Papa Bento IX

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde setembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Bento IX
145º, 147º e 150º papa
Nome de nascimento Theophylactus III de Túsculo
Nascimento Túsculo, Itália,
entre 1012 e 1020
Eleição 1 de Agosto de 1032 (primeira vez)
10 de Abril de 1045 (segunda vez)
9 de Outubro de 1047 (terceira vez)
Fim do pontificado 16 de Janeiro de 1045 (primeira vez)
1 de Maio de 1045 (segunda vez)
17 de Julho de 1048 (terceira vez)
Antecessor João XIX (primeira vez)
Silvestre III (segunda vez)
Clemente II (terceira vez)
Sucessor Silvestre III (primeira vez)
Gregório VI (segunda vez)
Dâmaso II (terceira vez)
Listas dos papas: cronológica · alfabética

O Papa Bento IX (Theophylactus III de Túsculo) nasceu em Roma entre 1012 e 1020. Foi Papa da Igreja Católica em três ocasiões entre 1032 e 1048.[1] Foi um dos papas mais jovens, ele foi o único homem a ter sido Papa em mais de uma ocasião, o único homem a ter vendido o papado, e a primeira pessoa a renunciar o cargo papal.[2]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Sagrado papa aos 37 anos, foi escolhido para a função para atender aos interesses das classes campestres de Roma que não aceitariam os inúmeros candidatos de outras dioceses originárias de fora de Roma. Impôs ao rei da Boêmia que transladasse para Praga as relíquias de Santo Adalberto. Nada sabia sobre os deveres de um Papa e sua vida era um escândalo para a Igreja. O povo romano expulsou-o da cidade. Refugiou-se no Mosteiro de Grottaferrata. Ocupou o sólio de São Pedro em três ocasiões. Eleito em 1032, foi deposto em 1044. Recuperou o trono de Pedro em 1045, ano em que abdicou, para depois voltar em 1047 e ser deposto definitivamente um ano depois.

Vida[editar | editar código-fonte]

Bento nasceu em Roma com o nome Teofilacto, filho de Albérico III, conde de Túsculo e sobrinho dos papas Bento VIII (1012–1024) e João XIX (1024–1032). O seu pai obteve o lugar papal para si, o qual alcançou em Outubro de 1032.

De acordo com a Enciclopédia Católica[3] e outras fontes, Bento IX tinha entre 18 e 20 anos quando se tornou pontífice, apesar de algumas fontes sugerirem 11 ou 12.[4] Teve de acordo com os registos uma vida extremamente dissoluta, não tendo alegadamente qualificações suficientes para o papado que não fossem as ligações com uma família socialmente poderosa, apesar de em termos de teologia e atividades comuns na Igreja ser inteiramente ortodoxo. São Pedro Damião descreveu-o como "regozijando-se em imoralidade" e "um demónio do inferno dissimulado de sacerdote" no Liber Gomorrhianus. A Enciclopédia Católica chama-o desgraça na Cadeira de Pedro.[3]

Foi igualmente acusado pelo bispo Benno de Piacenza de "múltiplos e vis adultérios e assassinatos".[5] O Papa Vítor III, no seu terceiro livro de Diálogos, referiu-se às "suas violações, assassinatos e outros atos indizíveis. A sua vida como papa é tão vil, tão abominável, tão execrável, que eu me arrepio de nela pensar".[6]

Foi brevemente forçado a sair de Roma em 1036, porém retornou com o apoio do imperador Conrado II.

Em Setembro de 1044, a oposição forçou-o a abandonar a cidade de novo e elegeu João, bispo de Sabina, como papa Silvestre III. As forças de Bento IX regressaram em Abril de 1045 e expulsaram o seu rival, o qual no entanto manteve a sua pretensão ao papado durante anos.

Em Maio de 1045, num acto que se pensa estar relacionado com indisposição causada por álcool, Bento IX resigna ao seu posto em troca do matrimônio, vendendo o seu lugar ao seu padrinho, o sacerdote pio João Gratian, o qual se nomeou Gregório VI.

Bento IX depressa se arrependeu da sua resignação e regressou a Roma, tomando a cidade e mantendo-se no trono até Julho de 1046, apesar de Gregório VI continuar a ser reconhecido como verdadeiro papa. Na altura, Silvestre III reafirmou a sua reivindicação.

O rei germânico Henrique III (1039-1056) interveio, e no Conselho de Sutri em Dezembro de 1046, Bento IX e Silvestre III foram declarados depostos, enquanto Gregório VI era encorajado a resignar o que fez. O bispo germânico Suidger foi coroado papa Clemente II.

Bento IX não foi nem ao conselho nem aceitou a sua deposição. Quando Clemente II morreu em Outubro de 1047, Bento apoderou-se do Palácio de Latrão em Novembro de 1047, tendo sido afugentado por tropas germânicas em Julho de 1048. De forma a preencher o vacuum político, o bispo Poppo de Brixen foi eleito como papa Dâmaso II, tendo sido reconhecido universalmente como tal. Bento IX recusou-se a aparecer em encargos de simonia em 1049 e foi excomungado.

O destino de Bento IX é obscuro. No entanto, parece provável que tenha abandonado as suas pretensões. O papa Leão IX (1049–1054) poderá ter levantado a banição que sobre ele pendia. Bento IX foi sepultado na abadia de Grottaferrata, onde faleceu em 1085 ou possivelmente mais tarde.

Bento IX é reconhecido geralmente como tendo tido três pontificados:

  • o primeiro, que vai desde a sua eleição até à sua expulsão a favor de Silvestre III (Outubro de 1032 - Setembro de 1044)
  • o segundo, desde o seu regresso até à venda do papado a Gregório VI (Abril - Maio de 1045)
  • o terceiro, desde o seu regresso após a morte de Clemente II ao advento de Dâmaso II (Novembro de 1047 - Julho de 1048)

Árvore genealógica[editar | editar código-fonte]

 
 
 
 
 
 
 
Teofilato I, Conde de Túsculo
864–924
 
Theodora
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Hugo da Itália
887-948
(também se casou com Marozia)
 
Alberico I de Espoleto
d. 925
 
Marózia
890–937
 
 
Papa Sérgio III
904–911
 
Theodora
 
 
Gratian
(Consul)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Alda de Vienne
 
Alberico II de Espoleto
905–954
 
David ou Deodatus
 
Papa João XI
931–935
 
 
Theodora
 
 
Giovanni Crescentius
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Theophylact
 
Papa João XII
955–964
 
Papa Bento VII
974-983
 
 
 
 
Marozia
 
 
Papa João XIII
965–972
 
 
Crescêncio, o Velho
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Gregório I, conde de Túsculo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Papa Bento VIII
1012–1024
 
Alberico III, conde de Túsculo
d. 1044
 
Papa João XIX
1024–1032
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pedro, Duque dos Romanos
 
Gaius
 
Octavianus
 
Papa Bento IX
1032–1048


Referências

  1. Coulombe, Charles A., Vicars of Christ: A History of the Popes, (Citadel Press, 2003), 198.
  2. Barbara Maranzani (11 de fevereiro de 2013). A History of Papal Resignations (em inglês). Histiory. Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.
  3. a b   "Pope Benedict IX". Enciclopédia Católica. (1913). Nova Iorque: Robert Appleton Company. 
  4. Russel, Bertrand. History of Western Philosophy. New York: Simon and Schuster, 1945. p. 412.
  5. “Post multa turpia adulteria et homicidia manibus suis perpetrata, postremo, etc.”Dümmler, Ernst Ludwig (1891) (em Latin), Monumenta Germaniae Historica, Libelli de lite, I (Bonizonis episcopi Sutriensis: Liber ad amicum ed.), Hannover: Deutsches Institut für Erforschung des Mittelalters, pp. 584, http://www.uan.it/alim/letteratura.nsf/(volumiID)/A9E60829767DA2D2C1256D6B0074177B/$FILE/AlimBonizoAdamicum.doc?openelement, visitado em 2008-01-03 .
  6. Victor III, Pope (1934) (em Latin), Monumenta Germaniae Historica, Libelli de lite (Dialogi de miraculis Sancti Benedicti Liber Tertius auctore Desiderio abbate Casinensis ed.), Hannover: Deutsches Institut für Erforschung des Mittelalters, pp. 141, http://www.uan.it/alim/letteratura.nsf/(volumiID)/D8115E7BB6446DC9C1256D660075CE62/$FILE/AlimDesiderioDialogi.doc?openelement, visitado em 2008-01-03, "Cuius vita quam turpis, quam freda, quamque execranda extiterit, horresco referre" .


Precedido por
João XIX
Emblem of the Papacy SE.svg
Papa

145.º
Sucedido por
Silvestre III


Precedido por
Silvestre III
Emblem of the Papacy SE.svg
Papa

147.º
Sucedido por
Gregório VI


Precedido por
Clemente II
Emblem of the Papacy SE.svg
Papa

150.º
Sucedido por
Dâmaso II


Ícone de esboço Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.