Paolo Maldini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paolo Maldini
Paolo Maldini2008.jpg
Informações pessoais
Nome completo Paolo Cesare Maldini
Data de nasc. 26 de Junho de 1968 (46 anos)
Local de nasc. Milão,  Itália
Altura 1,85 m
Canhoto
Informações profissionais
Posição Zagueiro
Clubes de juventude
19781984 Itália Milan
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
19842009 Itália Milan 00902 000(33)
Seleção nacional
19861988
19882002
Flag of Italy.svg Itália Sub-21
Flag of Italy.svg Itália
00012 0000(5)
00126 0000(7)

Paolo Cesare Maldini (Milão, 26 de junho de 1968) é um ex-futebolista italiano. É filho do ex-jogador Cesare Maldini[1] .

É considerado o maior defesa central de todos os tempos pela FIFA. Um dos maiores atletas da história do futebol italiano, europeu e mundial, é um dos maiores Zagueiros de todos os tempos. Campeão italiano em sete oportunidades e, por cinco vezes da Liga dos Campeões, todas pelo clube rossonero, no qual construiu toda sua carreira. Era dono de um vigor físico invejável sempre marcando agressivamente e forte em seus oponentes. Dominava uma técnica sem igual através de ambidestria para efetuar com perfeição desarmes, dribles e lançamentos precisos.

Em 1995, Maldini foi escolhido pela FIFA, o segundo melhor jogador do mundo, perdendo para seu companheiro de equipe George Weah.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Paolo Maldini (IPA: [ˈpaolo malˈd̪ini]) dedicou toda sua carreira ao clube em que o revelou: Milan. Estreou na Serie A aos dezesseis anos, sendo lançado por Nils Liedholm, em 20 de janeiro de 1985, na partida contra a Udinese, tendo vindo diretamente da categoria de base para o banco de reservas devido ao grande número de lesionados; entrou no decorrer da partida, após lesão de mais um jogador.[2]

Nas competições europeias, Maldini também somou várias conquistas. Por 118 vezes jogou na Liga dos Campeões da UEFA, tendo sido por cinco vezes campeão europeu, mas o mesmo não aconteceu na Copa da UEFA: em vinte e um jogos, não conquistou nenhuma vez o título. As dezessete partidas que disputou na Supercopa Europeia, renderam quatro títulos, em 3 partidas na Copa Europeia/Sul-Americana somou 2 títulos, e em 2 partidas na Copa do Mundo de Clubes da FIFA foi campeão uma vez.

Em 28 de maio de 2003, na final da Champions League, vencida contra a Juventus, Maldini viveu um dos momentos mais marcantes de sua história. Ele ergueu o troféu de campeão europeu 40 anos exatos após seu pai, Cesare Maldini, fazer a mesma coisa.

A estes números juntam-se também ainda um jogo num torneio reconhecido pela Federação Italiana e um outro correspondente ao desempate por pênaltis com o Farense. Possui pelo menos dois grandes recordes: é o jogador que mais temporadas disputou na Serie A com a mesma equipe, com vinte e seis campeonatos consecutivos e, foi o jogador a marcar o gol mais rápido em uma final de Liga dos Campeões, aos cinquenta e um segundos de jogo, frente ao Liverpool, em 2005.

Anunciou sua aposentadoria ao final da temporada 2008-09, devido a sérias lesões a qual passou ao longo de sua carreira. Quando Maldini deixou o futebol, o Milan, seu único clube em vinte e quatro anos de carreira, aposentou a sua camisa número 3, que somente voltará a ser usada caso um dos seus filhos herde-a como profissional do clube, o que poderia ocorrer com seu filho Cristhian, que já treina nas categorias de base do clube.

Disputou sua milésima partida na carreira, no jogo contra o Parma, no dia 16 de fevereiro de 2008, pelo Campeonato Italiano.

Maldini encerrou sua carreira como futebolista profissional na partida contra a Fiorentina (vitória por 2 a 0), no dia 31 de maio de 2009. Ao todo, foram mais de mil partidas como profissional e mais de novecentos pelo Milan, além de ter conquistado mais vinte e sete títulos e, diversos prêmios.[3]

Seleção Italiana[editar | editar código-fonte]

Debutou com a camisa azul da Seleção Italiana aos dezenove anos em um empate em 1 a 1, contra a antiga Iugoslávia, amistoso disputado no dia 31 de março de 1988.

Paolo disputou por três vezes a Eurocopa, em 1988, 1996 e 2000, tendo sido vice-campeão nesta última. Representou a Squadra Azzurra em quatro edições da Copa do Mundo, nos anos de 1990, onde foi terceiro colocado; 1994, com o vice-campeonato; 1998, onde foi treinado por seu pai Cesare Maldini; e 2002, quando, após a eliminação dos italianos, retirou-se da Seleção.

Recebeu um convite para voltar três anos depois, em 2005, podendo até ter disputado a Copa do Mundo de 2006, mas não aceitou, pois isso lhe tiraria tempo de descanso em datas FIFA e em pré-temporadas, tempo necessário à sua recuperação e manutenção física, devido à sua idade, considerada elevada para o futebol profissional.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Na infância, era torcedor da Juventus, e admirava o futebol do atacante Roberto Bettega. Foi por insistência do pai, Cesare, que havia feito história na defesa do Milan, que Paolo foi para as categorias de base dos rossoneri e como defensor.[2] Apesar de ser um jogador canhoto de origem, mas que tinha facilidade de também trabalhar com o pé direito, iniciou a carreira como lateral-esquerdo, posteriormente Paolo deslocou-se para a função de zagueiro, na realidade Maldini tinha qualidade para atuar em qualquer posição do sistema defensivo.[2]
  • É o jogador que mais atuou na Serie A, tendo colecionado mais de 600 partidas na competição e somando todos os jogos por seu clube esse número passa dos 800, ultrapassando o recorde de Dino Zoff.
  • Ao todo têm 902 partidas oficiais disputadas com o Milan e 26 troféus conquistados em vinte e cinco anos de carreira. Marcou nestes jogos 33 gols. Paolo esteve presente em 172 partidas da Copa da Itália, mas apenas por uma vez conquistou o troféu, enquanto as seis participações na Supercopa nacional, lhe renderam cinco títulos.
  • Uma grande curiosidade é que dos sete títulos de campeão europeu conquistados pelo Milan, seis foram com a atuação da família Maldini: as cinco últimas foram conquistadas por Paolo, e a primeira por seu pai Cesare Maldini.
  • É casado com a ex-modelo venezuelana Adriana Fossa e tem dois filhos: Christian e Daniel, que jogam nas categorias de base do AC Milan.
  • Detem a marca de gol mais rápido de uma final de Uefa champions league.

Career statistics[editar | editar código-fonte]

Predefinição:Updated[4]

Team Season Serie A Coppa Italia European
Competition1
Other
Tournaments2
Total
Apps Goals Apps Goals Apps Goals Apps Goals Apps Goals
Milan 1984–85 1 0 1 0
1985–86 27 0 6 0 6 0 1 0 40 0
1986–87 29 1 7 0 13 37 1
1987–88 26 2 1 0 2 0 29 2
1988–89 26 0 7 0 7 0 40 0
1989–90 30 1 6 0 10 0 1 0 47 1
1990–91 26 4 3 0 5 0 1 0 35 4
1991–92 31 3 7 1 38 4
1992–93 31 2 8 0 10 1 1 0 50 3
1993–94 30 1 2 0 12 1 2 0 46 2
1994–95 29 2 1 0 12 0 1 0 43 2
1995–96 30 3 3 0 8 0 41 3
1996–97 26 1 3 0 6 0 1 0 36 1
1997–98 30 0 7 0 37 0
1998–99 31 1 2 0 33 1
1999–00 27 1 4 0 6 0 1 0 38 1
2000–01 31 1 4 0 14 0 49 1
2001–02 15 0 4 0 19 0
2002–03 29 2 1 0 19 0 49 2
2003–04 30 0 10 0 2 0 42 0
2004–05 33 0 13 1 1 0 47 1
2005–06 14 2 9 0 23 2
2006–07 18 1 9 0 27 1
2007–08 17 1 4 0 2 0 23 1
2008–09 30 0 2 0 32 0
Career Total 647 29 72 1 168 3 15 0 902 33

1European competitions include the UEFA Champions League, UEFA Cup, and UEFA Super Cup
2Other tournaments include the Supercoppa Italiana, Intercontinental Cup and FIFA Club World Cup
3Play-off for UEFA Cup admission

[5]

Predefinição:Football player national team statistics

1988 10 0
1989 7 0
1990 11 0
1991 8 0
1992 7 0
1993 5 2
1994 12 0
1995 7 1
1996 7 0
1997 11 2
1998 11 1
1999 7 1
2000 11 0
2001 7 0
2002 5 0
Total 126 7


Títulos[editar | editar código-fonte]

Milan

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]