Palestina do Pará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Palestina do Pará
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 13 de dezembro
Fundação 21 de abril de 1958 (56 anos)
Emancipação 13 de dezembro de 1991 (22 anos)
Gentílico palestinense
Prefeito(a) Valciney Ferreira Gomes[1] (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Palestina do Pará
Localização de Palestina do Pará no Pará
Palestina do Pará está localizado em: Brasil
Palestina do Pará
Localização de Palestina do Pará no Brasil
05° 44' 31" S 48° 19' 01" O05° 44' 31" S 48° 19' 01" O
Unidade federativa  Pará
Mesorregião Sudeste Paraense IBGE/2008 [2]
Microrregião Marabá IBGE/2008 [2]
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 983,885 km² [3]
População 7 465 hab. IBGE/2012[4]
Densidade 7,59 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,589 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 35 074,606 mil IDESP/2010[6]
PIB per capita R$ 4 684,70 IDESP/2010[6]
Página oficial

Palestina do Pará é um município brasileiro do estado do Pará. Localiza-se a uma latitude 05º44'30" sul e a uma longitude 48º19'01" oeste, estando a uma altitude de 0 metros. Sua população estimada em 2012 era de 7.465 habitantes. Possui uma área de 988,2,59 km².

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A escolha do nome "Palestina", para nomear a recém fundada vila de lavradores, relaciona-se com o fato de que a maioria dos colonos ali chegados ser de origem cristã-protestante. Com uma visão fortemente religiosa, eles enxergavam naquelas terras uma extensão das promessas bíblicas dadas ao povo Hebreu sobre a Canaã Palestina, uma "terra de onde mana leite e mel".[7]

História[editar | editar código-fonte]

Palestina começou a ser ocupada pouco antes dos grandes empreendimentos da região amazônica, portanto ainda inseria-se no modelo de pequena lavoura e extrativismo que imperou na região desde a colonização portuguesa até o início da década de 1960.

Em 21 de abril de de 1958 as famílias Ribeiro, Sandes, Vieira e Souza iniciam a fundação de um povoado às margens do rio Araguaia. Após constatar que a área era sujeita a inundações, eles se dirigiram para uma área mais alta, em região ainda de mata fechada, fazendo suas primeiras lavouras e depois inaugurando a primeira igreja protestante.[7]

O início da década de 1970 marcou a integração do vilarejo ao restante do território nacional, com a inauguração da Rodovia Transamazônica. Neste período floresceu na localidade atividades ligadas a extração madeireira e a agropecuária.

Pouco depois a localidade viu-se inserida nas operações entre guerrilheiros comunistas e o regime militar na Guerrilha do Araguaia. A localidade era um dos pontos de referência para os guerrilheiros.

Na década de 1980, a localidade, colhendo os frutos da exploração econômica da madeira e da agropecuária, passa a cobrar mais autonomia, e organiza os movimentos de emancipação. A princípio dá suporte ás pretensões de Brejo Grande, que, após se emancipar, também se mostra incapaz de suprir as demandas de Palestina. Este fato fez o movimento palestinense permanecer ativo, e conseguir um abaixo-assinado pedindo desmembramento de Brejo Grande.

O município foi finalmente fundado em 13 de dezembro de 1991, através da lei estadual n.º 5.689. publicado no diário oficial de n.º27.127 em 30 de Dezembro de 1991, com território desmembrado do município de Brejo Grande do Araguaia.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Esta localizado na região sudeste do Pará, a 600 km da estado. Limita-se ao Norte com Brejo Grande do Araguaia; ao sul com São Geraldo do Araguaia; a leste com estado do Tocantins; a oeste com Brejo Grande do Araguaia. O município encontra- se as margens do Rio Araguaia divisando com o estado do Tocantins.

Economia[editar | editar código-fonte]

Apesar de possuir consideráveis potenciais econômicos nos setores extrativista vegetal, pecuária e turística, bem como vocação deste município é pecuária e turística, bem como vocação para a Agricultura familiar, a qualidade de vida da população deste município é precária e apresenta um baixo IDH. A atividades industrial está concentrada basicamente em setores oleiros cerâmicos, fabrica de tijolo e telha, o nível de geração de emprego no município e baixo, somente há registros de empregos formal nos órgãos públicos e recentemente em uma fabrica de tijolo e em número bem reduzido. A renda gerada internamente e baixa, com pouca repercussão no mercado local.

Referências

  1. Título não preenchido, favor adicionar.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de Referência em 1º de julho de 2012 Estimativa Populacional para 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2012). Página visitada em 16 de janeiro de 2013.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 21 de setembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios do estado do Pará - 2010 Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará. Página visitada em 13 de março de 2012.
  7. a b RIBEIRO JUNIOR, Ribamar. Parabéns, Palestina do Pará, 53 anos! Blog Contraponto e Reflexão - O Verdadeiro Contraponto. 22 de abril de 2011
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.