Paolo Di Canio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Di Canio
PDCUP2009.jpg
Informações pessoais
Nome completo Paolo Di Canio
Data de nasc. 9 de julho de 1968 (46 anos)
Local de nasc. Roma, Itália
Altura 1,78 m
Informações profissionais
Clube atual Sem Clube
Posição Treinador / Ex-Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1985-1990
1986-1987
1990-1993
1993-1994
1994-1996
1996-1997
1997-1999
1999-2003
2003-2004
2004-2006
2006-2008
Itália Lazio
Itália Ternana (emp.)
Itália Juventus
Itália Napoli
Itália Milan
Escócia Celtic
Inglaterra Sheffield Wednesday
Inglaterra West Ham
Inglaterra Charlton
Itália Lazio
Itália Cisco Roma
Total
0054 0000(4)
0027 0000(2)
0058 0000(6)
0028 0000(5)
0037 0000(6)
0037 000(15)
0041 000(23)
0118 000(48)
0031 0000(4)
0050 000(11)
0046 000(14)
0527 00(138)
Times que treinou
2011-2013
2013
Inglaterra Swindon Town
Inglaterra Sunderland

Paolo Di Canio (Roma, 9 de julho de 1968) é um ex-futebolista italiano. Atualmente, está sem clube.

Atuou em vários clubes durante sua carreira, entre eles: Ternana (Itália), Lazio (Itália), Juventus (Itália), Napoli (Itália), Milan (Itália), Cisco Roma (Itália), Celtic (Escócia), Sheffield Wednesday (Inglaterra), West Ham (Inglaterra) e Charlton (Inglaterra).

Time de coração[editar | editar código-fonte]

Paolo Di Canio é, acima de tudo, um torcedor confesso da Lazio, seu time de coração, ele era um membro da torcida Ultra da Lazio. Em 1985, iniciou a carreira na Lazio. Após anos sem vencer a Roma, Di Canio, ainda menino, entrou e fez o gol da vitória por 1 x 0, em 1989. Em 1990 saiu da Lazio para defender a Juventus, mas jamais deixou de mostrar o amor que tinha pela Lazio, e acabou voltando a equipe na temporada 2004/2005.

Di Canio foi um grande atacante, que usou a rapidez para ir para cima de seus adversários, possuia bons chutes cruzados, o que tornou-o num grande atacante. Em sua volta para a Lazio, ele viu a história se repetir: novamente a equipe celeste não vencia seu rival há anos, mas Paolo Di Canio marcou um gol que abriu o placar para a vitória por 3 x 1. Depois de ter sido colocado no banco pelo técnico, Delio Rossi, e sofrer pressão da imprensa italiana, ele acaba indo para o Cisco Roma, na temporada 2006/2007, deixando a Biancoceleste, mas dizendo que espera voltar e ser técnico da Lazio um dia.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Di Canio ainda foi campeão do Campeonatos Italianos em 1995, pela Juventus Football Club e em 1996, pelo Milan. Foi campeão da Copa da Itália em 1995, pela Juventus. Eleito melhor jogador do campeonato escocês em 1997 pelo Celtic.

Carreira e polêmicas[editar | editar código-fonte]

Paolo Di Canio chegou a Juventus Football Club em 1990, fez 58 jogos e marcou 6 gols, e ficou por lá até 1993, depois foi para o Napoli e logo após para o Milan. Em 1996 foi para o Celtic, fez 12 gols em 26 jogos, em 1997 seguiu para o Sheff, em 1998 ficou marcado por um incidente, onde empurrou o árbitro Paul Alcock, após ter sido expulso de campo, num jogo contra o Arsenal. Em janeiro 1999, Di Canio assinou com o West Ham United, clube que ajudou a classificar para a Copa Uefa, tendo feito um golaço em 2000, em Wimbledon, e o gol foi eleito o gol da temporada pela BBC, um dos mais bonitos da Premiership.

Em 2001, atuando pelo West Ham, contra o Everton, o goleiro adversário, Paul Gerrard, estava no chão machucado, e a bola foi cruzada em direção de Di Canio. Ele segurou a bola com as mãos, hesitando em fazer o gol, para o atendimento do jogador adversário. Com isso, acabou recebendo o Prêmio Fair Play, da Fifa . Em 2003, assinou com o Charlton.

Mas Paolo Di Canio é um jogador muito famoso pelas polêmicas, o que acabou superando seus dotes como futebolista. O veterano jogador ostenta, com orgulho, uma tatuagem do Duce no braço, e possui simpatia pelo antigo ditador Benito Mussolini.

Já em fim de carreira, voltou a sua cidade natal para defender a Lazio por mais duas temporadas, de 2004 até 2006 , após um jogo entre AS Roma e SS Lazio. Ao final do jogo, depois da vitória da Lazio pelo placar de 3 x 1, acabou fazendo saudação facista para torcedores da Lazio, o que acarretou em uma multa no valor de 10 mil euros. Em Livorno, Di Canio voltou a repetir as saudações, foi substituído no jogo contra o Livorno, e acabou saudando os torcedores lazioles que haviam ido até Livorno.

Após os fatos, Di Canio virou página nos jornais do mundo todo. Ele acabou sendo julgado, e encarregou Gabriele Bordoni, torcedor de seu clube, para defendê-lo, mas não adiantou, e foi multado novamente em 10 mil euros pela Federação Italiana de Futebol. Novamente ele volta a repetir o gesto contra a Juventus em dezembro 2005 , e por mais uma vez é multado. O ex-ministro italiano Silvio Berlusconi, proprietário do Milan, disse que a saudação "não teve nenhum significado" , e descreveu o jogador como um bom garoto. Depois disto , ele prometeu acabar com as saudações para não prejudicar mais seu clube de coração.

Aos 38 anos, o atacante aceitou proposta para continuar a carreira profissional. Foi contratado pela Cisco Roma, equipe que disputa a Série C2, a quarta divisão do Campeonato Italiano. Di Canio abandonou o curso de formação de treinadores que estava fazendo para assinar com o clube por uma temporada, com opção de renovação por mais uma. Pela Cisco Roma, em um jogo contra o Rieti, Di Canio improvisou um strip tease no jogo em que a Cisco Roma venceu o Rieti por um a zero. Para completar, Di Canio ainda fez a saudação romana novamente, que já é sua marca registrada.

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Paolo Di Canio