Palmério Dória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Palmério Dória
Nascimento 1948 (65–66 anos)
Nacionalidade  brasileiro

Palmério Dória (Santarém, 1948) é um jornalista e escritor brasileiro, ex-diretor da revista Sexy e autor de vários livros, dos quais o mais conhecido trata da ascensão e poder político da família do ex-presidente José Sarney.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Dória nasceu em Santarém, mas foi criado na capital paraense por um padre. Mudou-se para o sul do país e iniciou a carreira jornalística, trabalhando em diversos órgãos de imprensa, como a Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e a revista Caros Amigos. Foi chefe de reportagem da Rede Globo até que em 1992 passou a dirigir a revista Sexy.[1]

Livros[editar | editar código-fonte]

Dória publicou, entre outros, os seguintes livros:

  • Mataram o Presidente – Memórias do Pistoleiro que Mudou a História do Brasil (1976), que trata do momento histórico desencadeado com o suicídio de Getúlio Vargas;[1]
  • A Guerrilha do Araguaia (1978), que relata o levante comunista debelado pela ditadura militar.[1]
  • Evasão de Privacidade (2001), que reúne uma série de entrevistas dadas por mulheres famosas à revista Sexy.[1]
  • A candidata que virou picolé (2002), que relata a breve candidatura de Roseana Sarney à presidência da república.
  • Honoráveis Bandidos ─ Um Retrato do Brasil na Era Sarney (2009), que trata do poder da família Sarney no Maranhão.[2]
  • O Príncipe da Privataria (2013), que faz um relato político sobre a era FHC. Editora Geração

Referências

  1. a b c d Marianne Piemonte (02/04/2001). Na cama com as celebridades Revista IstoÉ Gente. Página visitada em dezembro de 2011.
  2. Rodrigo Alvares (05 de novembro de 2009). Lançamento de livro sobre Sarney acaba em briga no Maranhão O Estado de São Paulo. Página visitada em dezembro de 2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.