Pamir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Panorama dos Pamir.

A Cordilheira Pamir, situada na Ásia Central, é formada pela união das cordilheiras Tian Shan, Karakorum, Kunlun, e Hindu Kush. Os Pamir estão entre as montanhas mais altas do mundo. Também são conhecidas pelo nome chinês Congling.

O centro dos Pamir é a província tajique de Gorno-Badakhshan, mas estende-se também ao Quirguistão, Afeganistão e Paquistão. A sul de Gorno-Badakhshan, o Corredor Wakhan atravessa a região dos Pamir, a qual também inclui os limites setentrionais da Província da Fronteira Noroeste e das Áreas do Norte, no Paquistão.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Grande parte dos Pamir situa-se no sudeste do Tajiquistão.

As três montanhas mais altas da cordilheira são o pico Ismail Samani (de 1932 a 1962 conhecido como Pico Estaline, e de 1962 a 1998 como Pico do Comunismo), com 7.495 m - o que faz dele o 50º mais alto do mundo; o pico da Independência (até 2006 conhecido como Pico Lenine), 7.165 m; e o pico Korzhenevskoi, 7.105 m.

Há muitos glaciares nos Pamir, incluindo o Fortambek, com 231 km de comprimento, o maior da antiga URSS.

Clima[editar | editar código-fonte]

Coberto com neve na maior parte do ano, o Pamir tem invernos longos e muito frios, e verões curtos e frescos. A precipitação anual ronda os 130 mm, a qual permite manter pradarias e vegetação herbácea mas poucas árvores.

Economia[editar | editar código-fonte]

Indústria: Alumínio fundido, zinco, chumbo, produtos químicos e fertilizantes, cimento, azeites vegetais, ferramentas mecanizadas para cortar metais, refrigeradoras e congeladoras.

Agricultura: Algodão, cereais, frutas, uvas, verduras; gado bovino, ovino e caprino.

Minerais e Recursos: Considerável potencial hidroelétrico, pequenas reservas de petróleo, urânio, mercúrio, carvão, chumbo, zinco, antimónio, volfrâmio, prata, ouro.

Transporte[editar | editar código-fonte]

No canto mais a sudeste da região do Pamir, na República Popular da China, a estrada internacional mais alta do mundo ("estrada do Karakorum") liga o Paquistão à China. A estrada do Pamir, a segunda mais alta do mundo, vai de Dushanbe, no Tajiquistão, a Osh, no Quirguistão, através da região autônoma de Gorno-Badakhshan.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Gordon, T. E. 1876. The Roof of the World: Being the Narrative of a Journey over the High Plateau of Tibet to the Russian Frontier and the Oxus Sources on Pamir. Edinburgh. Edmonston and Douglas. Reprint: Ch’eng Wen Publishing Company. Taipei. 1971.
  • Leitner, G. W. 1890. Dardistan in 1866, 1886 and 1893: Being an Account of the History, Religions, Customs, Legends, Fables and Songs of Gilgit, Chilas, Kandia (Gabrial) Yasin, Chitral, Hunza, Nagyr and other parts of the Hindukush. With a supplement to the second edition of The Hunza and Nagyr Handbook. And an Epitome of Part III of the author’s “The Languages and Races of Dardistan”. First Reprint 1978. Manjusri Publishing House, New Delhi.
  • Strong, Anna Louise. 1930. The Road to the Grey Pamir. Robert M. McBride & Co., New York.
  • Slesser, Malcolm "Red Peak: A Personal Account of the British-Soviet Expedition" Coward McCann 1964

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências