Pandit

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Um Pandit (paṇḍit); (Hindi; Devanagari: पण्डित, Sânscrito: paṇḍita) é um estudioso, um professor, em especial um profundo conhecedor de Sânscrito, da lei, música de filosofia Hindus. A palavra inglesa “Pundit” (usada p/ “expert”) deriva desse termo indiano. A designação pode aparecer também como a abreviatura “Pt.”.

O uso original da palavra "Pandit" se refere a um Hinduísta, quase sempre um Brâmane, que memorizou uma significativa parte dos “Vedas” junto com os correspondentes ritmos e melodias, cantando e entoando os mesmos.

Religião[editar | editar código-fonte]

Pundits ou pujaris são contratados para cantar versos védicos nos rituais “yagya”s e outros eventos, tanto públicos como privados. Os cânticos são supostos para serem ouvidos em estado de mente calma e quieta, visando desenvolvimento espiritual para o ouvinte e também vivificação de toda atmosfera do evento. Todos Pandits são completamente Lacto –vegetarianos por razões espirituais e eles devem se manter puros de corpo e de espírito.

Sobrenome 'Pandit'[editar | editar código-fonte]

O sobrenome 'Pandit' é encontrado em toda Índia até hoje, sendo mais abundante entre os caxemires. Quase todos (99%) os que têm sobrenome “Pandit” são hinduistas, mas há raros casos de muçulmanos com esse nome de família. Os Pandits caxemires são chamados em Hindi de "Kumhar", “Bhat”, “Purohit”, “Rajpurohit”.

Usos do nome[editar | editar código-fonte]

Na Índia de hoje, 'Pandit' ié um tratamento honorífico conferido a um especialista em qualquer assunto ou campo de conhecimento, especialmente “Música Clássica Indiana”. Usa-se o termo somente para homens Hinduístas, mas homens músicos muçulmanos recebem o título de “Ustad”. As mulheres expoentes nesse campo são chamadas 'Vidushi' e 'Begum' quando são respectivamente Hinduístas ou Muçulmanas.

A palavra 'Pandit' (sempre com letra maiúscula) precede sempre o nome da pessoa. Exemplos são Pandit Nehru, Pandit Ravi Shankar, Pandit D. V. Paluskar, Pandit Bhimsen Joshi, Pandit Jasraj e Pandit Mallikarjun Mansur.

Pandits, ou notáveis locais citados no Dharmasastra, foram utilizados como conselheiros da corte inglesa no país nos séculos XVIII e XIX, pois os juízes britânicos tinham pouco conhecimento dos costumes Hindus e de suas tradições orais, precisando assim de informações vindas desses Pandits. A Suprema Corte da Índia tinha um oficial legislativo no estilo de um Pundit, que informava os juízes ingleses acerca de pontos das leis hindus. A prática foi abandonada em 1864, quando os juízes já acreditavam ter suficiente experiência para lidar com as leis da colônia. Aplicavam esse conhecimento aos cada vez mais numerosos casos a serem julgados e, além disso, a instituição de das “High Courts” dois anos antes (em 1862) já havia diminuído bem a importância do apoio Pundit.

Pandit ou pundit era também o termo aplicado aos supervisores Indianos que exploravam regiões do norte da Índia para os britânicos no século XIX.


Grafia alternativa[editar | editar código-fonte]

Uma forma mais correta do que a simples transposição para português, da palavra 'Pundit' é o termo Pandita.


Referências[editar | editar código-fonte]