Papa Gelásio I

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gelásio I
49º papa
Nascimento África, 410
Eleição 1 de Março de 492
Fim do pontificado 21 de novembro de 496 (86 anos)
Antecessor Félix III
Sucessor Anastácio II
Listas dos papas: cronológica · alfabética

Gelásio I (em latim: Gelasius I) foi papa de 1 de março de 492, até a data de sua morte, em 21 de novembro de 496. De origem africana, combateu o pelagianismo, o maniqueísmo e o arianismo, também ratificou os livros canônicos e apócrifos aprovados pela Igreja no Decretum Gelasianum.

Foi um dos primeiros papas que, como sintoma do poder autônomo que vinha adquirindo a Igreja de Roma, efetuou a distinção entre o poder temporal dos imperadores e o espiritual dos papas, através da epístola Duo sunt. Os bispos, de acordo com essa teoria, seriam superiores ao poder temporal. Estabelecido ainda que a figura do Papa não poderia ser julgada por ninguém, porém, também dizia que o papel do Pontífice era antes ouvir do que julgar. Instituiu o Código para uniformizar funções e ritos das várias Igrejas. Filho de um humilde ferreiro, amou os pobres e viveu na pobreza, pelo que foi chamado "Pai dos pobres". Foi este pontífice que começou com a canonização de São Valentim, o santo que se costuma comemorar no dia dos namorados.

É venerado a 21 de Novembro.[1]

Infabilidade pontifícia[editar | editar código-fonte]

Foi a partir de Gelásio que se criou a norma eclesiástica, válida até a modernidade, da Infabilidade papal, valendo-se do pressuposto primado romano, de que o papa é o sucessor de Pedro, são estas suas palavras:

"…o que a Sede Apostólica afirma em um sínodo, adquire valor jurídico; o que ela há rechaça não tem força de lei."

Referências


Precedido por
Félix III
Emblem of the Papacy SE.svg
Papa

49.º
Sucedido por
Anastácio II


Ícone de esboço Este artigo sobre um papa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Papa Gelásio I