Panzerkampfwagen VI Tiger II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sd.Kfz. 182 Panzerkampfwagen VI Tiger II
Tiger II frontal Munster.jpg
Tipo Carro de combate pesado
Local de origem  Alemanha Nazi
História operacional
Guerras Segunda Guerra Mundial 1944-1945
Histórico de produção
Fabricante Henschel & Son / Krupp (torre)
Quantidade
produzida
492
Variantes PzKpfw VI Ausf B (com torre da Porsche)[nota 1]
PzKpfw VI Ausf B (com torre da Henschel)[nota 1]
Befehlspanzer[nota 2]
Jagdtiger B (com canhão de 128mm)[nota 1]
Especificações
Peso 151 014 lb (68 500 kg)
Comprimento 21 ft (6 400 mm)
Largura 12,4 ft (3 780 mm)
Altura 10,2 ft (3 110 mm)
Tripulação 5 comandante, atirador, municiador, operador de rádio e motorista.
Calibre 88 mm (8,80 cm)
Blindagem do veículo in (25,4 mm)
a 7 in (178 mm)
Armamento
primário
Um Canhão de 8.8 cm KwK 43 L/71
Armamento
secundário
Uma Metralhadora MG34 de 0,3 in (7,62 mm)
Motor Maybach HL 230 P30 V12
700PS (690hp, 515kW)
Transmissão Maybach OLVAR EG 40 12 16 B (8 à frente e 4 à ré)
Suspensão Barra de tensão
Capacidade de combustível 190 galão imperial (860 Litros)
Alcance
Operacional
110 mi (177 km), estrada
75 mi (121 km), fora de estrada.
Velocidade 41,5 km/h
Uma coluna de tanques Tiger II, 1944.

O Sd.Kfz. 182 Panzerkampfwagen VI Tiger II, ou Königstiger, cuja tradução literal em alemão é "tigre rei", foi um dos mais poderosos tanques de guerra usados pela Alemanha Nazista no fim da Segunda Guerra Mundial (é necessário ressaltar que havia também a definição de Tanque antitanque, não estando entre eles o Königstiger; o veículo de guerra blindado mais poderoso da Segunda Guerra Mundial era o Jagdtiger). Há diversas controvérsias sobre seu verdadeiro nome, sendo inicialmente chamado de "Tiger II", e apelidado de "King Tiger" pelos britânicos. Os alemães também o chamavam de "Tigre de bengala".[1]

A necessidade da sua construção, decorre das análises feitas pelos oficiais alemães aos tanques soviéticos depois do inicio do conflito em 1941. No caso dos carros médios (como o T-34) optou-se por produzir o tanque Panther mas no caso dos tanques mais pesados, continuava a existir a possibilidade de os soviéticos conseguirem superar os tanques alemães, como o Tiger I que foi concebido no final da década de 1930, não incluindo por exemplo laterais inclinadas.[2]

A sua blindagem permitia-lhe resistir a média e longa distância a praticamente todo o arsenal blindado aliado e completamente imune a qualquer tiro disparado por qualquer arma antitanque da época. No entanto o seu reduzido número (uma produção total de 489 unidades, chegando-se a atingir uma média de apenas 15 dias para a produção de cada unidade.), falhas mecânicas, seu peso excessivo e a perda da supremacia aérea levou a que nada influenciasse o resultado final da II Guerra Mundial. Não se encontrava integrado nas divisões Panzer de forma habitual sendo adstrito às mesmas somente em necessidade encontrando-se organizados em batalhões de tanques pesados independentes.[2]

Embora fosse um carro de combate superior aos T-34 e Shermans utilizados pelos aliados, sua produção, em parte pela complexidade do veículo, e em parte pela deterioração do parque industrial alemão e falta de matérias primas, era reduzida, e portanto a produção em massa dos demais venceu a primazia técnica deste veículo formidável.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Panzerkampfwagen VI Tiger II

Notas

  1. a b c The Encyclopedia of Weapons of World War II, Chris Bishop, 1998
  2. German Tanks of World War II, Dr. S. Hart & Dr. R. Hart, 1998

Referências

  1. Buckley 2004, p. 119.
  2. a b Schneider 1990, p. 18.
  3. Jentz and Doyle 1993, p. 40.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Veículos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.