Pancrácio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Maio de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Escultura representando lutadores de Pancrácio.
Lutadores de Pancrácio.

Pancrácio (em grego: Παγκράτιον, transl. Pankration) foi uma antiga arte marcial e antigo desporto de combate sem armas, que segundo a mitologia grega teve início com os heróis Hércules e Teseu.[carece de fontes?]. Uma mistura de boxe e luta olímpica com golpes e técnicas de lutas que incluem socos, chutes, cotoveladas, joelhadas, cabeçadas, estrangulamentos, agarramentos, quedas, arremessos, derrubadas, imobilizações, torções, chaves e travamento das articulações.

Tudo era permitido, com excepção de enfiar os dedos nos olhos, atacar a região genital, arranhar ou morder. A vitória ocorria quando um dos atletas já não conseguia continuar a lutar, levantando um dedo para que o juiz se apercebesse.

A origem do pancrácio o credencia como o “tataravô do MMA”. Suas regras foram desenvolvidas a partir do wrestling e do pugilato (antecedente do boxe), acrescidas de outras ferramentas que lhe deram um tom mais agressivo e menos elegante que suas artes de origem[1] .

Teve a sua primeira aparição em Jogos Olímpicos na 33a olimpíada (648 a.C.), quando o vencedor foi o gigante Lygdamis de Siracusa, que conseguia medir o estádio com seus pés, em apenas 600 passos.[Nota 1] [2]

Lista de vencedores[editar | editar código-fonte]

Na 38a olimpíada (628 a.C.), introduziram o pancrácio para meninos, e o vencedor foi Deutelidas da Lacônia, mas depois a competição foi descontinuada. Só voltaria na 145a olimpíada.[2] Arichion da Phigaleia foi vencedor por três vezes, e, mesmo tendo morrido na terceira vez, na 54a olimpíada (564 a.C.), foi coroado vencedor, porque seu oponente havia concedido a vitória, ao ter sua perna quebrada por Arichion.[2]

O vencedor da 93a olimpíada (408 a.C.) foi o gigante Polydamas de Scotussa, que matava leões, e lutava desarmado contra homens armados. Ele estava com Ochus, lutando pelos persas. Ele conseguia parar carruagens que vinham em alta velocidade.[2]

Antenor, de Atenas ou de Mileto, foi um dos grandes vencedores do pancrácio, na 118a olimpíada (308 a.C.).[2]

Na 142a olimpíada (212 a.C.), Caprus de Élis venceu tanto o pancrácio quanto o pále (luta), assim como Héracles havia feito, e foi coroado como o segundo depois de Héracles.[2]

O pancrácio para meninos, que havia sido usado apenas na 38a olimpíada, é reintroduzido na 145a olimpíada (200 a.C.), e seu primeiro vencedor foi Phaedimus de Alexandria.[2]

Na 156a olimpíada (156 a.C.), Aristomenes de Rodes vence o pancrácio e o palé, sendo o terceiro, após Héracles, a vencer as duas competições.[2] O quarto foi Protophanes da Magnésia no Meandro, que venceu na 172a olimpíada (92 a.C.).[2]

Na 178aolimpíada (68 a.C.), Stratonicus de Alexandria, filho de Corragus, venceu o pancrácio e o palé, o quinto depois de Héracles. Nos jogos Nemeus, ele havia vencido quatro coroas no mesmo dia, competindo nu nas competições de crianças e jovens, mas, como ele havia vencido com o favor dos seus amigos e dos reis, foi desqualificado.[2]

O sexto a vencer o pancrácio e o palé, depois de Héracles, foi Marion de Alexandria, filho e Marion, na 182a olimpíada (52 a.C.).[2] O sétimo foi Aristeas de Stratoniceia ou Menandro, na 198a olimpíada (13 d.C.).[2]

Apenas oito homens venceram tanto o pancrácio e o palé. O último foi Neicostratus de Aegae, na 204a olimpíada (37).[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. Para um estádio de cerca de 192 metros, isto dá 19200 / 600 = 32 centímetros por pé; o valor do pé romano era de cerca de 29,6 centímetros.

Referências

  1. esportes.discoverybrasil.uol.com.br/ Pancrácio: O MMA da era antiga e a sua história
  2. a b c d e f g h i j k l m Eusébio de Cesareia, Crônica, As Olimpíadas Gregas, Uma lista desde a primeira olimpíada até a 247a quando Antonino, filho de Severo, era imperador dos romanos [em linha]
Ícone de esboço Este artigo sobre esporte/desporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.