILY BUYS THE PALACE; Nederlanders to Convert It Into Legitimate Theater (em inglês) The New York Times. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  44. a b Palace Theatre (em inglês) Nytix. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  45. West Side Story (em inglês) Theatre Mania. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  46. Annie Palace Theatre (em inglês) Playbill. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  47. Stewart F. Lane: Let's Put on a Show! (em inglês) Jewish. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  48. BIG APPLE IS GHOST TOWN, NY (em inglês) NY Post. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  49. ACROBAT PLUNGES TO PALACE STAGE; Badly Hurt When He Misses Partner's Hands After a Double Somersault. (em inglês) The New York Times. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]